Grandeza de Deus

2

Olá, queridões e queridonas do blog.

Tudo em paz?

Bom, gostaria de compartilhar com vocês algumas coisas que Deus tem colocado no meu coração. Tenho certeza que vai ser bastante útil na sua caminhada com Cristo. Será um post consideravelmente longo, mas peço para que leia atentamente até o final, porém antes de começar, pare por um momento e ore pedindo para que Deus fale com você através dessa mensagem e que seu entendimento seja aberto.

Há algum tempo, ganhei de duas amigas minhas um livro da Série Heróis da Fé, chamado “Jó – Um homem de tolerância heroica”, escrito por Charles R. Swindoll. Obviamente o livro trata da história de Jó e até onde li é tremendamente edificante. É uma análise inteligente, crítica e inspirada pelo Espírito Santo dessa história que corriqueiramente é pregada nas Igrejas.

Quero tomar como ponto de partida um trecho desse livro que fala sobre a grandeza de Deus, trata-se do Capítulo 13, intitulado “A Futilidade de desenroscar o inescrutável”.

Nesse capítulo o autor começa dizendo algo que me chamou muito a atenção: “O estudo de Jó é essencialmente o estudo do próprio Deus” e, posteriormente, apresenta alguns pontos referentes ao desenrolar dessa história:

Foi Deus que se encontrou primeiro com satanás e fechou o acordo referente a Jó.
Foi Deus que permitiu com que o diabo atacasse Jó.
Foi Deus quem demarcou em quais áreas e quais seriam os limites desse ataque.
Foi Deus quem permitiu que tudo acontecesse, do começo ao fim.
Foi Deus quem quebrou o silêncio e falou com Jó.
Analisando tais informações pode parecer absurdo, que mesmo sendo Jó um homem temente a Deus, fiel ao que o Senhor lhe ordenava fazer, passasse por tamanha tribulação, tendo, aos olhos naturais, todos os motivos do mundo para deixar de servir a Deus. (O livro de Jó relata tais acontecimentos). Porém, por mais que tamanho ataque maligno viesse contra a sua vida, com a permissão de Deus, Jó não amaldiçoou ao Senhor e muito menos deixou de servi-Lo.

Isso é uma lição tremenda para nós: sujeição a vontade de Deus, ainda que tal vontade pareça um completo absurdo.

Em Romanos 11.33 está escrito o seguinte: Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!

Para prosseguirmos nessa meditação sobre a Grandeza do Senhor é preciso que tenhamos claramente o conhecimento sobre o significado das palavras insondáveis e inescrutáveis.

Inescrutável: adj.Que não se pode escrutar ou indagar; impenetrável, insondável.
Insondável: adj. Que não é possível sondar, a que não se pode achar o fundo: abismo insondável. Fig. Que não se pode penetrar, compreender: mistério insondável. Impenetrável.
Baseando-nos no que acabamos de ver, podemos concluir que a vontade de Deus é insondável, impenetrável, não se pode indagar. Aí eu me pergunto: Por que tantas vezes nós, cristãos, tentamos entender, questionar a vontade de Deus para nossas vidas?

É triste, mas na atualidade, muitas das igrejas que formam a Igreja do Senhor, muitos de nós, participantes da Noiva de Cristo, estamos invertendo o papel de servo x senhor e acabamos, inconscientemente, tentando colocar Deus na posição de servo das nossas vontades!

Deve estar me achando louco, né?

Infelizmente não! A crescente busca por bênçãos tem feito com que o povo de Deus tente moldar o Senhor de acordo com suas necessidades e deixado com aquilo que lhe gera algum interesse se cumpra na sua vida, ou seja, eu me intitulo cristão, mas Deus tem que agir como eu quero, quando eu quero e se eu permitir.

Francamente, estamos igualando o nosso Deus aos “deuses” que algumas religiões servem, que não tem capacidade fazer nada, são meros trabalhos manuais feitos por homem, seja de pau, pedra, gesso, enfim, são totalmente imóveis e, ao contrário disso, O Deus Vivo é capaz de fazer coisas tremendas, o impossível, o sobrenatural.

É algo que foge da nossa compreensão tão limitada, vai além do entendimento humano. Em Hebreus 11.3, a Bíblia declara que “Pela fé entendemos que os mundos pela palavra de Deus foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente.”. Tudo o que vemos, todas as estrelas, planetas, galáxias, enfim, TUDO é obra de Deus e pelas suas palavras foram criados.

Para termos uma pequena ideia, o sistema solar se encontra a aproximadamente 30.000 anos luz do centro da via láctea. E adivinhe quem fez tudo isso? Deus. E ainda assim tentamos dosar a grandeza de Deus aos nossos caprichos e vontades.

Tenhamos algo certo em nosso coração: uma vez que entregamos nossa vida ao Senhor Jesus, somos “reféns” da Sua vontade, porém , quando fazemos isso, passamos a desfrutar da liberdade que há nEle. Trata-se realmente de algo muito complexo, chega a ser um paradoxo, onde nos colocamos dentro da vontade de “alguém”, para encontrarmos a real liberdade.

Cabe a nós, nos esforçarmos para estar no centro da vontade do Senhor evitando assim que tudo o que temos feito tenha sido em vão, afinal tudo o que é feito fora da vontade de Deus se perde.(Salmos 127.1)

Aí fico me perguntando quanta coisa já fizemos e se perdeu? Quantas músicas ministradas, ministros de louvor? Quantas palavras pregadas, pregadores? Quantas campanhas na igreja, cristãos? Quantos demônios “expulsos”?

Precisamos acordar e nos portamos como Igreja de Jesus, que não servem a Deus para ter algo, mas porque entendem que o seu chamado é adorar Aquele que é o Todo Poderoso. Precisamos lutar uma guerra em que tenhamos certo quem é o nosso adversário, porém também saibamos quem é o nosso Comandante e venhamos acatar as suas direções e vontades, muitas vezes sem entender, mas sabendo que é o melhor.

Antes mesmo de resistirmos qualquer obra do inferno, para que o diabo fuja de nós, temos que estar sujeitos à vontade de Deus, meus irmãos: Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
Tiago 4:7

Tudo isso é muito sério e, na verdade, a essência está num versículo conhecido de todos os cristãos: Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Mateus 6:33.

Busquemos a vontade dEle para as nossas vidas e que não tentemos deixar Deus do tamanho das nossas necessidades, mas simplesmente buscá-Lo, sabendo que quando fazemos isso tudo o que precisamos virá de forma natural, pela Graça.

Lembrem-se sempre: Sem sujeição, não há salvação.

É isso queridos!

É sempre um privilégio poder compartilhar ensinamentos do Pai com vocês.

Deus abençoe!

E vamos ganhar esse mundão pra Jesus!

João Filho


2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here