Refina-a, Adoça-a e Santifica-a!

0

“A língua tem o poder de vida e de morte!” (Provérbios 18:21)
“Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça no falar, é perfeito varão, capaz de refrear também todo o corpo.” (Tiago 3:2)
A minha língua é um grande poder.
Suas palavras ferem – ou então elas curam.
São veneno – ou então elas abençoam.
Uma vez tendo sido liberadas por mim, as atiro como flechas para o ar – elas vão encontrar o seu alvo, e elas vão cumprir a sua missão .

Eu não posso recobrá-las.
Eu não posso cancelá-las e desfazê-las.
Para a felicidade ou para a desgraça – elas têm sido disparadas por mim.
Há um sentido em que as minhas palavras são minhas ações; elas atingem o máximo – de misericórdia ou de miséria, de cura ou de prejuízo – como fazem as minhas ações.
Muitas vezes minha língua tem sido um agente do mal e dor. Ela falou de modo não terno e não verdadeiro, dura ou apressadamente.
Minha língua sugeriu motivos indignos para as obras de outros. Ele ampliou seus fracassos e erros. Ela tem sido um agitador.Ela distribuiu substâncias amargas e corrosivas – em vez do favo de mel. Às vezes, tem sido a propagandista do pecado real!
Meu Senhor, consagra e guarda esta minha língua. Refina-a, adoça-a e santifica-a! Que ela ame. . .
a voz da oração,
a voz da confissão,
a voz de encorajamento,
a voz de consolo e conforto,
a voz de louvor e ação de graças!

Texto de Alexander Smellie, traduzido por Silvio Dutra.

Nota do tradutor: O autor destaca a condição da língua não santificada e o quanto ela necessita desta operação de Deus para não ser um instrumento do mal, senão do bem.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here