Um Remédio Simples

0

Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

“Pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Isaías 53.5)

Desde a queda no pecado, a cura tem sido a principal necessidade da humanidade. Não havia nenhum médico no Paraíso, mas no próprio Éden, cresciam ervas que devem ter servido como medicamentos para o corpo do homem. Antes que o pecado entrasse no mundo, e a doença que é a consequência disto, Deus criou as plantas de eficácia potente para aliviar a dor e para curar as doenças. Bendito seja o Seu nome, enquanto que, consciente da necessidade de cura do corpo, Ele não tinha esquecido a mais horrenda doença – a da alma – porque Ele preparou para nós uma planta de renome, que produz um bálsamo muito mais eficaz do que o de Gileade! Isto Ele tinha feito antes que a praga do pecado tivesse nos infectado. Cristo Jesus, o verdadeiro Remédio dos filhos dos homens, foi ordenado de antemão para curar as doenças do Seu povo.

Em toda parte, da presente hora, nos encontramos com uma ou outra forma de doença. Nenhum lugar, embora saudável, está livre de doenças. Assim como a doença moral está em torno de nós e nós somos gratos porque o remédio está em toda parte ao nosso alcance. O Médico Amado preparou um medicamento de cura que pode ser alcançado por todas as classes, que está disponível em todos os climas, a cada hora, em qualquer circunstância e é eficaz em todos os casos onde ele é recebido. A cura do Evangelho é tão simples que o nosso texto assim o descreve, “Pelas Suas pisaduras fomos sarados.”
Estas palavras contêm a medula do Evangelho. São palavras para as pessoas simples e nelas não há nenhuma afetação de mistério.

Doenças não são curadas pela eloquência! Foi um dia mau em que a retórica penetrou na Igreja de Deus e os homens tentaram fazer do Evangelho um assunto para a oratória. O Evangelho não precisa de eloquência humana para recomendá-lo!
“Pelas Suas pisaduras fomos sarados.” Estas são palavras tristes. Elas fazem parte de uma música triste que pode ser chamada de “o Requiem do Messias.” Ouça suas notas solenes:

“53.4 Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.
________________________________________
53.5 Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
________________________________________
53.6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.
________________________________________
53.7 Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.
________________________________________
53.8 Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem, quem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por causa da transgressão do meu povo, foi ele ferido.
________________________________________
53.9 Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca.
________________________________________
53.10 Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando der ele a sua alma como oferta pelo pecado, verá a sua posteridade e prolongará os seus dias; e a vontade do SENHOR prosperará nas suas mãos.
________________________________________
53.11 Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniquidades deles levará sobre si.” (Isaías 53.5-11)

Você não sente que esta música tão ternamente tem tocado o seu coração à piedade e umedeceu os seus olhos com lágrimas? “Pelas Suas pisaduras fomos sarados.”
Esta não é a salmoura de aflição, mas ainda é sal com tristeza. O sol não é eclipsado, mas ele brilha através de uma nuvem. Ninguém lê o sentido interior dessas palavras sem sentir dor na alma. Isto é provocado pelo fato de as palavras implicarem a existência de doença e falarem de grande sofrimento ligado ao remédio. “Pelas Suas pisaduras fomos sarados. Este “nós”, abrange em si todos os santos e, portanto, é claro que todos os santos precisavam de cura. Aqueles que estão hoje diante do Trono de Deus, sem mácula, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante, uma vez foram tão imundos como os leprosos que foram expulsos do acampamento de Israel!

Enoque, Noé, Abraão, Jacó, Davi, Elias, Ezequias, Daniel, todos eram doentes da enfermidade maldita do pecado. Todo os excelentes da terra entre nós, agora que foram salvos pela graça soberana eram herdeiros da ira, como os demais, formados em iniquidade e concebidos em pecado, como o restante da humanidade! Há uma confissão aqui, por implicação, de todos os que são lavados no sangue de Jesus, de que eles precisavam se lavar – de todos os que são curados pelas suas pisaduras – aqueles eram extremamente doentes com o pecado.

Esta confissão é verdadeira. Todo filho de Deus irá juntar-se a ela e aquele que conhece melhor a si mesmo o fará com maior ênfase. Estávamos tão doentes que nada poderia ter-nos curado, senão o precioso sangue restaurador de nosso querido Senhor e Salvador Jesus Cristo.
“Pelas Suas pisaduras fomos sarados.” Nosso Senhor foi, por assim dizer, reduzido a uma massa de hematomas e foi feito um grande hematoma. Pelo sofrimento que essa condição indica somos salvos.

Nosso texto faz alusão, em parte, aos sofrimentos do Seu corpo, mas muito mais às agonias da Sua alma. O corpo de nosso Senhor e Salvador estava machucado na cruz. A flagelação sob a lei judaica sempre foi moderada pois havia uma pausa feita em um ponto que a misericórdia havia designado. Trinta e nove chibatadas eram tudo o que poderia ser dado. Mas o nosso Senhor não foi flagelado de acordo com a lei judaica – ele foi açoitado por Pilatos e os açoites dos romanos eram particularmente brutais. O Salvador sofreu uma flagelação que se destinava a ser um substituto para a morte – “Eu vou açoitá-lo e soltá-lo”, disse Pilatos, mas ao invés de ser um substituto para a morte tornou-se um prelúdio para ela.

Mas isso não era nada comparado com o fato de que Ele foi ferido por Deus! Oh, que palavra é essa! Se Deus fosse colocar o dedo sobre qualquer um de nós esta manhã, apenas o dedo, seríamos atingidos com doença, paralisia, sim, e morte! Então, pense em Deus ferindo! Deus deve atacar o pecado onde quer que Ele o veja, é justo que ele assim o faça porque é uma parte essencial da natureza de Deus que Ele deve esmagar o pecado.
Então, quando ele viu o nosso pecado colocado sobre o Seu Filho, o feriu com tal intensidade que o Seu Filho gritou: “Meu Deus, Meu Deus, por que me desamparaste?” Ele estava levando, naquele momento, todos os golpes de esmagamento dessa grande espada da vingança divina sobre a qual lemos nos profetas, “Desperta, ó espada, contra o meu pastor, e contra o varão que é o meu companheiro, diz o Senhor.”

“Pelas Suas pisaduras fomos sarados.” São também palavras alegres, porque eles falam de cura. “Nós somos curados.” Compreendam estas palavras, oh amados, de que a cura lhes foi dada no dia em que Jesus Cristo morreu na cruz. No momento em que Cristo expirou, todos os seus eleitos poderiam ter dito, “Nós estamos curados!” Pois, a partir desse momento os seus pecados foram extirpados – uma completa expiação foi feita para todos os escolhidos! Cristo havia dado Sua vida por suas ovelhas!
“Pelas Suas pisaduras fomos sarados”, ou melhor, “fomos sarados”, pois as palavras estão no passado, no original hebraico. Meu pecados – eles deixaram de ser há séculos! Minhas dívidas, meu Salvador as pagou antes de eu ter nascido e pregou a conta liquidada na Sua cruz, e eu posso vê-la lá! A letra de ordenanças que era contrária a nós, Ele tirou e pregou-a na cruz.

Eu posso vê-la, enquanto eu leio a longa lista de meus pecados, mas eu vejo no fundo: “O sangue de Jesus Cristo, seu Filho nos purifica de todo pecado.” Estou absolvido diante de Deus e assim cada crente em Jesus! “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus?”
Jesus perdoa todas as nossas iniquidades, Ele cura todas as nossas doenças. Amado, se você foi curado de qualquer pecado, no entanto a infecção tem se espalhando, voe para as feridas de Jesus! Esta é a única maneira de se livrar da paralisia do medo, da alavanca da luxúria, das bolhas doloridas do remorso, ou da lepra da iniquidade! Suas chagas são o único remédio para a transgressão.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here