Coração

0

A Bíblia ensina claramente que a verdadeira religião é aquela que procede do coração – mas de um coração purificado e renovado por Deus. Na grande maioria das passagens bíblicas o termo coração é usado em sentido metafórico para representar o mais profundo do nosso ser, ou a fonte da qual procedem todas as nossas energias, desejos, pensamentos e motivações vitais.

A Palavra de Deus apresenta o coração enquanto assim considerado como estando corrompido, e a ele se refere como a coisa mais corrompida em toda a criação, uma vez que o pecado passou a residir no coração humano desde a queda original.

Nenhum poder é capaz de restaurar o nosso coração corrompido pelo pecado, senão somente o da graça de nosso Senhor Jesus Cristo; pela mortificação progressiva do pecado, mediante o poder operante do Espírito Santo.

Nosso Senhor ensinou expressamente a necessidade de purificação do nosso coração para que possamos ter comunhão com Deus (Mateus 5.8).

Não admira portanto que Deus esteja perto dos que têm o coração quebrantado, por saberem que possuem naturalmente um coração corrompido, que necessita ser transformado por Ele.

Podemos observar nas muitas passagens bíblicas relativas ao coração , que elas reportam muito além do que meramente a sentimentos e emoções, e até mesmo à própria mente, conforme a palavra original é tradicionalmente vertida em algumas traduções, pois o que se tem em vista é a totalidade do nosso ser, especialmente do nosso espírito, que é a parte que mantém efetivamente a comunhão com Deus, porque Ele é espirito.

Assim, portanto, quando temos em algumas passagens a citação conjunta de coração, alma e mente, o que se pretende é fazer um realce às faculdades da alma e da mente, caso não sejam percebidas na simples referência ao coração em sentido metafórico, que na verdade, inclui a ambas.

A única forma aceitável de culto por Deus é aquela que procede do coração, ou seja, um culto cujo exterior flui do nosso interior, e a esse respeito Moisés já havia se pronunciado dizendo que muito mais do que a circuncisão do prepúcio, os israelitas deveriam circuncidar o prepúcio do coração, ou seja, remover toda forma de impureza não somente do corpo, mas sobretudo da mente e do espírito.

Segundo a Bíblia, um coração puro é portanto um coração cheio da graça e da fé em Jesus Cristo, pois quanto maiores forem a nossa fé e as nossa graças, maior será a pureza dos nossos corações, porque é pela participação efetiva da vida espiritual e divina que somos purificados.

Por isso Deus pede que lhe consagremos o nosso coração, para que Ele possa operar nele o trabalho da santificação que tanto necessitamos. Deus não quer os nossos talentos, os nossos bens, mas o nosso próprio ser. Ele pouco se importa com a pompa e a externalidade de nossos cultos, pois os Seus olhos estão continuamente voltados para no nosso coração; conforme revelou ao profeta Samuel que não vê somente o exterior como o faz o homem, mas vê o coração.

Enfim, ao falar do coração a Palavra se refere ao que somos e desejamos ser e fazer de fato e não aquilo que outros nos obrigam a ser ou a fazer, ou ainda o que façamos mecanicamente, ou por interesse político ou por qualquer outra motivação que não brote realmente do nosso próprio interior e vontade. Um procedimento exterior em um comportamento considerado como limpo deve estar em conformidade com um interior também limpo, para que não incorramos no erro da hipocrisia dos fariseus.

Como nossos poderes e inclinações interiores (coração) se voltam para aquilo que reputamos precioso para nós, e será sempre nisto que estaremos concentrados, então nosso Senhor nos adverte quanto à necessidade de redirecionarmos nossas prioridades e afetos para aquilo que que não é terreno, visível e passageiro, senão para o que é invisível, espiritual, celestial e eterno.

Um fator indicativo de onde se acha o nosso principal interesse, segundo nosso Senhor, é a nossa conversação, porque a boca fala daquilo a que está ligado o nosso interior – se ao que é terreno ou ao que é celestial.

Você pode ler alguns versículos bíblicos com as seguintes palavras destacadas do texto original:

1 – kardia (grego) – coração, mente, ser interior;
2 – lebab (hebraico) – coração, mente;
3 – leb (hebraico) – coração, mente, entendimento, ser interior; relativas ao assunto, acessando o seguinte link:

http://www.escrita.com.br/escrita/leitura.asp?Texto_ID=33565

Pr Silvio Dutra


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here