Lições na Vida de Neemias

4

Texto base: Neemias capítulos 1 e 2

Lendo o início da história de Neemias podemos aprender diversas lições práticas para a nossa vida. Neemias estava em uma terra estrangeira, o povo judeu estava cativo na Babilônia e Jerusalém estava assolada, com os muros derrubados, as portas da cidade queimadas e o povo que não tinha sido levado ao cativeiro e permanecia em Jerusalém estava em miséria e desprezo.

A situação era totalmente adversa para o povo do Senhor. Mas um homem fez a diferença. Vamos ver então quais foram os atributos que tornaram Neemias um homem vitorioso diante de uma situação de caos e sofrimento.

1- Não se deixe dominar pelo desespero e pelo pavor

A primeira reação de Neemias ao ouvir as notícias do povo que havia sobrado em Jerusalém (Neemias 1:3) foi assentar-se e chorar (Neemias 1:4a). Essa reação é algo natural para uma pessoa que está passando por um momento de grande angústia e sofrimento. O choro coloca para fora a dor interna do coração, os sentimentos de tristeza e angústia e é uma reação natural do corpo para livrar-se de uma grande carga emocional. É terapêutico, alivia as tensões internas da pessoa, serve para acalmar a alma. Contudo, logo após a reação natural (chorar) Neemias mostra uma atitude nova: ele jejua e ora perante o Senhor (Neemias 1:4b).

Neemias não se deixou dominar pela tristeza, não permitiu que o desespero tomasse conta de seu coração. Ele reagiu porque sabia que seu choro não resolveria a crise que se apresentava diante dele. Apesar da tristeza, da angústia e do medo que estivesse sentindo (lembre-se que ele era um dos cativos, vivendo como escravo do rei Artaxerxes), ele não se deixou dominar por nenhum desses sentimentos.

Existem dois sentimentos que podem tornar uma pessoa derrotada antes mesmo de tentar uma solução para seus problemas: o desespero e o pavor. Se buscarmos a definição da palavra desespero em um dicionário, encontraremos, entre outras, a seguinte: “Desesperança com irritação”. Isso significa a falta de esperança na resolução de uma situação. Já a palavra pavor é “Sensação provocada por medo violento, terror”. Uma pessoa apavorada está com um medo descontrolado, está aterrorizada e isso pode cancelar todo o seu potencial criativo e de raciocínio.

Uma pessoa que se deixa dominar pelo desespero e pelo pavor pode ser derrotada diante da adversidade sem nem mesmo tentar uma solução, porque seus talentos, seus dons, seu potencial como ser criativo e racional é subjugado pelo sentimento que tomou a sua alma. Desta forma, mesmo questões simples podem tornar-se complexas e causas pequenas ficam grandes e sem solução.

Posso citar um exemplo simples que aconteceu há pouco tempo na igreja onde congrego. Durante o culto de domingo (um dos mais cheios da semana) duas irmãs que estavam no culto proporcionaram uma cena inusitada aos que estavam presentes. Uma delas se dirigiu ao seu veículo e percebeu algo errado e falou para a outra que estava na porta da igreja: “A sua bolsa foi roubada, alguém entrou no carro e levou sua bolsa”. A moça que recebeu essa notícia entrou em desespero, começou a chorar alto, bater o pé no chão, tudo isso quase na porta da igreja.

Eu, que estava próximo, pedi para uma obreira: “Por favor acompanhe a irmã para a sala de cima”. A obreira a levou enquanto eu conversava com a irmã dela que estava dentro do carro. Passados uns 3 minutos a moça que havia entrado em desespero volta, mais calma (até achei estranho ter se acalmado tão rápido) e disse uma frase que surpreendeu a todos que estavam vendo a cena: “Mas a minha bolsa eu levei para dentro da igreja, eu não deixei no carro. Está na igreja”. Percebam que, uma pessoa tomada facilmente pelo desespero, possui até mesmo seu raciocínio bloqueado por este sentimento. Ela se desesperou sem ter tido tempo nem mesmo de pensar onde a bolsa estava. E isso acontece com muita gente hoje em dia.

Neemias chorou, o que é uma reação natural, mas não se deixou tomar pelo desespero, nem pelo pavor. Ele teve autocontrole. O domínio próprio, que é um dos frutos do Espírito (Gálatas 5:22-23) se refere a dominar esses sentimentos que tentam desestabilizar nosso estado natural. Outro exemplo Bíblico de desespero é o que aconteceu com Hagar, a serva de Sara.

Quando Sara concebeu e deu à luz a Isaque, pediu para Abraão que colocasse Hagar e Ismael para fora de casa. Deus disse que Abraão podia fazer isso, pois o Senhor cuidaria do menino (Gênesis 21:10-13). Abraão deu para Hagar pão e um odre de água e ela se foi para o deserto.

Em Gênesis 21:15-16 diz que quando a água do odre acabou ela colocou o menino debaixo de uma árvore e se afastou, com medo de ver o menino morrer e começou a chorar. Ela foi dominada pelo desespero e nem se deu conta de que ali próximo havia água, pois em Gênesis 21:19 diz “E abriu-lhe Deus os olhos, e viu um poço de água”. A passagem não diz que Deus criou um poço de água, mas que o Senhor lhe abriu os olhos para que visse. O poço já existia, mas o desespero tinha cegado Hagar, que não conseguia ver o óbvio.

O desespero cega a pessoa, anula suas forças e seu potencial. Por isso não devemos permitir que esse sentimento nos domine. Devemos desenvolver o fruto do domínio próprio e acreditar sempre que para o Senhor não há impossíveis.

2- Oração e Jejum

Vamos voltar a reação de Neemias quando ouviu as notícias sobre o povo em Jerusalém, que está em Neemias 1:4: “E sucedeu que, ouvindo eu essas palavras, assentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus”.

Perceba que Neemias, logo após a reação natural (chorar e lamentar) partiu para a ação. Ele jejuou e orou, buscando estratégia em Deus para a situação de seu povo. Ele sabia que a situação era muito urgente, difícil e que ultrapassava seus limites e forças naturais. Desta maneira clamou ao Senhor, buscando força, estratégia e capacitação para realizar o que era necessário pelos seus irmãos. Depois, quando falou ao rei, novamente orou para que seu pedido fosse concedido (Neemias 2:4-6).

Se você ler todo o livro de Neemias perceberá que suas atitudes são sempre baseadas em direcionamentos de Deus, por meio de jejuns e orações. Essa é a segunda lição que podemos tirar dessa maravilhosa passagem bíblica: o homem que coloca sua vida a serviço de Deus e que segue a direção apontada pelo Senhor obterá sempre o melhor!

Confiança e obediência são dois ingredientes fundamentais para todo aquele que deseja ter uma vida abençoada, próspera e feliz. E esses dois conceitos estão interligados. Somente mostra confiança aquele que obedece e somente obedece quem confia. Não é possível haver demonstração de confiança sem obediência, nem é possível obedecer a Deus sem confiar plenamente que Ele tem o melhor para nós. Neemias orou e jejuou, depois a direção que o Senhor lhe deu, ele obedeceu.

Há um ponto interessante na história desse servo do Senhor. Em nenhum momento se vê uma revelação profética, ou uma aparição de anjos, nem mesmo uma voz vinda do céu e falando com ele. Ele recebe do Senhor a direção em seu espírito, o Espírito de Deus falando diretamente ao espírito do homem. Neemias sabia em seu coração o que necessitava ser feito, e assim agiu. Não foi preciso nenhuma experiência sobrenatural, visão de anjos, nem revelação profética. Isso mostra que não é preciso você esperar um profeta te dizer o que fazer, nem uma revelação especial de Deus para que você possa seguir em frente e enfrentar a adversidade. A maneira que o Senhor usou para direcionar Neemias é a maneira mais usual de Deus falar conosco hoje em dia também: o Espírito de Deus fala ao nosso espírito, ao nosso coração, guiando-nos no caminho certo.

Esteja atento ao que o Senhor tem direcionado você a fazer. Ouça o que o Espírito Santo está falando no seu coração cada dia, cada culto que você é ministrado, cada vez que você lê a Palavra. Ele sempre quer te guiar no caminho certo.

3- Reconheça o momento atual

Neemias ouviu a notícia dada pelo seu irmão Hanani e reconheceu o momento de crise. Ele chorou, orou, jejuou, falou com o rei, porque reconheceu a calamidade que estava sobre ele e seu povo. Ele não tentou fingir que estava tudo bem, afinal ele vivia no palácio do rei (ainda que como um servo, a situação de Neemias era muito mais cômoda do que do restante do povo, que ficou em Jerusalém). Ele reconheceu o momento de dificuldade e agiu de acordo com a exigência da situação.

Infelizmente existem muitos irmãos que não gostam de reconhecer momentos de crise e tentam viver como se nada estivesse acontecendo. Antes trabalhava em uma empresa e recebia R$ 5.000,00 de salário. Agora recebe apenas R$ 1.500,00 e tenta viver como se recebesse o mesmo salário. Pessoas que tem problemas para reconhecer uma crise, ou que não querem reconhecer esses momentos tendem a sofrer muito, pois não lidam com a situação de frente. Um irmão que recebe um salário inferior do que recebia antes e tenta manter o mesmo padrão de vida, por exemplo, estará sujeito a ficar endividado, com o “nome sujo” e até mesmo a cair nas mãos de agiotas.

Reconhecer um problema, uma dificuldade ou uma crise é o primeiro passo em direção a solução. Fugir, “esconder o sol com a peneira”, de nada adianta. Neemias viu o momento, orou, jejuou, analisou as opções e falou com o rei. Todo cristão passará, em algum momento da vida (na verdade, em vários momentos) por crises e tribulações. Foi isso que Jesus disse em João 16:33: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.”

Veja o que Paulo disse em Filipenses 4:12-13: “Sei estar abatido, e sei ter em abundância; em toda maneira e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura como a ter fome, tanto a ter em abundância como a padecer necessidade. Posso todas as coisas Naquele que me fortalece.”

O apóstolo Paulo, nessa passagem, está dizendo ao povo da igreja de Filipos que tinha aprendido a viver os momentos de alegria e de tristeza, de paz e de tribulação, de fartura e de necessidade. Cada cristão deve saber reconhecer essas fases em sua vida e lidar com elas, andando de cabeça erguida e buscando em Deus as respostas e estratégias necessárias. Também devemos sempre nos adaptar, aproveitando os tempos de fartura e vigiando nos tempos de necessidade, assim como os apóstolos e profetas faziam e está escrito na Palavra para nosso ensino.

4- Haja conforme a direção de Deus

Após reconhecer o momento atual, orar, jejuar, Neemias teve que agir. Ele se apresentou diante do rei e quando o rei viu seu semblante triste perguntou o que estava acontecendo. Então Neemias viu nisso uma oportunidade de ajudar sua nação. Ele orou novamente e pediu ao rei que pudesse reedificar os muros de Jerusalém, o que lhe foi concedido. A ousadia e a coragem de Neemias diante do soberano foi algo extraordinário e só foi obtida porque ele agia conforme a direção de Deus.

Há um momento para chorar, para orar e para agir. Devemos perceber esses momentos e aproveitá-los, seguindo o que o Senhor determinar que façamos. Se Ele disser para esperar, espere! A precipitação pode levá-lo para um abismo pior do que a situação atual. Se Ele disser para agir, fazer algo, então faça! Nunca em toda a história de Israel Deus desamparou aqueles que Nele confiaram. Pelo contrário, veja a declaração Bíblica de alguns homens a respeito da fidelidade do Senhor:

1- Do rei Davi – “Fui moço e agora sou velho; contudo nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão” Salmo 37:25

2- De Moisés – “Porque Ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade será teu escudo e broquel.” Salmo 91:3-4

3- De Daniel – “Ele revela o profundo e o escondido, conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz. Ó Deus de meus pais, eu te dou graças e te louvo, porque me deste sabedoria e força; e agora me fizeste saber o que te pedimos, porque nos fizeste saber este assunto do rei.” Daniel 2:22-23

Diante de tão grandes testemunhas da fidelidade, bondade e poder de Deus, sigamos a direção que o Senhor nos der, vamos obedecê-Lo em tudo, confiar Nele em todo tempo, ouvindo Sua voz. Agir conforme a ordem do Senhor nosso Deus é garantia de vitória, mudança de situação, bênçãos e paz.

Não fique somente orando e jejuando, haja! Quer um novo emprego, ore, jejue, acorde cedo e entregue o currículo nas empresas ou agências. Não ore, jejue e depois acorde meio dia, pois desta forma a bênção não será entregue para você ou irá demorar mais do que o necessário. Saiba que Deus não envia bênção e dá vitórias de graça para ninguém, pois Ele gosta de pessoas produtivas, esforçadas, empenhadas em atingir metas e objetivos. Por isso quando o Senhor falou com Josué, logo após a morte de Moisés, Ele disse: “Esforça-te e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.” Josué 1:6. Essa palavra serve para cada um de nós ainda hoje. O Senhor quer que você se esforce, tenha bom ânimo. O que é natural nós devemos fazer (Neemias teve que viajar, convocar o povo, dirigi-los na reconstrução dos muros) e o sobrenatural Deus se encarrega em realizar. “Tão somente esforça-te e tem mui bom ânimo…” Josué 1:7a.

Que Deus os abençoe em Nome de Jesus Cristo! Amém!


4 COMENTÁRIOS

  1. Deus tem suas formas de falar com a gente, muito boa esta mensagem só tenho que agradecer a Deus por usar você neste dia DEUS abençoe sua vida Fernando siqueira .
    fique na Paz do Senhor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here