Sobre o Arrependimento

0

Por John Welsh (genro do reformador escocês John Knox. Dele são as palavras: “Senhor, dá-me filhos espirituais senão morro!”, e não de John Knox, conforme muitos lhe atribuem.)

“Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos; e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste esmorecer.” (Apo 2.2,3)

Qual foi o testemunho que os pastores e a igreja de Éfeso tinham recebido da boca do Senhor, nesta carta enviada do Céu a ela pela mão de João? Ouviram isto primeiro: as suas obras de fé. De onde poderão vir as boas obras, senão da fé? E se qualquer coisa no mundo faz o trabalho do homem, a fé vai fazer ele trabalhar, pois ela tem um tal poder, que nada pode resistir a ela; porque a fé é derramada pelo Filho Unigênito de Deus descendo do céu na alma de um pobre pecador, e de seu sangue flui vida para uma alma morta. A fé levanta um homem do inferno para o céu. A fé abre os olhos dos cegos, e dá audição aos surdos, solta a língua dos mudos, e dá a mão para os coxos, e o homem que anda nas trevas, e no vale da sombra da morte, a fé traz para a luz, e faz ele andar diante do Senhor. Ao homem que era surdo e mudo, a fé faz com que ele ouça a palavra de Deus, e fale a língua da Canaã celestial. O homem que não tinha nem os pés, nem as mãos, a fé fez com que ele fizesse as obras de Deus diligentemente. Qual é a coisa que a fé não vai fazer um homem se dispor a fazer?

A próxima coisa que o Senhor elogia neles, foi, então, o trabalho e a perseverança no amor, porque quem trabalhará fielmente se não tiver amor? Porque o amor de Cristo deve lhe constranger a ser diligente, e não desmaiar no trabalho de Deus, ou então você ou eu, nunca faríamos esse trabalho fiel e diligentemente, por isso ele elogia a sua paciência, porque esperavam por uma coroa de infinita glória, que sabiam estar reservada para eles, e para todos aqueles que sofrem perseguição por causa do nome de Jesus. Além disso, ele elogia o seu zelo, por terem se indignado com o mal que não podia ser tolerado por eles em qualquer pessoa.


O amor lhes tinha feito trabalhar com paciência, e não se deixavam esmorecer nas provas que suportavam por causa do amor que tinham ao nome de Jesus. Eles sofriam alegremente porque sabiam que haveria um tempo de descanso e de paz; quando eles descansariam dos seus trabalhos, e desfrutariam os frutos deles.
Gostaria de ter todos vocês recebendo este louvor do Senhor, vocês têm sua palavra, e são seus servos, e sua própria consciência deve lhes levar a dar testemunho aqui na terra, e que possam mostrar o seu testemunho no grande dia da Sua volta.

Poderiam vocês ter uma mão para se agarrar a Cristo, e uma boca para comer sua carne e beber seu sangue diariamente, e um estômago para digeri-lo para que pudessem se alimentar dele, e viver pela fé? Eu daria tudo para ter esse amor, que pode fazer com que trabalhemos tanto de manhã quanto à noite, e durante o dia todo, mas eu sei que todos não irão conseguir sempre essas coisas; mas eu quisera que vocês que são os Seus santos, tivessem, pelo menos, para que todos pudessem vê-las impressas na tábua dos seus corações e escritas com letras grandes, para que todos pudessem lê-las.

E, por último de tudo, eu gostaria que isso lhes fosse dado por Deus, que sua consciência possa lhes recordar desta fé viva e salvadora, que pode justificá-los diante dos homens e dos anjos um dia, e que vocês obtenham este testemunho do Senhor, que vocês trabalhem e não desfaleçam; que guardem pacientemente, esperando continuamente, esperando todos os dias a vinda do Senhor Jesus, e que todos vocês tivessem o zelo de Deus em seus corações, e que com ira e indignação santas, pudessem odiar o pecado em seu coração.
Agora , eu falarei da sua repreensão, quando o Senhor diz: “Tenho, porém, contra ti”, Sim, como se quisesse dizer, eu conheço tanto o teu bem, quanto o teu mal; eu não deixarei de falar sobre qualquer um deles, porque eu não desejo uma mancha nem ruga, em qualquer de vocês, portanto eu te direi as tuas faltas, para que as vejas, e tenhas vergonha delas, e te empenhes em corrigi-las; assim amados, é o amor de Deus por vocês, que ele comprou com o seu próprio sangue; porque com o seu sangue ele lhe lava e o torna limpo, e com as vestes de Sua justiça ele lhe cobre, porque ele tem um palácio de justiça, onde nenhuma coisa impura pode entrar. Por que deveria haver uma ruga em qualquer de um de vocês?

Agora, o Senhor diz: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.”, como se quisesse dizer: Meu amor tem te seguido, e nunca tem te esquecido, mas tu tens dado as costas para mim, e se o teu coração tivesse sido mantido limpo, e a tua memória fresca, como no princípio; e se os teus sentidos tivessem se mantido abertos com a multiplicação de minhas bênçãos, isto teria renovado o teu amor para comigo continuamente. Assim, aprenda isso, nunca há uma bênção que não prove uma nova graça de Deus, mas tu a afogaste no fundo do teu coração, e a enterraste com ingratidão.
Agora eu não preciso lhe dizer, como o Senhor tem lhe seguido com as suas bênçãos espirituais e temporais, alguns de vocês, desde o ventre materno, eu falo para vocês que são filhos de Deus. Pensam que isto é nada, que ele lhes tenha afastado de seus pecados antes que ele lhe chamasse à conversão? Mas, mesmo quando vocês pecam contra ele, e o provocaram à ira, ele não deixou de lhes fazer bem. Isto lhes parece nada, que ele lhes tenha trazido do reino das trevas para a Sua maravilhosa luz?

Agora segue o conselho que ele dá aqui: este consiste em três coisas. Primeiro, ele lhe pede que se lembre de onde a Igreja de Éfeso caiu, e pensasse sobre o seu primeiro estado, para lembrar do amor que uma vez tivera por ele e seus santos, e pudesse ver de qual graciosa condição ela havia caído, para que, recordando estas coisas, ela pudesse ser levada ao arrependimento, e pelo arrependimento, pudesse ser restaurada à sua antiga condição, pois não pode haver arrependimento sem memória; porque o arrependimento demanda uma nova memória e recordação da bondade de Deus, tanto quanto da nossa ingratidão para com ele.
Depois, ele lhe pede que depois de ter lembrado, então que se arrependesse e voltasse a ele.

Em terceiro lugar, ele lhe pede que voltasse às primeiras obras de amor e zelo, de trabalho e paciência, e todo o resto, para que por estes meios, pudesse recuperar o seu primeiro amor, e ser restaurada novamente à sua primeira condição.
Nestas três coisas eu vejo, em primeiro lugar, que o filho de Deus está sujeito a cair enquanto vive neste mundo, porque há sempre uma parte do seu coração na qual remanesce o pecado, enquanto ele está nesta vida, por isso ele pode cair a partir da incredulidade, da luz para as trevas, da alegria para a tristeza, sim, ele pode ser trazido a isso, se perder toda a graça de seu coração, através da ausência de Deus.
Deus permite estas quedas para que saibamos que é somente pela graça que podemos estar de pé em Sua presença. E também para que sejamos humilhados com uma nova visão e descoberta dos nossos pecados para novos arrependimentos. E ainda para que saibamos que é a santificação que nos mantém em comunhão com ele, mas como estamos sujeitos a quedas, não será por ela que seremos conduzidos ao céu, mas pelo sangue de Cristo que é o único meio para nos levar para lá.

Apesar de nossas deserções notáveis, sempre há um lugar deixado para o arrependimento, pela mediação do sangue do Filho de Deus, portanto nunca deixe naufragar a sua confiança e esperança, por maiores e muitos que sejam os seus pecados, porque há perdão disponível para eles.
Quão doce coisa que é, para um coração contrito e quebrantado, saber que o Senhor olha para ele em todas as suas angústias e pesares. E ele coloca todas as suas lágrimas num odre, e as manterá em registro, até o dia da Sua vinda, para que ele possa recompensá-lo com a alegria eterna de glória infinita. Aqui está o consolo dos santos, e aqui está a paciência dos santos. Eu sei que a lei é espiritual, diz o apóstolo, mas eu sou carnal, vendido sob o pecado, porque não faço o bem que prefiro.”

Por que vocês, que são os seus santos, querem a sua consolação aqui neste mundo? Garanto-lhe que o suas tristezas são vistas, suas lágrimas são registradas, e seu trabalho deve ser recompensado, pois não é chegado o dia da colheita, quando você deve colher o fruto do que você semeou.
Que o Senhor abra os seus corações, para que possam beber no conselho gracioso do Filho de Deus, e que possam dar a devida obediência ao mesmo, ainda presentemente, sem mais delongas, porque no dia de hoje você pode começar a considerar as suas quedas, e do que tem caído, e então possa chorar e lamentar que tenha abandado o seu primeiro amor para com o Senhor, e assim continuar a sua tristeza por sua condição e se arrepender, até que recupere o seu amor, chegue ao amor de Deus novamente derramado sobre seu coração pelo poder do seu próprio Espírito, é o que eu desejo a todos vocês, e para mim também, por amor de Cristo; para quem, com o Pai e o Espírito Santo , seja todo o louvor, glória e honra, agora e para sempre.

Tradução, redução e adaptação feitas pelo Pr Silvio Dutra.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA