o que significa a expressao: Na casa do meu Pai ha muitas moradas

0

O QUE SIGNIFICA A EXPRESSÃO: “NA CASA DE MEU PAI HÁ MUITAS MORADAS”

– Muito bem. Leiamos, primeiramente, (Hebreus 3: 5 – 6): “E Moisés era fiel, em toda a casa de Deus (que era o povo de Israel) como servo, para testemunho das coisas que haviam de ser anunciadas; CRISTO, PORÉM, COMO FILHO, EM SUA CASA; A QUAL CASA SOMOS NÓS, se guardarmos firme, até ao fim, a ousadia e a exultação da esperança.”

– Muito bem. Falemos, também sobre a “Casa e a Morada do Pai .

– Leiamos, agora, (João 14: 1-3): “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também”.

– Muito bem. A “casa do Pai”, segundo o contexto era o “Templo”, conforme está explícito em (João 2: 13-16):

– “Estando próximo a Páscoa dos judeus, subiu Jesus para Jerusalém. E encontrou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas e também os cambistas assentados; tendo feito um azorrague de cordas (ou seja, um chicote de cordas), expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois, derramou pelo chão o dinheiro dos cambistas, virou as mesas e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio”.

– Muito bem. Voltemos, então, para (João 14: 2), onde se diz: “Na casa de meu Pai há muitas moradas”.Então, a palavra traduzida por “moradas” é o substantivo do verbo “morar”.
– Portanto, cada membro da igreja é uma “morada”, ou seja, um “aposento” da casa de Deus.

– Ou seja. O Senhor estava dizendo aos Seus discípulos que, por Sua morte e ressurreição, Ele lhes prepararia “aposentos”.

– Isso fica claro a partir do (vers. 23) onde o termo “morada” é utilizado mais uma vez: “…Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”.

– Então, ao compararmos este (vers. 23) com o (vers.2), podemos concluir que “as moradas da casa do Pai” são “todas as pessoas que “amam ao Senhor Jesus!”

– Repito: Os que amam ao Senhor de todo o seu coração, são as “moradas para o Pai e para o Filho”.

– Na verdade, precisamos interpretar a Bíblia pela própria Bíblia, e não segundo os nossos conceitos naturais, religiosos ou tradicionais.

– Na verdade, nós fomos ensinados desde pequeno, que a “casa do Pai” está no céu, onde há uma rua de ouro, e Jesus foi preparar para nós uma mansão celestial.

– Outra coisa. A maioria dos estudiosos da Bíblia interpreta as palavras de (João 14:3): “…voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também”, referindo-se à Sua Segunda Vinda.

– No entanto, no (vers. 18 a 20), o Senhor diz de novo: “Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis. Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós”.

– Veja bem. O Senhor Jesus foi preparar um lugar para nós, através de Sua morte. E, na verdade, Ele retornou, três dias depois, “em ressurreição”.

– Então, Ele retornou a fim de poder entrar nos discípulos, (dentro deles) , trazendo a vida do Pai.
– Como Ele mesmo disse no (vers. 28-29): “…vou e volto para junto de vós…Disse-vos, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós creiais”.

– Portanto essa “volta do Senhor”, não tem nada a ver com a Sua Segundo Vinda, pois, se fosse assim, todos nós ainda estaríamos órfãos!

– O (vers. 20) diz: “Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós”.

– Ora, esta frase: “Naquele dia” não é o dia da Sua Segunda Vinda. Mas, “Aquele dia” chegou três dias depois.

– Ou seja, no dia da ressurreição, Jesus nos conduziu ao Pai!

– Na verdade, na concepção do Senhor, Ele, Jesus, se encontrava no Pai. Mas nós não ! Nós estávamos “do lado de fora” Dele!

– Por isso é que Ele iria morrer por nós, a fim de remover nossos pecados, destruir o diabo e liberar a vida do Pai. Então, depois de fazer isto, nós seríamos inseridos no Pai!

– Conclusão: Todos os que amam ao Pai são “as moradas nas quais o Pai e o Filho podem habitar”. Pense nisto!

– Cada um de nós é uma das moradas do Pai. Somos o “templo” do Espírito Santo!

– Conclusão: A “casa do Pai” em (João 14) refere-se, portanto, à IGREJA, que somos nós, os regenerados !

MISSÃO APOSTÓLICA E PROFÉTICA DO FAROL
www.missaodofarol.blogspot.com


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here