O Verdadeiro Propósito da Vida – Primeiro Dia

0

Por A. B. Simpson

1Co 7:29-31 Isto, porém, vos digo, irmãos: o tempo se abrevia; o que resta é que não só os casados sejam como se o não fossem;
mas também os que choram, como se não chorassem; e os que se alegram, como se não se alegrassem; e os que compram, como se nada possuíssem;
e os que se utilizam do mundo, como se dele não usassem; porque a aparência deste mundo passa.”

É este o significado supremo da vida? Ela é um passatempo agradável, ou é uma provação solene, uma rápida passagem de tempo para aqueles que são sábios semearem as lavouras de tempo e eternidade que são para serem colhidas? Há o lado humano, a beleza, a alegria, o romance, a luz do sol e a flor; mas existe a seriedade dos conflitos da vida, a tragédia da morte e as questões poderosas da eternidade. Nenhum homem pode fazer o máximo da vida até que ele tenha olhado para todas essas coisas que estão diante dele, e aprenda o maior significado do velho lema: “Dum vivimus, vivamus”.
“Viva enquanto você viver”, o epicurista diria, “e aproveite os prazeres do dia de hoje.”

“Viva enquanto você viver” o pregador sagrado clama,

Viva Mais Abundantemente

E dê a Deus cada momento conforme ele foge.

Senhor, em nosso ponto de vista, vamos ambos estar unidos.

Vivemos em prazer enquanto vivemos para Ti. “

Um antigo escritor compara o mundano a uma criança sentada sobre os galhos de uma árvore frutífera, crescendo sobre um abismo e sem pensar em comer o fruto, enquanto dois vermes chamados de Dia e Noite, foram vagarosamente comendo os ramos, até que de repente ele caiu e mergulhou no abismo. Nenhum homem ou mulher pode seguramente dar sua atenção suprema às coisas terrenas até que seus interesses eternos estejam assegurados.

As pessoas que estão perdendo o tempo de vida em impensáveis prazeres podem bem ser comparadas com a tripulação de um navio naufragado que foi jogado sobre uma ilha fértil e só conseguiu salvar sua carga de trigo e trazê-la para a terra.
Os sábios sugeriram que eles deveriam plantá-la no solo fértil e assegurarem assim o seu abastecimento futuro, mas assim que eles começaram a se engajar nessa sábia previsão e provisão, um dos seus companheiros voltou de uma excursão pelas colinas da ilha com o relatório que havia encontrado uma mina de ouro com riqueza inexaurível.
Imediatamente todos partiram para a mina e gastaram o verão acumulando enormes fortunas enquanto se alimentavam com o trigo que deveriam ter plantado. De repente, os ventos do outono começaram a soprar e eles acordaram assustados para encontrar sua fonte de alimento que estava acabando.

Eles começaram a plantar ansiosamente o restante das sementes, mas apodreceram nos sulcos e eles morreram de fome, rodeados por milhões e bilhões de ouro sem valor.
Caro amigo você está desperdiçando a suprema oportunidade da vida como eles, e algum dia você vai ouvir as trovoadas de gemidos do outono da vida ao longo do seu leito de morte em desespero, “o tempo da colheita é passado, o verão é findo, e nós não estamos salvos?” Nenhum homem sábio irá dormir, sabendo que o seguro de sua propriedade tenha caducado, sem imediatamente renová-lo. E nenhum mortal em sã consciência vai se aventurar em deixar a sua alma sem aquela divina segurança da qual ele pode dizer: “Eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que Ele é capaz de guardar o meu depósito até aquele Dia.” (2 Tim 1.12)

Texto traduzido e adaptado pelo Pr Silvio Dutra.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here