A Recompensa dos Justos

PROPAGANDA
PROPAGANDA

Citações de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

“E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;
E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.
Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;

Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.” (Mateus 25.31-36)
Muitos cristãos procuram uma recompensa presente para o seu trabalho. Como os discípulos que retornaram dizendo: “Senhor, até os demônios se sujeitam a nós”, e se alegraram muito exclusivamente na presente prosperidade – não considerando que o Mestre lhes disse: “No entanto, alegrai-vos porque os vossos nomes estão escritos nos céus.” O sucesso no ministério não é a verdadeira recompensa do ministro cristão porque os galardões estão no futuro. Você não deve olhar para o louvor de seus colegas como sendo o reconhecimento da excelência, pois muitas vezes você vai deparar-se com o reverso – você vai encontrar as suas melhores ações e motivos mal interpretados.
Se você está procurando a sua recompensa aqui eu posso avisá-lo com as palavras do Apóstolo: “Se nossa esperança é somente para esta vida então somos de todos os homens o mais miserável.” Porque outros homens obtêm aqui a sua recompensa – até mesmo o fariseu como nas palavras do Senhor: “Em verdade, eu vos digo: já receberam sua recompensa” – mas não temos nenhuma aqui.

“Quando o Filho do homem vier em Sua glória”, então é a sua hora de ser recompensado – não hoje, nem amanhã, nem em qualquer momento neste mundo! O apóstolo Paulo discorre sobre isto e conclui: “Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor.” (I Cor 4.5)
“Quando o Filho do Homem vier na sua glória.” Então será o momento da recompensa.
O próprio rei deve dizer: “Muito bem, servo bom e fiel.” O próprio Rei dirá as vocês: “Vinde, benditos.”

Mas eu quero que você observe uma circunstância particular no que diz respeito ao tempo da recompensa. É quando Jesus deve separar as ovelhas dos cabritos. Minha recompensa, se eu sou um filho de Deus, não pode vir a mim enquanto eu estiver em união com os ímpios. Mesmo na terra você vai ter um maior desfrute de Cristo quando você estiver mais separado do presente mundo! Fique tranquilo, porque embora o caminho separado e estreito não pareça ser fácil – e ele certamente vai implicar para você perseguição e a perda de muitos amigos – mas é a caminhada mais feliz do mundo!
Mas agora, voltando-se para as boas-vindas proferidas pelo Juiz, a primeira palavra é “Vinde”. É o símbolo do Evangelho. A Lei disse: “Vá”. O Evangelho diz: “Vem”. Uma vez que Jesus disse: “Vinde”, nós aprendemos que a verdadeira essência do Céu é a comunhão.

Então, “Vinde, benditos”, é uma declaração clara de que isto é um estado de felicidade. Eles não podem ser mais abençoados do que eles são!
Sua bem-aventurança, você percebe, não vem de qualquer alegria secundária, mas da grande Fonte primária de todo o bem. “Vinde, benditos de meu Pai.”
A expressão ”possuir por herança” do texto importa plena posse e usufruto. Eles têm herdado em certo sentido antes, pela promessa, mas agora como um herdeiro, quando chega à maturidade, entra na plena possa da herança.
A palavra “reino”, indica a riqueza da herança dos santos. Não se trata de uma propriedade mesquinha e obscura, pois o Senhor fala em se herdar um reino. “Ele nos fez reis e sacerdotes para Deus.”

É um reino preparado – e tem sido assim por um longo tempo preparado, e Aquele que o prepara é maravilhosamente rico em recursos – que não podemos possivelmente conceber quão excelente deve ser!
“Preparado desde antes da fundação do mundo.” Aqui está a eleição eterna diante dos homens que foram criados, pela preparação de uma coroa antes que as cabeças fossem criadas para usá-la!

As pessoas que devem ser chamadas para o lado do Rei, são reconhecíveis por um segredo e por um caráter público. O nome deles é – “benditos de meu Pai” – o Pai os escolheu, deu Seu Filho para eles, justificou-os por meio de Cristo, preservou-os em Cristo Jesus, adotou-os na família – e agora os recebe em Sua própria casa.
Eles são distinguidos entre os homens pelas obras de caridade, e estas não estavam em qualquer maneira associadas com cerimônias ou observâncias externas. Não é dito que eles pregaram – não é dito que oraram – eles devem ter feito isso ou eles não teriam sido espiritualmente vivos.

As ações que são selecionadas como a sua natureza são ações de caridade para os indigentes e abandonados. Por que isso? Acho que é porque a audiência geral montada ao redor do Trono saberia como apreciar esta evidência de sua natureza recém-nascida. O rei poderia pensar mais em suas orações do que em suas esmolas, mas a multidão não o faria. Ele fala assim como para ganhar o veredicto de todos os reunidos. Mesmo seus inimigos não poderiam se opor aos que foram chamados e que foram abençoados por causa dessas ações. E se há uma ação que ganha o consentimento universal dos homens, esta é uma ação pela qual os homens seriam servidos. Contra isto não há lei.
Eu nunca ouvi falar de um Estado em que não houvesse uma lei para vestir os nus e alimentar os famintos. A humanidade, mesmo quando sua consciência está tão a ponto de não pode ver o seu próprio pecado, ainda detecta a virtude de se alimentar os pobres. Sem dúvida, esta é uma das razões por que foram selecionadas essas ações. E, ainda, elas podem ter sido escolhidas como evidências da graça divina, porque, como ações, são um maravilhoso meio de separação entre o hipócrita e o verdadeiro cristão.

“Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.”
Todavia, lembremos, se alguém dissesse: “Eu vou viver além de meus meios, a fim de obter um bom caráter”, ou “vou doar além do que posso”, meus queridos irmãos, vocês estão errados. A ação em si é errada. O que você tem que dar deve ser o que é seu próprio e dentro da sua capacidade.

Não será por suas ações que você será salvo – você deve ir primeiro ao Senhor Jesus Cristo e olhar para Ele para ser salvo! Você deve sempre renunciar a toda ideia de fazer qualquer coisa para salvar a si mesmo! Mas sendo salvo, será capaz de dar aos pobres, e assim sem egoísmo, terá uma recompensa da graça divina para a oferta de amor que você deu. É necessário confiar em Jesus e ser, mesmo, totalmente salvo pela graça, antes que haja qualquer valor em alimentar os famintos ou vestir os nus.

PROPAGANDA
PROPAGANDA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here