Não Abrindo Mão da Presença (parte 2)

0

Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos ? Tu tens as palavras da vida eterna (Jo 6:68)

Quando Jesus passou a discorrer sobre si, como o “pão da vida” que desceu do céu, muitos daqueles que andavam com ele passaram a se retirar da Sua presença. Diz as Escrituras que muitos se escandalizaram ao ouvir o discurso do Filho do Homem.
Isso porque aos seus ouvidos era “duro este discurso” .

Aliás, o começo desta mensagem em Cafarnaum começa com Jesus exortando ao povo dizendo:

“Em verdade, em verdade vos digo: Vós me procurais, não porque viste sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes” (Jo 6:26).

Que bela recepção de Jesus, não é mesmo ?

Parece engraçado, mas imagine você tomar um barco , passar algum tempo a procura de Jesus e depois de tudo, ao encontra-lo em Cafarnaum receber isso como resposta.

Tenho aprendido nesse tempo como cristão que se quisermos andar com Cristo segundo a vontade de Deus, muitas vezes não ouviremos de Sua parte apenas o que queremos, mas o que precisamos. O jovem rico que o diga.
E Isso porque Deus sabe o que precisamos realmente. A palavra de Cristo não provinha de uma sabedoria humana, mas era Espírito e Vida. Jesus de antemão sabia aqueles que criam e os que O abandonariam. Porém, havia um dentre os discípulos uma pessoa que de forma nenhuma abandonaria o mestre, seu nome era Pedro.

Pedro foi um desses que não abriu mão da presença de Deus.

Quando questionado por Jesus se lhe abandonariam também, Pedro prontamente respondeu: “Senhor, para onde iremos, se só Tu tens a palavra de vida eterna.

Nota-se nessa declaração um sentimento de apego e dependência de Deus. Na declaração seguinte vemos o porque Pedro e os demais não abandonaram Jesus. Disse-lhes Pedro: “E nós temos “crido” e “conhecido” que Tu és Santo de Deus.
Quando cremos e conhecemos o Senhor não O abandonamos por qualquer coisa.

Sabe porque muitas daqueles que estavam com Jesus O abandonaram?

Olha a declaração deles: “Não é este Jesus, o filho de José? Acaso não lhe conhecemos o pai e a mãe? Como pois agora diz: “Desci do céu ?”.

A visão carnal e terrena que tinham do Cristo foi fator determinante para aqueles que o abandonaram. Na verdade eles verdadeiramente seguiam Jesus por aquilo que ele poderia lhes dar e não pela busca por Ele e seus sinais.
Estes são os religiosos que assim como fora anteriormente no passado também hoje querem seguir Jesus. Mas não querem andar segundo a verdade, segundo a palavra de Deus, mas segundo as suas verdades.

Jesus declara em uma parábola, que muitos chamam de “semeador” a existência de 3 tipos de grupos que podem não segui-lo:

1) Os da beira do caminho – Pessoas que estão ao “pé do caminho” são aquelas de duro coração, endurecidos pelo pecado ou pela vida de sofrimento. Muitas vezes são pessoas secas que ouvem a palavra de Cristo, mas logo a desprezam, vindo o maligno logo leva a semente.

2) Os entre os pedregais – São aqueles que recebem com alegria, mas que não tem “raiz em si mesma”, logo vindo a perseguição e angústia logo se escandalizam.

3) Os entre os espinhos – E o que foi semeado entre os espinhos, este é o que ouve a palavra; mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra.

Nessa parábola vemos 3 tipos de pessoas. São os indiferentes, os inconstantes e os mundanos. Podemos dizer que esses tipos tipificam aqueles homens naturais que na verdade são carnais.

Queridos , a palavra de Deus diz:

“O homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus ,porque lhe são loucura; e não pode entende-las, porque elas discernem espiritualmente”.

A maneira e a visão que tinham de Cristo foi o fator predominante em ter abandonado. O apóstolo Paulo declara que muitas coisas não pode falar aos coríntios porque eram carnais e não espirituais.

Quando entendemos “em quem temos crido” e sabemos “quem Ele é” podemos declarar como o salmista Asafe: Quem mais tenho no céu? Não há outro que eu me compraza na terra.
Aliás o próprio Asafe declarou sobre aqueles que abandonam Deus dizendo;
“Os que se afastam de Ti, eis que perecem …. (Sl 73:27).
Os religiosos abandonaram Cristo porque eram carnais e não espirituais e porque não compreendiam quem era Cristo.
Quem conhece ao Senhor, prossegue em conhece- lo. São estes que não retornam, mas seguem adiante em busca do Alvo. Paulo diz em filipenses:
“Prossigo para conquistar aquilo que foi conquistado por Cristo, par o prêmio de sua vocação Nele.
Mas para isso é necessário esquecer do passado e para as “coisas que para trás ficam” e olhar para aqueles que que estão a nossa frente. Paulo nos ensina a andar com Cristo de acordo com que já alcançamos.

Não devemos de modo algum abrir mão de Sua presença, pois o Senhor não se agrada daqueles que retrocedem. O Senhor não se agrada daqueles que não confiam Nele. Foi o que aconteceu com o jovem rico, que preferiu confiar nas suas riquezas. Foi o que aconteceu com Judas que preferiu entregar-se a cobiça e ao diabo
Foi que aconteceu com aqueles religiosos fariseus que O abandonaram.

Devemos, portanto, priorizar estar na presença de Deus e crer que Deus é galardoador daqueles que o buscam. Crer na Sua palavra e no caminho que Ele indica.

Devemos escolher sempre o melhor caminho e andar Nele como diz o profeta Isaías:

E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.
Que possamos anelar a sua presença a cada dia, para a nossa sobrevivência , como a corsa que anseia pelas águas.

Buscando o Senhor em todo tempo, em todo lugar e a cada momento. Quer seja em casa, trabalho ou templo. E poder também declarar como o salmista:

A minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor; o meu coração e a minha carne clamam pelo Deus vivo!
Porque vale mais um dia nos teus átrios do que em outra parte mil. Preferiria estar a porta da casa do meu Deus, a habitar nas tendas da impiedade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here