Vida Mais Abundante – Parte 1

0

“Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.” (João 10.10)

O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir.” Os falsos mestres injuriam e colocam em perigo gravemente as almas dos homens e no final causam sua destruição. Seus fins egoístas só podem ser respondidos pela ruína dos seus ouvintes. O Senhor Jesus, o verdadeiro Mestre dos homens, não causa prejuízo a ninguém, e não traz a morte à porta de ninguém. Seu ensino é cheio de bondade, bondade e amor. Ele opera mais efetivamente para a felicidade e benefício dos homens. O erro é mortal. A Verdade de Deus é que dá a vida. A vinda da antiga Serpente operou nossa morte. O Advento da Semente da mulher nos trouxe a vida eterna. Jesus Cristo veio, primeiro, para que o seu povo tenha vida. E, em segundo lugar, para que onde a vida já foi dada, ela possa ser desfrutada em abundância.

I. A primeira verdade é que Jesus Cristo veio para que os homens tenham vida. Não vou me estender sobre o pensamento de que mesmo a vida natural prolongada do pecador é devido, em grande medida, por causa da vinda de Cristo. Aquela árvore estéril não ficaria tanto tempo no jardim da vida, se não fosse a intercessão que foi feita por ela aos gritos: “poupai-a mais um ano, até que eu cave ao redor e a fertilize.” A interposição do Mediador é responsável pela vida alongada de infratores graves cujos crimes impõem o longo sofrimento do Céu. Se as orações do nosso grande Intercessor cessassem por uma hora, os ímpios seriam, talvez, afundados rapidamente no inferno, como Coré, Datã e Abirão, quando a ira do Senhor irrompeu sobre eles.

Isto, contudo, não é o foco do nosso texto. A vida, no sentido de perdão e libertação da pena de morte, é um grande resultado da vinda de Cristo. Todos os homens em seu estado natural estão condenados à morte, por terem pecado, e devem ser logo levados ao local da execução, devem sofrer a penalidade completa da segunda morte. Se qualquer um de nós é livrado no momento da sentença de morte e tem agora a promessa da coroa da vida, devemos a mudança à vinda do Redentor para ser um sacrifício pelos nossos pecados. Todo homem entre nós deve enfrentar a morte sem fim, a menos que, por meio daquele que veio à Terra e foi pendurado no madeiro como substituto do pecador, nós obtenhamos a remissão completa de todos os nossos pecados, que são como crimes horrendos à vista de Deus, e o veredicto da vida em vez da morte. Há vida em contemplar Jesus, mas, sem isto, os descendentes de Adão estão sob sentença de morte.

Além disso, todos nós estamos, por natureza, “mortos em delitos e em pecados”. No dia em que nossos primeiros pais quebraram a lei de Deus, eles morreram espiritualmente, e todos nós morremos neles. E agora, hoje, separados de Cristo, todos nós estamos mortos para as coisas espirituais, sendo desprovidos do Espírito de vida que nos permite ter comunhão com Deus e para entender e apreciar as coisas espirituais. Todos os homens são, por natureza, sem o Espírito que vivifica, homens não regenerados que têm vida física e a vida mental, mas a vida espiritual eles não possuem, e jamais a terão exceto se Jesus lhes der a mesma. O Espírito de Deus, de acordo com a vontade divina implanta em nós uma semente viva e incorruptível, que é semelhante à natureza Divina. Ele nos confere uma nova vida, em virtude da qual nós vivemos no reino das coisas espirituais, compreendendo os ensinamentos espirituais, procurando as coisas espirituais e estando vivos em Deus, que é Espírito.

Ninguém entre nós tem qualquer forma de vida deste tipo de nascimento, nem pode ser obtida por ritos cerimoniais, ou por mérito humano. Os mortos não podem ressurgir na vida, exceto por milagre, nem pode o homem se levantar para a vida espiritual, exceto pela operação do Espírito de Deus sobre ele, pois é somente Ele, que pode nos vivificar. Cristo Jesus veio nos chamar dos túmulos de pecado. Muitos já ouviram sua voz e vivem. Esta vida espiritual é a mesma vida que irá ser mantida e aperfeiçoada no céu. Nós não devemos, quando ressuscitamos do túmulo, obter uma vida que não possuímos na terra – devemos estar vivos para Deus aqui, ou tomar nossos lugares entre aqueles cujo verme não morre e cujo fogo não se apaga.

Bate no coração do crente no dia de hoje a mesma vida que desfrutarão da plenitude de alegria na presença Divina. Se você olhou para Jesus somente há alguns minutos atrás, ainda assim, agora existe em seu coração a vida abençoada. A semente incorruptível é semeada em você, a qual vive e permanece para sempre. A vida celestial está dentro de você e para isso Jesus Cristo veio para derramá-la sobre nós. A verdade de que Jesus é o doador da vida está bastante clara no texto e isto leva à seguinte reflexão prática – a vida para a sua alma é apenas para ser tida em Jesus. Se, então, você está, neste dia, em busca de salvação, você é instruído para ir à única fonte disto!

A vida espiritual não é o resultado do trabalho – como pode o trabalho do morto espiritual gerar a vida? Não devem primeiro ser vivificados, e então trabalhar com esta nova vida? A vida é um dom e sua concessão a qualquer homem deve ser o ato de Deus. O Evangelho prega a vida por Jesus Cristo. Pecador, veja para onde você deve olhar! Você está completamente dependente da voz vivificante dAquele que é a Ressurreição e a Vida. “Isso”, diz alguém, “é muito desanimador para nós.” Destina-se a ser! É a bondade de desencorajar os homens quando eles estão agindo em princípios errados. Enquanto você acha que sua salvação pode ser efetuada por seus próprios esforços, ou méritos, ou qualquer outra coisa que possa surgir de si mesmo, você está no caminho errado e então é nosso dever desencorajá-lo.

O modo de vida reside no sentido oposto. Você deve procurar imediatamente ao Senhor Jesus Cristo! Você deve confiar no que Ele fez e não naquilo que você pode fazer. E você não deve observar aquilo que você pode trabalhar em si mesmo, mas o que Ele pode trabalhar em você. Lembre-se que a declaração de Deus é que “Quem crê em Jesus tem a vida eterna.” Se, portanto, você está habilitado para vir e se lançar sobre o sangue e a justiça de Jesus Cristo, você tem a vida eterna imediatamente, o que, todas as suas orações, lágrimas, arrependimento, ir à igreja, etc, nunca poderiam trazer para você!
Jesus pode lhe dar isto livremente neste momento, mas você não pode trabalhá-lo em si mesmo. Você pode imitá-lo e enganar a si mesmo.

Você pode enfeitar o corpo e fazê-la parecer como se estivesse vivo espiritualmente, mas a vida é um fogo Divino e você não pode roubar a chama, ou acendê-la por si mesmo! Pertence a Deus, somente, o poder de vivificá-lo, e, portanto, eu lhe incentivo a olhar somente para Deus em Cristo Jesus! Cristo veio para que tenhamos vida! Se pudéssemos ter obtido a vida sem a Sua vinda, por que Ele precisaria ter vindo? Se a vida pudesse vir para os pecadores sem a Cruz, por que pregar o Senhor da Glória no madeiro vergonhoso? Por que suas feridas sangrantes, Emanuel, se a vida poderia vir por outra porta?

No entanto, ainda mais, por que o Espírito de Deus desceu no dia de Pentecostes, e por que Ele ainda permaneceria entre os homens, se eles podem ser vivificados sem Ele? Se a vida é para ser obtida sem o Espírito Santo, para que fim Ele trabalha no coração humano? O Salvador sangrando e habitação do Espírito são provas convincentes de que a nossa vida não vem de nós mesmos, mas do alto. Afastem-se, portanto, de si mesmos! Não procurem o que vive entre os mortos! Não busque no seu sepulcro a vida divina. A vida dos homens está no Salvador e quem crê nele nunca morrerá!

Tradução, adaptação e redução feitas pelo Pr Silvio Dutra, de um texto de Charles Haddon Spurgeon, em domínio público.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here