A Verdadeira Felicidade

0

Leia atentamente as seguintes citações bíblicas:
De Jesus:
Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14.26)

“Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem neste mundo odeia a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna.” (João 12.25)

“Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14.33)

Do apóstolo Paulo:
“Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.” (Filipenses 4.4)
“Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.
Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.” (Filipenses 4.11,12)

Do profeta Habacuque:
”Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;
Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.
O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” (Habacuque 3.17-19)

Todas estas passagens citadas dentre muitas outras contidas na Bíblia nos apresentam a fórmula da verdadeira alegria e felicidade.

A alguns pode soar exagerado o que afirmaremos com base nestas citações bíblicas, de que elas encerram em síntese o ensino de que nosso ego deve estar permanentemente crucificado, e que devemos estar mortos para as coisas do mundo e elas para nós, no que tange a buscarmos a nossa alegria e felicidade na realização de desejos terrenos, nem tanto porque muitos destes desejos possam ser frustrados ou então serem realizados à custa de causar tristeza e aborrecimento em pessoas que amamos, mas porque enquanto mantivermos por alvo buscar a nossa felicidade em qualquer pessoa ou coisa aparte de Deus, jamais poderemos experimentar a verdadeira alegria e felicidade espiritual que decorre da comunhão com Ele.

A razão disso é muito simples, pois Deus jamais permitirá que o contentamento da nossa alma seja encontrado em coisas que estejam em concorrência com a nossa adoração e comunhão com Ele.
A alma somente pode achar descanso, paz, alegria e felicidade quando está totalmente repousada no Senhor, e daí se dizer “regozijai-vos no Senhor”, a saber, nele mesmo, e não nas coisas que obtemos, ainda que procedentes dele.
O próprio culto de adoração que lhe devotamos não deve ser um fim em si mesmo, mas um mero meio, de modo que não venhamos a fazer o motivo da nossa satisfação a beleza dos cânticos que entoamos, ou das orações que fazemos, e de tudo o mais que possa servir de meio de adoração.

A renúncia total que é determinada por Jesus a nós, inclusive de nós mesmos, tem em vista não à resignação que geralmente é acompanhada por um sentimento de impotência e tristeza, mas a abrirmos mão de buscarmos alegria e felicidade na realização de nossos desejos, pois, como já dissemos anteriormente, enquanto assim procedemos, deixamos Deus do lado de fora da comunhão com o nosso coração.
Se for o Senhor o único motivo da nossa alegria, e não as coisas que temos ou que desejamos, então podemos ter a mesma experiência do apóstolo Paulo e do profeta Habacuque de estarmos contentes em toda e qualquer situação, porque a presença constante do Senhor dirigindo nossas mentes e corações será a fonte sempre inesgotável da nossa força e alegria.

Se o desejo for cumprido não será este o motivo de estarmos alegres, mas o de permanecermos no Senhor quando somos providos e honrados.
Se o desejo não for cumprido, de igual modo estaremos contentes no Senhor, porque a Sua presença nos basta para estarmos alegres e felizes.

Este é, portanto, o grande segredo do verdadeiro contentamento e felicidade.
Por isso somos ensinados na velhice e na enfermidade a perder a possibilidade da realização de muitos desejos, como a maioria dos que estão relacionados ao vigor do corpo, para que aprendamos que não é em nada em nós mesmos ou deste mundo, que achamos o sentido da vida, senão apenas no próprio Senhor Jesus.
“Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.” (Colossenses 3.1-3)

Em tudo importa termos uma boa consciência para com Deus e com os homens, sobretudo no cumprimento nos deveres que nos são ordenados na Bíblia quanto ao tipo de comportamento que nos convém ter no Senhor, de maneira que ainda que venhamos a sofrer por amor à justiça e ao evangelho, não seremos achados insatisfeitos, murmurando ou amargurados, mas com gratidão e alegria em nossos corações, pois é somente a presença do Senhor em nós que pode garantir esta bênção.

Pr Silvio Dutra


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here