Estudos por VC

Lutero e a autoridade das escrituras

Comments (3)
  1. mauro disse:

    Bem esclarecedor e de certa forma atual pois hoje em dia ao invés de pregar a verdade da Palavra de Deus, pessoas têm distorcido o Evangelho pregando parcialmente textos fora de contexto, como por exemplo Malaquias, o qual fora de contexto nos dá a entender que éra o povo que roubava a Deus sendo que se verificarmos todo o livro vemos que quem roubava eram os sacerdotes não repassando o dízimo para os necessitados (viúvas, órfãos, levitas e os estrangeiros).

  2. LEANDRO disse:

    Bom todo tipo de acusações acima contra a Igreja Catolica já foram respondidas por outros autores tanto teologos catolicos quanto historiadores profissionais.Sobre a Inquisição e sobre os Valdenses conforme o autor acima: 2. O papa Inocêncio VIII, no século XIII. Era pai de 16 filhos ilegítimos e ordenou a execução dos Valdenses que criam verdadeiramente na Bíblia.

    Primeiro que o papa que autorizou era Inocencio III e sobre ele nenhum historiador lançou a acusação de ter filhos.Pode-se até não gostar,contudo,ele acreditava realmente no que pregava.
    Agora quanto as valdenses como verdadeiros seguidores da Biblia tenho que rir de sua ignorância ou mesmo má fé.
    Os valdenses diziam que a materia(a carne) era corrupta por natureza e por isso a morte purificava.Eles chegavam a cometer sessões de suicidio coletivo.Para evitar descendência eles ensinavam que os casais deveriam praticar o sexo anal.Dai que em muitos países a palavra Bulgomil(outro nome dos cataros) é sinonimo de homossexualismo.O Deus do Antigo Testamento seria na verdade um anjo de nome Sataniel e adversario do Deus Verdadeiro.Desde quando isto é acreditar na Biblia? Leiam as informações que transcrevo no livro “Os Templarios ” de Piers Paul Read ou até mesmo na wikipedia. Existem muitos autores,inclusive protestantes que reconhecem que no caso dos Cataros a Igreja fez muito bem em usar de força contra eles.

    Lembro ainda que durante mais de 20 anos os papas 1º enviaram pregadores pra reconverte-los de modo pacifico e so depois e que começou o uso de torturas e guerras.Os cataros atacaram primeiro e na cidade francesa de Carcassone destruiram as igrejas e expulsaramo bispo a pedradas.

    Outra falacia é dizer que os livros que consideram apocrifos da Igreja catolica foram acrescentados em 1546.Ainda hoje existem exemplares da 1º Biblia impressa por Gutenberg,qualquer um que olha verá os livros que não constam na Biblia Protestante.Ainda provo que desde a época do Cristianismo primitivo estes livros eram usados.Vejam a citação abaixo:
    “Tratemos agora sobre o que sente a Igreja Católica universal, bem como o que se dever ter como Sagradas Escrituras: um livro do Gênese, um livro do Êxodo, um livro do Levítico, um livro dos números, um livro do Deuteronômio; um livro de Josué, um livro dos Juízes, um livro de Rute; quatro livros dos Reis13, dois dos Paralipômenos; um livro do Saltério; três livros de Salomão: um dos Provérbios, um do Eclesiastes e um do Cântico dos Cânticos; outros: um da Sabedoria, um do Eclesiástico. Um de Isaías, um de Jeremias com um de Baruc e mais suas Lamentações, um de Ezequiel, um de Daniel; um de Joel, um de Abdias, um de Oséias, um de Amós, um de Miquéias, um de Jonas, um de Naum, um de Habacuc, um de Sofonias, um de Ageu, um de Zacarias, um de Malaquias. Um de Jó, um de Tobias, um de Judite, um de Ester, dois de Esdras, dois dos Macabeus. Um evangelho segundo Mateus, um segundo Marcos, um segundo Lucas, um segundo João. [Epístolas:] a dos Romanos, uma; a dos Coríntios, duas; a dos Efésios, uma; a dos Tessalonicenses, duas; a dos Gálatas, uma; a dos Filipenses, uma; a dos Colossences, uma; a Timóteo, duas; a Tito, uma; a Filemon, uma; aos Hebreus, uma. Apocalipse de João apóstolo; um, Atos dos Apóstolos, um. [Outras epístolas:] de Pedro apóstolo, duas; de Tiago apóstolo, uma; de João apóstolo, uma; do outro João presbítero, duas14; de Judas, o zelota, uma. (Catálogo dos livros sagrados, composto durante o pontificado de São Dâmaso [366-384], no Concílio de Roma de 382)
    Ou ainda :
    “Cânon 36 – Parece-nos bom que, fora das Escrituras canônicas, nada deva ser lido na Igreja sob o nome ‘Divinas Escrituras’. E as Escrituras canônicas são as seguintes: Gênese, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio, Josué, Juízes, Rute, quatro livros dos Reinos1, dois livros dos Paralipômenos2, Jó, Saltério de Davi, cinco livros de Salomão3, doze livros dos Profetas4, Isaías, Jeremias5, Daniel, Ezequiel, Tobias, Judite, Ester, dois livros de Esdras6 e dois [livros] dos Macabeus. E do Novo Testamento: quatro livros dos Evangelhos7, um [livro de] Atos dos Apóstolos, treze epístolas de Paulo8, uma do mesmo aos Hebreus9, duas de Pedro, três de João, uma de Tiago, uma de Judas e o Apocalipse de João.10 Sobre a confirmação deste cânon se consultará a Igreja do outro lado do mar11. É também permitida a leitura das Paixões dos mártires na celebração de seus respectivos aniversários12” (Concílio de Hipona, 08.Out.393).

    Ou seja no sec IV após Nosso Senhor Jesus.

    Quando ao fundamento de que tudo está na Biblia nenhum valor tem a Tradição Apostolica veja estes testos escritos por Irineu,bispo de Liao e martir(no ano 180) sob a autoridade imperial:

    “E quando, por nossa vez, os levamos [os hereges] à Tradição que vem dos apóstolos e que é conservada nas várias igrejas, pela sucessão dos presbíteros, então se opõe à Tradição, dizendo que, sendo eles mais sábios do que os presbíteros, não somente, mas até dos apóstolos, foram os únicos capazes de encontrar a pura verdade.” (Santo Ireneu Bispo de Lião (180), Contra as Heresias, III,2,1)

    “Suponhamos que se levante uma questão sobre algum importante ponto entre nós, e não possamos recorrer às mais primitivas comunidades com as quais os apóstolos mantiveram constante relacionamento, as quais aprenderam deles o que é certo e claro a respeito dessa questão. O que aconteceria se os próprios apóstolos não nos tivessem deixado escritos? Não seria necessário (nesse caso) seguir o curso da tradição que transmitiram àqueles aos quais entregaram às Igrejas?” (Santo Ireneu Bispo de Lião (180), Contra as Heresias III,4,1.).

  3. leandro disse:

    Em reforço ao que disse acima sobre os cataros transcrevo abaixo:

    A doutrina cátara chocava radicalmente com a pregada pela Igreja Romana. Entre outras coisas:
    1.Negava a existência de um único Deus ao afirmar a dualidade das coisas (existência de um Deus mau).
    2.Negava o dogma da Trindade, recusando o conceito do espírito santo e afirmando que Jesus não era o filho de Deus encarnado mas uma aparição que mostrava o caminho à perfeição.
    3.Apresentava um conceito do mundo e da Criação diferente (para os católicos o mundo e o homem seriam bons ao serem criados por Deus e o pecado viria da corrupção do homem no pecado original).
    4.Propugnava a salvação através do conhecimento em vez de através da fé em Deus.

    Também recusavam os juramentos, por ser ataduras ao mundo material, o que atacava pela sua vez a própria disposição da sociedade feudal europeia, na qual, dado o analfabetismo reinante, quase todas as transações comerciais e comprometimentos de fidelidade eram baseados em juramentos.

    Por tudo isso, a Igreja Romana com o papa Celestino III tratou de contra-arrestar o auge do catarismo mediante uma política missionária, multiplicando as fundações cistercienses e enviando pregadores de relevância, como Bernardo de Claraval, no século XII.

    Já em finais desse século, Celestino III foi sucedido por Inocêncio III, que pela sua origem familiar era um grande senhor feudal. Cria na virtude das armas quando eram guiadas por Deus; também era um jurista, formação que recebera em Paris e em Bolonha. Compreendeu que o catarismo surgira por uma carência da Igreja; havia poucos clérigos católicos bem instruídos, poucas abadias e bispos; muitos destes últimos apenas visitavam as suas dioceses para coletar impostos.

    A 1 de abril de 1198 escreveu aos seus arcebispos instando a retaliar os hereges cátaros. Em 1199 equiparou a heresia ao crime de lesa majestade; no sucessivo, os hereges obstinados seriam banidos e os seus bens confiscados. Esta disposição foi estendida à Occitânia em julho de 1200. Instituiu legados e outorgou-lhes plenos poderes: direito de excomunhão, de pronunciar interdito, da obediência dos prelados e, caso necessário, de substituí-los por homens mais decididos. A sua principal missão consistia em reformar o clero local e combater a heresia.

    No Outono de 1203, Inocêncio III designou como legados dois irmãos cistercienses da Abadia de Fontfroide, Raoul de Fontfroide e Pierre de Castelnau, um jurista da ordem do cister que se conduzia com a intransigência de um juiz seguro da lei que aplicava. Em dezembro dirigiram-se a Toulouse, onde fizeram jurar ao conde que extirparia a heresia. Em fevereiro de 1204 aconteceu uma reunião em Béziers presidida pelo rei Pedro II de Aragão. O rei reconhecera-se vassalo da Santa Sé mas, contra do pedido dos legados, manifestou que não estava disposto a usar a espada contra os seus vassalos ocidentais, senão todo o contrário.

    Uns meses mais tarde Arnaud Amaury, abade de Cîteaux, incorporou-se à delegação, mas ainda com o reforço de Arnaud Amaury os legados não obtinham sucessos. A sua apresentação não era a mais adequada: percorriam o país em luxuosos carros de cavalos acompanhados por todo um cortejo de servidores, quando precisamente o luxo e a suntuosidade era o que mais reprochava o povo occitano à igreja romana. Em maio de 1206 os abades decidiram regressar às suas respectivas abadias. No caminho de regresso fizeram uma parada em Montpellier e ali coincidiram com dois castelhanos que regressavam de Roma. Eram Diego de Acebes, bispo de Osma, e o seu vice-prior, Domingos de Gusmão, posterior fundador da Ordem Dominicana. Este encontro foi decisivo. Os legados expuseram as suas dificuldades: quando pregavam, era objetado o comportamento detestável dos clérigos, mas se se dedicavam a reformar os clérigos, teriam de renunciar à pregação. Os castelhanos expuseram a solução: pôr de lado a reforma dos clérigos e dedicar-se exclusivamente à pregação mas, para que esta fosse eficaz, era preciso que cumprira uma condição imperativa: a pobreza, ou seja, viajar com humildade, ir a pé, sem dinheiro, em casais, imitando os costumes dos Perfeitos cátaros e que antigamente utilizaram os apóstolos.[4]

    Pouco a pouco, os métodos de Diego de Acebes e Domingos de Gusmão conseguiam os seus efeitos, convertendo crentes cátaros e até mesmo alguns Perfeitos. Diego regressou para Osma e Domingos de Gusmão escolheu então como companheiro a Guillem Claret, clérigo de Pamiers, com o que se instalou em Fanjeaux, no centro da região, onde converteu um grupo de Perfeitas e mulheres crentes cátaras, que instalou no Mosteiro de Prouilhe, perto de Fanjeaux, tornando-se num centro educacional e hospitalar de garotas, a semelhança das “Casas das Perfeitas”.

    Logico que depois de algum tempo a Igreja realizou uma cruzada feroz.Isto por dois motivos ptrincipais:
    1) O trabalho de reconversão exigia paciencia e humildade.Era lento e somente pregadores como São Domingos de Gusmão tinham talento,conhecimento da Biblia e moral pra tanto.Outros monges e pregadores impacientes e com desconhecimento da Biblia não queriam esperar. Além disso, os sacerdotes cataros voltavam fazendo o trabalho inverso de reconquistar os cataros e outros catolicos. Eles mataram o representante enviado pelo papa e foram acobertados pelo conde Raimundo, senhor feudal da região.

    2) Os cataros começaram a usar de violência contra fieis e autoridades da Igreja.Hora nem uma especie de sociedade tolera revolta contra os poderes constituidos.Se nos dias atuais um grupo de mulçumanos começasse a impor no Brasil a Sharia(a lei Islâmica), juizes,politicos e policiais teriam que dete-los usando a violência se necessario.
    No caso dos Cataros era o mesmo, ja que na Idade Media toda autoridade so era reconhecida como tal se seu poder tivesse a benção ou permissão de Deus.Se o Deus do Antigo Testamento,conforme os cataros era o demonio e a Igreja Catolica o servia então era uma luta de vida ou morte.

    Creio que os senhores adoram o Deus Unico que está na Biblia.Adivinha de que modo os cataros te tratariam então ?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Estudos Gospel+ é um espaço onde se coloca estudos bíblicos, voltado ao público cristão.

Aproveite o conteúdo e compartilhe o conhecimento através das redes sociais.