Lutas Ferrenhas

0

Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

“Vivifica-me segundo a tua benignidade; assim eu guardarei o testemunho da tua boca.” (Salmo 119.88).

Quando Davi escreveu esta parte do Salmo, ele estava, evidentemente, acossado por muitos inimigos que queriam destruí-lo. E é extremamente importante notar qual parte de si mesmo ele guardava com maior cuidado. Qual parte de sua natureza ele considerava como a mais importante? Onde é que ele mantinha o escudo para que pudesse ser protegido dos dardos do inimigo? Observamos que a sua oração é muito pouco sobre o seu corpo ou os seus interesses temporais. Como os outros homens, ele desejava ser preservado em vida e mantido em prosperidade, mas sua principal oração não é sobre esses assuntos. Evidentemente, seu pensamento principal é a respeito de sua alma, seu caráter, sua adesão à Palavra de Deus, à sua firmeza na fé.

Observe a corrente de sua súplica, “Vivifica-me segundo a tua benignidade; assim eu guardarei o testemunho da tua boca.” Ele não está tão ansioso para manter a sua saúde, ou para manter a sua casa, ou para manter a sua coroa, ou mesmo para manter a sua vida, para que ele possa guardar o testemunho da boca de Deus! Oh irmãos, tudo está certo quando o coração está certo! E tudo está errado quando a alma está errada. Estamos prosperando mesmo quando perdemos a nossa riqueza; se estamos crescendo na graça, mas estamos na mais terrível adversidade, mesmo se estamos ficando ricos, se somos tornados pobres espiritualmente.

Mate de fome sua alma e você será miserável em meio às delícias da mesa do rei. Mas deixe sua alma se fartar – e um jantar de prato de hortaliças será melhor para você do que o boi gordo. A primeira coisa, a coisa principal, é que o coração se mantenha fiel a Deus e à Sua Palavra! Foi por isto que Davi orou.
Vemos nestas palavras de Davi, o seu intenso desejo de manter o testemunho da boca de Deus. Este desejo estava fundado em sua alta estima da Palavra de Deus. Ele via a Revelação Divina como vinda diretamente da própria boca de Jeová.

O testemunho da boca de Deus deve ser dado em palavras – o coração de Deus tem pensamentos, mas a boca de Deus tem palavras – e Palavras do Deus onisciente e verdadeiro devem ser infalíveis.

Quando olhamos para cada palavra deste Livro precioso (a Bíblia) como vindo da boca de Deus, nós a comparamos com aquelas outras palavras, pelas quais chamou o universo à existência a partir do nada e criou a luz onde havia apenas trevas. Para o ouvido que está corretamente sintonizado com o Espírito de Deus há uma voz e uma música de infinita sabedoria e amor relativamente a cada sílaba das Escrituras. O sopro da vida está no testemunho da boca do Deus vivo!

De fato, o Senhor pode ter falado Sua Palavra, realmente, pela boca de Moisés, mas espiritualmente, Sua própria boca a pronunciou. A frase Inspirada pode vir até nós pela pena de Davi, Isaías, ou qualquer outro dos profetas pode ter sido o meio visível de sua transmissão – mas a Palavra em si mesma, vem de forma clara e direta, com a verdade absoluta da boca do Altíssimo! A verdade é o ensino do Deus verdadeiro! Como tal, rendemos-lhe os nossos ouvidos, nossos corações e nossas vidas obedientes. O que Deus tem dito não devemos questionar. O homem de Deus envolve seu rosto com a capa e se curva diante da Majestade Divina, humildemente, dizendo: “Fala, Senhor, porque o teu servo ouve”. Aqueles que tiver esta reverência pela Palavra de Deus será muito apegado a ela. Eles temerão interpretá-la mal e eles não se aventurarão a adicionar qualquer uma das suas próprias palavras, para não serem convocados em juízo por tal presunção!

Os ouvidos do homem devoto parecem ouvir o trovão dessa frase, “Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro: e se alguém tirar alguma coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” Queira Deus que possamos aceitar a Bíblia não como os escritos do homem, mas como a Palavra do Deus vivo!

As coisas que aprendemos e recebemos, devemos guardar firmemente até a volta do Senhor. Ele nos colocou em nosso lugar, para guardarmos e proteger a Verdade! Ele nos confiou o Evangelho – Deus não permita que sejamos administradores desonestos, negligentes com o nosso encargo. Ai do homem que declara “uma visão de seu próprio coração e não da boca do Senhor.” Muitos estão fazendo isso, nesta hora, gloriando-se em sua cultura e confiando em seus próprios intelectos. Destes podemos dizer com Jeremias: “Eles são profetas dos enganos do seu próprio coração.”

Mas bendito é o homem que fala segundo a mente de Deus e faz com que as pessoas ouçam a Palavra do Senhor. A palavra do homem é para o fórum, mas a Palavra de Deus deve ser falada no seu templo. As coisas que já temos ouvido, visto e recebido do Espírito de Deus, são essas coisas que devemos praticar e ensinar – e nada mais!

Tenho certeza de que a oração de nosso texto significa, “Ajude-me, Senhor, a conhecer, crer e reter o testemunho da tua boca, para que eu possa ser um verdadeiro crente, ter meus pés sobre a rocha sólida de seu ensino, e não sobre a areia movediça da invenção do homem. Que eu nunca me envergonhe da Sua Verdade. Se os homens a chamam de antiga e estéril, que eu possa, no entanto, saber que é a Sua própria Palavra eterna que vive e permanece para sempre. Deixe-me senti-la para ser vivificado, fortalecido e cheio de poder e energia.”

Aquela Lei de Deus, que já foi tão terrível para nós, perdeu suas carrancas através do sacrifício expiatório de Jesus e agora temos prazer na Lei de Deus segundo o homem interior e desejamos ser perfeitamente conformados a ela! Nossa tristeza é que não somos perfeitos. O pecado é a nossa dor e peste. Nós nunca seremos perfeitamente felizes até que sejamos perfeitamente santos. O pecado é um fardo constante para nós – mesmo quando vemos, ainda que seja um vestígio dele em nossa natureza ou em nossos atos, e clamamos, “Oh, miserável homem que eu sou! Quem me livrará?” Não podemos suportar que a sombra do mal voe pela nossa imaginação, não, mesmo em nossos sonhos o pecado lançou sua sombra sobre o nosso espírito, nós acordamos perturbados. Nós não gostamos de ter um desejo que nos incline para a iniquidade! Gostaríamos de ter todos os pensamentos levados cativos ao Senhor, compromissados pelos laços de justiça e levados cativos ao longo do caminho triunfante da santificação, porque a santidade é a vida, a luz e a liberdade para nós. “Eu andarei em liberdade, pois busco os teus preceitos.” Liberdade do poder do mal é a mais alta liberdade que esperamos na terra.

Davi desejou que ele pudesse ser preservado em perfeita e inabalável confiança nas promessas de Deus. O testemunho da boca de Deus é em grande parte composto de preciosas e mui grandes promessas. Oh, que coisas ricas e eternas que Ele prometeu aos que O temem! Nenhum bem lhes sonega – todas as coisas cooperam para o bem deles. Ele tem uma Aliança para lhes dar! A triste verdade é que às vezes as próprias pessoas começam a questionar as promessas e se a visão tardar a se cumprir, eles ficam rapidamente descrentes e limitam o Santo de Israel! No entanto, a Aliança está ordenada e segura em todas as coisas: “Deus não é homem, para que minta; nem filho de homem, para que se arrependa.

Porventura, tendo ele prometido, não o fará? Ou, tendo falado, não o cumprirá? ” (Números 23.19)
Nenhuma de suas palavras falhará, nenhuma bênção que Ele prometeu será retida! “Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio.” Sua Aliança será firme, apesar de o céu e a terra passarem! Ele não vai alterar uma única palavra que saiu de Sua boca. Portanto, a nossa oração é para que possamos manter o testemunho da Sua boca e, como nossos pais, possamos ser persuadidos das promessas e abraçá-las.
Oh, que nunca ousemos suspeitar da fidelidade do nosso Deus! Em vez disso, vamos imitar a fé de Abraão, que não duvidou da promessa por causa da incredulidade, acreditando que se Deus lhe havia prometido uma semente de Isaque e ainda que tivesse ordenado que ele oferecesse Isaque em sacrifício, creu que Deus era capaz, mesmo a partir dos mortos, para ressuscitá-lo de modo a manter a Sua Palavra!
Todas as coisas podem ser ao contrário do que parecem ser e todas os testemunhos humanos podem ser intencionalmente ou não falsos, mas o Deus Eterno sempre será verdadeiro!

Esse desejo de guardar o testemunho da Palavra de Deus é necessário em virtude das lutas do presente. Pobre Davi – tinha se tornado como um odre na fumaça, seus olhos estavam falhando, seu coração tinha desmaiado, seus dias estavam encurtando, ele foi perseguido injustamente, ele estava quase consumido, mas ele acrescenta: “Eu não abandonei os Seus preceitos.” Essa foi a frase salvadora em tudo isso! Podemos estar na fumaça, mas não seremos sufocados! Podemos ser perseguidos, mas nunca seremos abandonados Podemos estar abatidos, mas não seremos destruídos, enquanto mantivermos os testemunhos da boca de Deus!

Tenho certeza de que podemos acrescentar que este desejo de Davi é bem justificado por todas as perspectivas do futuro. Nós não sabemos quais problemas ainda devemos experimentar, mas sabemos que Aquele que nos ajudou, nos levará através deles e nos fará mais que vencedores! O testemunho da boca de Deus é o nosso escudo, no dia da batalha. Não podemos colocar a armadura de Saul, por que não a provamos, mas nós provamos a armadura que Deus nos dá em Sua Palavra e, portanto, pela sua graça, nós a usamos diariamente! Esse futuro, que se estende em infinitas visões muito além de nossa vida mortal, exige fidelidade de nós. Se somos traidores da verdade de Deus, hoje, o que será da próxima geração, e a próxima, e a próxima? Nesta hora sofremos pelas negligências dos nossos ancestrais – o erro foi estabelecido por uma longa permanência da perversidade – devemos perseverar em manter a mentira?

Fale a Verdade de Deus, enquanto você viver, de modo que quando você deixar esta vida possam dizer a seu respeito: “Ele, estando morto, ainda fala.” Vamos, hoje, ancorar a Igreja à sã doutrina, para que ela não derive mais e mais nos próximos anos. Fale a Palavra de Deus com fidelidade, para que a Palavra viva e vença quando você se for. Aquele que semeia a semente da heresia e da doutrina do mal implica um mal e uma praga em sucessivas gerações, e o seu próprio nome deve apodrecer! Mas aquele que semeia a boa semente é o pai de milhares colheitas sucessivas!

Davi não orou dizendo que poderia guardar por si mesmo e imediatamente o testemunho da boca de Deus, mas ele pediu: “Vivifica-me segundo a tua benignidade.”

Esta oração é sábia pois aquele que diz: “Vou guardar o testemunho da boca de Deus, pois estou totalmente decidido a fazê-lo”, vai apodrecer como todas as coisas que provêm da carne. “Ah, mas” ele diz: “Eu sou forte de espírito e firmemente estabelecido e nunca serei movido da esperança da minha vocação.” Oh Homem, você não conhece a si mesmo, nem ao poder da tentação, se você estiver dependendo de si mesmo! Você será tão facilmente derrubado! A humanidade é instável como a água.

Oh homem, você é frágil como uma sombra – não confie em si mesmo por um momento que seja! “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.” Eleve uma oração a Deus para que Ele o confirme, porque dessa forma e, dessa forma, apenas, você deve ser fiel a seus estatutos.

Se a Vida de Deus não estiver em você, lhe vivificando, você não consegue guardar a verdade de Deus, ou manter a pureza, ou andar em integridade. A vida é absolutamente essencial para a firmeza na verdade.
O modo pelo qual Davi orou dizendo: “segundo a tua benignidade”, significa, penso eu, que ele desejava ser vivificado por um senso do amor de Deus. A mãe encontra seu bebê congelado e ela o aquece para voltar à vida, pressionando-o contra o peito, ela lhe transmite o calor de seu próprio coração até que ele vive, mais uma vez, e sorri. É exatamente assim com o nosso Deus – não há como nos reviver exceto pressionando-nos perto de seu peito!

Por isso, faça esta oração de vida, como Davi fizera, quando você sentir que está morto. Essa oração vai provar ser um antídoto para o veneno da morte.

Oh, conjuro-vos, homens de Deus que vivam pela fé no Filho de Deus, que se alimentem dEle e sejam fortes! E, em seguida, saiam como homens que guardam os testemunhos da Sua boca a um mundo incrédulo e a uma igreja apóstata! Permaneçam firmes na casa do Seu Deus, e então esta será a sua recompensa: “Aquele que vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus e dele nunca sairá…” (Apo 3.12 a).

Que a melhor das bênçãos repouse sobre vocês. Amém.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here