A Palavra Que é Alimento

0

“Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.” (Mateus 4.4)
Por que o nosso espírito vive de toda palavra que sai da boca de Deus?
Porque assim como o pão é alimento para a vida do corpo, a palavra de Deus é o alimento da vida do espírito.

Em relação a Deus, a Sua palavra é muito mais do que simples definição de objetos e realidades, pois somos informados que tudo foi criado por Ele mediante a expedição de Sua palavra de ordem.
Ele ordenou: “haja luz” e a luz foi criada. E assim se fez em todos os atos da criação. Vemos então, que a palavra é a expressão operativa da Sua vontade e poder.
Isto foi visto no ministério terreno de Jesus quando operou milagres, expulsou demônios, e acalmou a fúria do mar, pelo simples uso da sua palavra de ordem. Deus possui, portanto o poder de dar à Sua palavra uma faculdade operativa e criativa.
Por isso, Jesus afirma que Suas palavras são espírito e vida, e o apóstolo Pedro reconheceu que eram de fato, palavras de vida eterna.

Se lermos a Bíblia ou a ouvirmos sendo pregada e ensinada, com espirito de reverência e devoção, com certeza a fé será despertada e tornará a palavra lida ou ouvida, em espírito e vida para nós, pela ação do Espírito Santo em nossas mentes e corações. Isto ocorre, porque as Escrituras foram produzidas pela inspiração do Espírito Santo. Elas possuem a vida que nelas foi insuflada pelas verdades ensinadas e reveladas pelo Espírito.
Essas verdades enchem a alma de vigor, paz e alegria. Elas renovam a mente e santificam a vida. Elas elevam o espírito à presença de Deus e o modelam à semelhança do caráter de Cristo.

São palavras puras, poderosas, celestiais, espirituais e divinas. Elas inspiram bons sentimentos e propósitos. Inclinam o espírito a amar a Deus e ao próximo.
A elas, assim se expressou o salmista:
A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples.
Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos.
O temor do Senhor é limpo, e permanece para sempre; os juízos do Senhor são verdadeiros e inteiramente justos.
Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o que goteja dos favos.
Também por eles o teu servo é advertido; e em os guardar há grande recompensa.” (Salmo 19.7-11)

Ele havia aprendido e reconhecido a qualidade de vida que é achada na Palavra de Deus, quando observada e praticada por nós.
Quando a nossa conversação se afasta do padrão divino estamos em sério perigo, pois é por nossas palavras que somos condenados ou justificados.
A boca fala do que está cheio o coração. Nossa conversação revela o que somos de fato em nosso interior. Palavras fúteis procedem de um coração fútil. Palavras amargas, de um coração amargo. Palavras impuras, de um coração impuro.
Então, pela torpeza do falar se conhece a torpeza do nosso interior. Precisamos da lavagem de purificação pela Palavra de Deus, para que o nosso coração seja feito uma fonte da qual procedam palavras abençoadoras e edificadoras.
Você pode ler os versículos bíblicos contendo destacadas as palavras:
1 – rhema (grego) – palavra;
2 – logos (grego) – palavra; relativas ao assunto, acessando o seguinte link:

http://palavrasnooriginal.blogspot.com.br/2015/11/palavra.html

Pr Silvio Dutra


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here