A Igreja de nossos dias

1

Ninguém deita vinho novo em odres velhos; de outra sorte o vinho novo romperá os odres, e entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão. Lucas 5:37

Antes de continuar, seria interessante orar a Deus e pedir que Ele faça cair por terra todo espírito de religiosidade, toda opinião pré-concebida, toda preconceito, toda sabedoria humana, todo embaraço, e toda hipocrisia… e que o Espírito Santo ministre diretamente ao seu coração para que o Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador, seja glorificado!

Irmãos, há uma confusão enorme nas igrejas de Deus, e não é preciso ser teólogo para perceber isso, não é necessário ser mestre para ver a grande mistura que há do Novo com o Velho. Muitos continuam achando que receberão a aprovação do nosso Pai Celeste através da prática daquilo que está na lei, e com isso o espírito do engano e hipocrisia paira sobre a igreja e muitos vivem na ilusão dos sacrifícios, do guardar o sábado, de dizimar, de usar ou deixar de usar determinada roupa, e por aí vai…

Mas quero aqui discorrer sobre algo em especial, primeiramente quero dizer que não sou dono da verdade, mas a Bíblia é, que não sou nenhum líder religioso, e muito menos pretendo com isso causar divisão, o meu intuito é apenas de alertar conforme o que a Palavra de Deus nos ensina. Quero também de antemão ratificar que muitos ao lerem esse estudo, dirão que é bobagem; que, não sei o que estou falando; que falo isso porque sou miserável; que não tenho amor; que não tenho fé. Ou, se cair nas mãos de algum líder, e este for temente a Deus, irá pedir discernimento pra o Senhor, e então tomará uma posição em relação ao mesmo ou, se não, começará a desmentir tudo que aqui está escrito.

Deixemos as falácias de lado e vamos à palavra de Deus escrita na Carta de Paulo aos Gálatas 2:11-14, que assim diz: E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível. Porque, antes que alguns tivessem chegado da parte de Tiago, comia com os gentios; mas, depois que chegaram, se foi retirando, e se apartou deles, temendo os que eram da circuncisão. E os outros judeus também dissimulavam com ele, de maneira que até Barnabé se deixou levar pela sua dissimulação. Mas, quando vi que não andavam bem e direitamente conforme a verdade do evangelho, disse a Pedro na presença de todos: Se tu, sendo judeu, vives como os gentios, e não como judeu, por que obrigas os gentios a viverem como judeus?

Percebe-se que há uma diferença de opiniões aqui. Os judeus que se convertiam a Jesus queriam continuar seguindo os mandamentos do Antigo Testamento, ou seja, guardando o sábado, dando o dízimo, circuncidando seus filhos etc. Tudo isso tinha valido para Israel, mas agora eles eram Igreja de Cristo. A carta aos Gálatas é uma carta dura, porque os próprios cristãos da Galácia tinham caído nesse engano de acreditar que a salvação vinha pela obediência aos mandamentos. Aqui Paulo conta como repreendeu particularmente o apóstolo Pedro por agir com hipocrisia. Pedro conhecia a verdade e entendia a diferença, mas com medo de desagradar os judeus convertidos que insistiam na manutenção da velha ordem de coisas, Pedro se afastava de seus irmãos gentios quando seus irmãos judeus estavam por perto. E ainda por cima queria obrigar os gentios a viverem como judeus quando ele próprio, Pedro, já não vivia mais assim.

Pedro era um homem como qualquer um de nós; não tinha nada de infalível e estava sujeito às mesmas fraquezas e hipocrisias às quais eu e você estamos sujeitos. Você já mandou alguém viver de determinada maneira quando você mesmo não vivia assim? Eu também e Pedro idem. Portanto, se tiver que olhar para alguém como seu exemplo, olhe para Jesus. Esse nunca falhou. Esse nunca foi hipócrita. Esse nunca decepcionará você.

O apóstolo Paulo faz uma pergunta interessante aos Gálatas: Gostaria de saber apenas uma coisa: foi pela prática da lei que vocês receberam o Espírito, ou pela fé naquilo que ouviram? Gl 3:2 – Ao analisarmos este verso, percebemos que a única maneira do homem se reconciliar com Deus é através da fé e não pela prática da lei; O Espírito Santo repete esse pensamento em Hebreus 11:6 “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam”. Ora, está evidente que a fé mais do que necessária para agradar a Deus, a fé que transforma o nosso coração fazendo-nos amar como Deus pede, pois, ela muda o nosso pensar, sem ela é impossível amar verdadeiramente. Em outro versículo, lemos já os que são pela prática da lei estão debaixo de maldição, pois está escrito: “Maldito todo aquele que não persiste em praticar todas as coisas escritas no livro da Lei”. Gl 3:10 – Ao afirmar isso o apóstolo não está inibindo a lei, o que ele quer dizer é que se tivermos que viver por ela, devemos praticar todos os mandamentos, se deixarmos apenas um de fora seremos condenados. Ele vai mais afundo no versículo “Vocês, que procuram ser justificados pela lei, separaram-se de Cristo; caíram da graça” Gl 5:4, observem irmãos o que afirma-se aqui: quem tenta ser justificado pela lei está separado de Cristo; quando nos julgamos justos por praticarmos a lei estamos dispensando o sacrifício de Cristo, e isso nos leva pra um caminho escuro e cheio de armadilhas.

Que sejamos livres, mas, livres para fazer aquilo que Deus quer e não a vontade de homens! “Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne; pelo contrário, sirvam uns aos outros mediante o amor” Gl 5:13, muitas pessoas confundem vícios da carne com liberdade, acham que fazer o que bem entendem significa ser livre, quando na realidade estão presos às próprias paixões, totalmente acorrentados pelo inimigo.

Um parêntese que abro aqui, é o fato de que muitos estão indo à igreja para receber bênçãos terrenas, glórias deste mundo, o que mais se ouve hoje em dia é sobre prosperidade; riqueza não é irmão? Quem não quer ser rico? Dinheiro, dinheiro, dinheiro… Doutrina de satanás, é isso mesmo, olha o que Paulo diz em Gl 6:8: “Quem semeia para a sua carne, da carne colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna”, irmão, acorda!!! O apóstolo fala de destruição, destruição é treva, inferno, morte, é tudo que o inimigo quer, que nos percamos com as glórias terrenas. Não estou afirmando que devemos virar mendigo, ou deixar de trabalhar, não é isso, mas, devemos parar de agir dessa forma: ah, eu vou ofertar porque Deus vai abençoar pra eu ganhar mais, ou vou fazer isso porque vão me aplaudir; nossa como somos cegos e medíocres, quem semeia carne colhe a destruição, mas quem semeia em Cristo colhe a vida eterna.

Veja alguns versículos: Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde. Gálatas 2.21 – A justificação pela lei anula o sacrifício de Cristo e este, cumpriu toda a Lei: “Porque o fim da lei é Cristo para a justiça de todo aquele que crê” (Romanos 10.4).

Há um juiz para quem me rejeita e não aceita as minhas palavras; a própria palavra que proferi o condenará no último dia. João 12,48

Ai de vós, doutores da lei, que tirastes a chave da ciência; vós mesmos não entrastes, e impedistes os que entravam. Lucas 11:52

Examinai-vos a vós mesmos, se permaneceis na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não sabeis quanto a vós mesmos, que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados. 2 Coríntios 13:5

Para facilitar a compreensão do que ainda será comentado nesse estudo, algumas perguntas podem ser usadas. E serão respondidas ao longo do texto com a respectiva numeração entre colchetes [ ].

1 – O dízimo faz parte da lei, na antiga aliança?

2 – Porque a grande maioria das igrejas evangélicas cobram dízimo?

3 – Há liberdade religiosa em tal prática?

4 – Que amparo tem essa prática no Novo Testamento?

5 – O que o nosso Salvador diz sobre o assunto? …

6 – E as promessas feitas ao nosso antepassado Abraão, como receber? …

7 – A igreja encontrada no livro de Atos dos apóstolos era dizimista?

8 – Quais as alegações feitas por parte liderança que exige isso dos congregados?

9 – Há demônio que só saia com pagamento do dízimo?

10 – Deixarei de ser abençoado por Deus se não pagar?

Responder a todas essas perguntas é com toda certeza de grande responsabilidade, mas, certamente o Espírito Santo nos ajudará a compreender melhor o assunto, e disponibilizará um bom entendimento para a sua verdade. Não quero deixar aqui minha opinião, mas uma revelação da Palavra de Deus, e para isso usarei vários textos bíblicos, da tradução ACRF, encontrada no site: www.bibliaonline.com.br

De acordo com o vocabulário encontrado na Bíblia NTLH da SBB, edição 2001, a palavra DÍZIMO significa: décima parte, tanto das colheitas como dos animais, que os israelitas ofereciam a Deus (Levítico 27:30-32) e que era usada para sustento dos levitas (Números 18:21-24), dos estrangeiros, dos órfãos e das viúvas (Deuteronômio 14:29 e 26:12). E o significado de Levita: Membro da tribo de Levi que ajudava os sacerdotes nos serviços da Tenda Sagrada (Números 3:5-13) e, depois, do Templo (2 Crônicas 8:14).

 

Vamos a Palavra de Deus: [1] E os que dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo, isto é, de seus irmãos, ainda que tenham saído dos lombos de Abraão. Hebreus 7:5 – Creio que esse versículo é o suficiente para responder a primeira pergunta. Nem se faz necessário comentário, a palavra é poder e ela não volta vazia! Dízimo é *Lei. Há dois concertos na Bíblia, a lei dada por Moisés e a graça trazida por Jesus, a primeira (a lei) imposta por Deus aos pecadores injustos e que foi plenamente cumprida por Cristo, a segunda (a graça) dada gratuitamente aos homens que aceitaram a justiça de Deus somente pela fé em Jesus Cristo. “Uma não pode conviver com a outra senão quebra o concerto e anula as promessas que é somente pela fé”. Não se põe *vinho novo em odres velhos, nem se costura um remendo novo em roupa velha.

O Pentateuco são os cinco livros do judeu, onde se encontram as leis de Moisés impostas por causa do pecado que não se pode usar na Graça, são eles: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, e Deuteronômio, vejam bem, são as leis e os mandamentos que não se pode usar, e não o conhecimento contido neles.

[2] De todas as denominações que tive a curiosidade de observar, apenas uma não faz exigência daquilo que está no Velho Testamento. Não estou aqui defendendo nenhuma denominação, pois sei que todas acabaram se afastando dos princípios trazidos pelo nosso Senhor Jesus Cristo, do contrário não existiria esse monte de denominação, mas, me intriga Saber que a quase totalidade ensina algo, que é da Lei, como sendo um ato de amor ou pior ainda: como sendo necessário para receber bênção de Deus. Por quê?

A maioria dos teólogos contradizem as Escrituras Sagradas, uns por ignorância da palavra de Deus, outros por astúcia (Judas 1:16), tendo o pretexto maligno de usar injustamente o dízimo (da lei cerimonial) que era obrigação para os judeus colocando-o indevidamente na graça quebrando o concerto, pois a obra do Senhor é voluntária, mudando a verdade de Deus em mentira, como se o dízimo não estivesse na lei. Outros, certamente o fazem para querer se achar justo aos olhos de Deus (Atos 8:20). Ou ainda por medo do orçamento da entidade religiosa diminuir, porque pouquíssimos irmãos sabem ofertar.

No livro de Gêneses, no capítulo 1 e versículo 26, está escrito: E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. Observe que Deus afirma domine sobre peixes, aves, gado, réptil e toda a terra, mas, não afirma: domine sobre outro homem. Sendo assim:

[3] Liberdade Religiosa é a isenção do homem da dominação por outros, ou de circunstâncias limitadoras; a liberdade do homem para fazer suas escolhas e decidir sua conduta por si mesmo, espontaneamente e voluntariamente; em seu dever para com o seu Criador, e no modo de desincumbir-se desse dever. Uma vez que Deus criou o homem, na natureza das coisas, o primeiro de todos os relacionamentos é aquele que se tem com Deus; e o primeiro de todos os deveres não poderia ser nada mais que o dever para com DEUS. Isso não é o que vemos em nossas igrejas!

Para visualizar de uma maneira geral o assunto no Novo Testamento, fiz uma busca no site www.bibliaonline.com.br para a palavra dízimo, e o resultado encontrado foi de apenas três vezes nos evangelhos (Mateus 23:23 idem a Lucas 11:42; e Lucas 18:12), e mais quatro vezes na carta aos Hebreus. Vamos por parte analisar o que está nos evangelhos.

[4] – Mateus 23:23 – Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas. Vejam que aqui, Jesus dar uma dura nos fariseus, porque eles dizimaram, e por isso se acharam justos, e o mais importante da lei, eles desprezavam. Aí vai aparecer alguém e dizer: Mas, ele disse pra não omitir o dízimo! Certo, disse mesmo. Mandou entregar o dízimo, da mesma forma que mandou o leproso curado apresentar ao sacerdote a oferta que Moisés determinou (Mateus 8:4), pois o seu sangue ainda não tinha sido derramado, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo ainda não havia sido morto, Ele, Cristo. O próprio Jesus Cristo foi circuncidado aos oito dias para se cumprir o que na Lei está escrito, Ele veio cumprir a *Lei, e a cumpriu inteiramente… e hoje podemos afirmar que através *Dele, somos justificados, através do seu Espírito podemos afirmar, Aba Pai (Romanos 8:15), e crendo *Nele podemos afirmar que somos salvos (João 5:24).

[4] – Lucas 18:12 – Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. Se pegarmos o versículo isolado, certamente iríamos entender tudo errado, mas veremos o contexto: aqui, Jesus cita uma parábola aos que confiam em si mesmo, usando como exemplo dois homens, um fariseu, e um publicano. O primeiro estava cheio de si mesmo, e orava dando graças porque não era ladrão, nem injusto, nem adúltero, fazia jejum, dava dízimo, enfim, ele era o bom aos próprios olhos; o segundo, nem sequer levantava os olhos pra o céu, porque se reconhecia pecador, e dizia: Deus, tem misericórdia de mim, pecador!. Jesus afirma que o segundo saiu justificado e não o primeiro, olha que contraste, Jesus diz que aquele que se exalta será humilhado, e qualquer que se humilha será exaltado. Não é diferente nos dias atuais. O que vemos por aí? Pessoas que tem uma vida bem distante de Jesus Cristo, pode muito bem afirmar: eu sou fiel, pago dízimo. Ou, quando alguém estar em pecado sendo dizimista pode-se ouvir: fulano? não acredito? dizimista fiel, fazendo isso? Não? Não pode… Como se a entrega do mesmo fosse o principal fator para se ter comunhão com Deus. Santa inocência!

Resumindo: o dízimo não tem amparo bíblico nos evangelhos.

[5] O que me intriga mais ainda é o fato de que pregam o dízimo como se este fizesse parte da nova aliança, como se este fosse uma obrigação nossa, o próprio Jesus Cristo no evangelho de Mateus 17:25 pergunta pra Pedro: – Simão, o que você acha? Quem paga impostos e taxas aos reis deste mundo? São os cidadãos ou os estrangeiros? No que Pedro responde: – os estrangeiros! Então Jesus afirma: – Certo, isso quer dizer que os cidadãos não precisam pagar. Está evidente de que Jesus fazia referência também ao dízimo, pois este não deixa de ser um imposto, uma lei, uma taxa (10%), quando *Ele diz cidadãos, está se referindo a nós, que temos a graça, que fazemos parte do seu corpo, da sua igreja, que o temos como nosso Salvador e recebemos seu Espírito. Você é cidadão dos céus ou estrangeiro?

Abraão, o patriarca da fé, é um bom exemplo a ser citado nesse assunto, pois, Deus fez grandes promessas a ele e seus descendentes, e muitos estão por aí querendo imitá-lo, mas, pergunto-vos: Quem é maior: Abraão ou Jesus Cristo? Em que é baseada sua fé: Naquilo que Abraão fez? Ou naquilo que Cristo fez?

[6] Na carta aos Hebreus, a palavra aparece no capítulo 7, nos versos 2;4;5 e 8, e se faz necessário a leitura de todo o capítulo para compreensão daquilo que o Espírito Santo quis no dizer através do autor, ou do contrário, iremos distorcer a mensagem. O capítulo fala de dois tipos de Sumos Sacerdotes, o primeiro tipo são os descendentes da tribo de Levi, que conforme a *Lei de Moisés têm a obrigação de receber do povo a décima parte de tudo (Hebreus 7:5), e o segundo, o nosso Senhor Jesus, o sacerdote *Eterno, da ordem do sacerdócio de Melquisedeque e não da ordem de Arão (Hebreus 7:5), que por nascimento pertencia à tribo de *Judá (Hebreus 7:14). Ora, o capítulo também fala da necessidade de mudança da lei quando o sacerdócio também é mudado (Hebreus 7:12), e afirma também acerca da imperfeição do trabalho dos levitas (Hebreus 7:11) e da sua fragilidade (Hebreus 7:18-19). Se atentarmos para o capítulo 6:14-15, e 6:19-20 veremos que a nossa esperança no *Grande Sacerdote, é que mantém firme nossa vida, e que a mesma passa pela cortina do templo do céu e entra no *Lugar Santíssimo Celestial. Foi lá, que para o nosso bem, Jesus entrou antes de nós, e é isso que nos faz herdeiros das promessas. Veja o que está escrito em Hebreus 10:20-23: por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo. Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus. Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e tendo os nossos corpos lavados com água pura.

Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois aquele que prometeu é fiel. (NVI).

[7] Sabendo que não encontraria a palavra dízimo em Atos dos Apóstolo, pedi que Deus me mostrasse algo que pudesse compartilhar nesse documento, e me chamou muita atenção o que está escrito em Atos 10:1-4, que diz: Havia em Cesaréia um homem chamado Cornélio, centurião do regimento conhecido como Italiano. Ele e toda a sua família eram piedosos e tementes a Deus; dava muitas esmolas ao povo e orava continuamente a Deus. Certo dia, por volta das três horas da tarde, ele teve uma visão. Viu claramente um anjo de Deus que se aproximava dele e dizia: “Cornélio! “Atemorizado, Cornélio olhou para ele e perguntou: “Que é, Senhor? ” O anjo respondeu: “Suas orações e esmolas subiram como oferta memorial diante de Deus.

Parece claro o que a Bíblia nos ensina? Ou não? Detalhe: Jesus aprova quem oferta com amor seja fazendo caridade conforme o texto acima ou ofertando em uma instituição religiosa (ver Lucas 21:1-4), mas esse é um outro assunto – a obra precisa ser mantida, por isso, oferte com amor, não como por obrigação, nem pra aparecer (Mateus 6:2); nem dando apenas o troco que recebemos depois de uma compra, nem para ser abençoado, nem pra querer se justificar, ou pra ser próspero, apenas por amor à obra de Deus.

[8] As desculpas mais comuns são: De que o devorador vai consumir tudo que você ganha; de que você será grandemente abençoado se for fiel (em relação ao dízimo); você precisa restaurar o seu altar com Deus; se você não obedecer não vai conseguir; se você não dizimar Deus não vai te abençoar; o pregam o que está em Malaquias; e pregam as promessas feitas a Abraão, e que ele deu o dízimo; podem até mesmo dizer que não querem sua oferta, querem é obediência! E com isso tudo vão conseguindo manter aquilo que Cristo já cumpriu, como já vemos!

[9] Existe um demônio chamado de deus do Dinheiro (Mamom), que esse é perigoso, só sai com pagamento. Realmente, Jesus Cristo, o nosso Senhor e Salvador falou de uma casta de demônios mais perigosa, que não sai fácil não, só sai com pagamento, certo? Errado! Este tipo de demônio só sai com oração e jejum, veja:

E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com oração e jejum. Marcos 9:29. Ah, é com oração e jejum pelo poder do nome do Senhor Jesus!

[10] – Quer salvação? Creia! E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. Atos 16:31 – Existe bênção maior que esta? Você crer no Senhor Jesus? Ou crer em si mesmo?

Quer bênção? Peça! Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á. Mateus 7:7 – Você crer naquilo que o Senhor falou, e fez questão de deixar registrado? Ou crê naquilo que te falam por aí? Por acaso Jesus é mentiroso? Nunca, Ele é a própria Verdade! Quer mais bênção? Peça! Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. João 15:7 – Onde você está fincado? Na videira verdadeira? Ou em uma religião? Se for em Cristo, poderá pedi qualquer coisa! Isso é tremendo! Quer mais bênção? Fique com Jesus! Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Romanos 8:32

Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento. Romanos 11:29, mas lembrem-se do que Cristo ensinou: Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? Mateus 6:31.

Queridos, o nosso Deus é tremendo e sabe todas as coisas! Por isso, fez questão de deixar registrado tudo aquilo que era necessário para que compreendêssemos sua vontade… Só precisamos pedi-lo revelação da sua palavra! Peça, e Deus se revelará a você! Deus não pode ser entendido por homem nenhum sem que *Ele mesmo se manifeste.

Que o Espírito Santo nos guie no seu caminho e nos abra os olhos para a sua verdade, a verdade de Cristo Jesus, nosso Senhor.

Amém!


1 COMENTÁRIO

  1. meu querido vc conseguiu falar um monte de besteira, até falou algumas coisas certas, Deus não revogou a lei, se vc não gosta de dar o dízimo é problema seu com Deus, mas não prega coisa errada, Deus pode cobrar de vc.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here