Duas Coberturas e Duas Consequências

0

Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

“O que encobre as suas transgressões nunca prosperará.” – Provérbios 38.13.

“Perdoaste a iniquidade de teu povo, encobriste todos os seus pecados.” – Salmo 85.2.

Nestes dois textos nós temos a cobertura do homem, a qual é inútil e culposa, e a cobertura de Deus, que é rentável, e digna de toda aceitação.
Assim que o homem desobedeceu a vontade de seu Criador no jardim do Éden então ele descobriu, para sua surpresa e consternação, que estava nu, e ele começou ao mesmo tempo a fazer para si uma cobertura. Isto foi uma pobre tentativa que nossos primeiros pais fizeram, e ela provou ser uma miserável falha. “Eles costuraram folhas de figueira juntos.” Depois que Deus veio e lhes revelou ainda mais plenamente a sua nudez, fez com que confessassem seu pecado, e então está escrito que o Senhor Deus fez túnicas de pele. Provavelmente as vestes foram feitas de peles de animais que tinham sido oferecidos em sacrifício, e, se assim foi, eles eram um tipo da provisão que tinha sido feita para nós como uma oferta pelo pecado e um manto de justiça perfeita. Todo homem desde os dias de Adão tem passado pela mesma experiência, mais ou menos, confiando em sua própria criatividade para esconder sua própria confusão de rosto. Ele tem descoberto que o pecado o tornou nu, e ele começou a trabalhar para vestir-se.

Como eu lhes mostrarei presentemente, ele nunca tem conseguido. Mas Deus tem prazer em lidar com o seu próprio povo, segundo as riquezas da sua graça; ele tem coberto a sua vergonha e expulsado os seus pecados para que que eles não sejam mais lembrados.
Deixe-me agora direcionar sua atenção, em primeiro lugar, à cobertura do homem, e sua falha; e, em seguida, à cobertura de Deus, e sua perfeição.
Há muitas maneiras em que os homens tentam cobrir seu pecado. Alguns o fazem por negarem que eles pecaram, ou, admitindo a verdade, eles negam a culpa; ou então, francamente reconhecendo tanto o pecado e a culpa, eles se justificam.
Alguém aqui pode estar dizendo consigo: “Pode ser que eu tenha quebrado a lei de Deus, mas nem tanto. Como guardar uma lei tão perfeita? eu a tenho violado, pois é natural estar sujeito a tentações, e ceder ao fascínio.”

Mas, na verdade, você está humilhando Deus, você está injuriando o Todo-Poderoso. Você está impugnando a lei para vindicar-se ao quebrá-la. A lei é santa, justa e boa. Você está jogando o ônus de seus pecados a Deus. Você acha que isso vai ser tolerado?
Rogo-te a não recorrer a uma tal cobertura como esta, porque, ao mesmo tempo que é totalmente inútil, acrescenta pecado a pecado, e te expõe à vergonha.
(Antes de prosseguirmos com o texto de Spurgeon, gostaríamos de ressaltar que as Escrituras foram produzidas por uma nação que se encontrava debaixo do governo teocrático, a saber, Israel, de modo que eles tinham conhecimento da lei de Deus, e a Inglaterra desde os puritanos até os dias de Spurgeon era uma nação eminentemente cristã, tendo havido inclusive a obrigatoriedade de cumprir a ordenação dos reis de que cada cidadão inglês comparecesse aos cultos na Igreja Anglicana, de modo que era também uma sociedade com um conhecimento geral da Palavra de Deus. Mas em nossos dias, na grande maioria das nações da Terra quando a iniquidade tem se multiplicado, e não somente quando os mandamentos de Deus não são conhecidos ou respeitados e quando até a própria existência de Deus é questionada ou negada, principalmente pela aceitação de argumentos evolucionistas e seculares, torna-se quase ausente qualquer consciência de se estar transgredindo os mandamentos de Deus. Consciências cauterizadas não podem conhecer, entender e muito menos praticar a vontade de Deus – nota do tradutor).

Em muitos casos, pessoas que violam a lei de Deus têm esperado cobrir sua transgressão pelo sigilo. Você não sabe que a Providência é um detetive maravilhoso? Cada pecado deixa um rastro. Deus conhece os segredos dos corações de todos, conhece suas mentes e ações.
Essas coisas que você tem escondido serão trazidas à luz, porque Deus é o grande descobridor do pecado. É inútil pensar que podem esconder suas transgressões. O que encobre o seu pecado desta maneira não prosperará.
Ainda, muitos pecadores têm tentado encobrir seu pecado com falsidade. Na verdade, este é o hábito costumeiro. O pecado de Ananias e Safira, em mentir, a fim de esconder o seu pecado, a rapidez com que foi descoberto, e quão terrível foi a retribuição!
Há alguns que tentam cobrir seu pecado por prevaricação. Com astuta sutileza se esforçam para fugir à responsabilidade pessoal. Memorável é o caso de Davi. Não vou me alongar sobre o seu flagrante crime; mas devo lembrá-lo de seu subterfúgio, quando ele tentou esconder a baixeza de sua luxúria por conspirar para causar a morte de Urias. Há aqueles que planejam jogar a culpa nos outros, mesmo em prejuízo de sua reputação, para escapar à odiosidade de suas próprias práticas ilícitas.

Quem sabe, nesta congregação possa haver alguém que ocupe uma alta posição social, apoiada por uma profunda imoralidade mercantil? Que se apresentam orgulhosamente diante do público como homens de riqueza, enquanto falsificam suas contas, furtando dinheiro, rolando em luxo e vivendo em perigo (coisa muito comum no mundo atual e especialmente no Brasil – nota do tradutor). Eles têm prosperado? Eles devem ser invejados? A eles se aplica a sentença bíblica de que não prosperarão. Os cães de caça da justiça divina estão no seu rastro. Eles serão descobertos. Vocês podem escapar da devida recompensa nesta vida, mas certamente sua culpa é conhecida no céu, e serão julgados e condenados no grande dia que decidirá seu destino eterno.
Quando a trombeta da ressurreição tocar, haverá uma ressurreição de caracteres. O homem que tem caminhado na justiça do evangelho se alegrará na luz que reflete sua pureza. Mas o homem cujos vícios latentes foram habilmente forjados será trazido também para a luz. Seus atos e motivos serão igualmente expostos. Assim ele mesmo verá a ressurreição de seus crimes, e com que horror ele irá enfrentar aquele dia do juízo!
“Ai, ai!” ele diz, “Eu tinha esquecido deles. Estes são os pecados da minha infância, os pecados da minha juventude, os pecados de minha maturidade, e os pecados de minha velhice. Eu pensei que eles estavam mortos e enterrados, mas eles começam a se levantar de seus túmulos. Minha memória foi vivificada. Lá estão todos eles, e, como muitos lobos em torno de mim, parecem sedentos de minha destruição. “Cuidado, Oh! Homens que têm enterrado seus pecados, pois eles se levantarão de seus túmulos e lhes acusarão diante de Deus. O tempo não pode cobri-los.

A tarefa mais alegre recai sobre mim agora, enquanto eu chamo a atenção para meu segundo texto, “Cobriste todos os seus pecados.”
A Cobertura de Deus é afirmada a respeito do Seu povo. Todos os que têm confiança no sacrifício expiatório que foi apresentado pelo Senhor Jesus Cristo no Calvário podem aceitar essa garantia de boas-vindas, “Deus tem coberto todos os seus pecados.”
Eu vou lhe dizer como isto ocorre.
Antes que Deus cubra os pecados de um homem Ele os desvenda. Você já viu seus pecados revelados? Alguma vez lhe pareceu como se o Senhor colocasse a mão em cima de você, e lhe dissesse: “Olhe, olhe para eles”? Você foi levado a ver seus pecados como você nunca viu antes? Você sentiu seus agravos aptos para levá-lo ao desespero? Você já descobriu neles uma profundidade de culpa, e iniquidade, e inferno?
E se Deus faz assim, e você vê o seu pecado à luz do Seu rosto, Ele tem seus propósitos de misericórdia para com você. Quando você vê e confessa, Ele vai apagá-lo. Então, logo que Deus, em infinita benignidade, faz com que o pecador conheça a verdade que ele é um pecador, e retira-lhe os trapos de sua justiça própria, Ele lhe concede perdão e roupas para cobrir sua nudez. Enquanto ele está tremendo diante do olhar do Todo-Poderoso, condenado, a culpa é extraída da sua consciência.

Todo aquele que reconhecer a si mesmo como culpado, e que vier e colocar a sua confiança em Jesus Cristo, terá seus pecados cobertos.
Somente Deus pode cobrir o pecado. É contra ele que o pecado foi cometido. É a pessoa ofendida que deve perdoar o agressor. Ninguém mais pode. Ele é o Rei. Ele tem o direito de perdoar. Ele é o Soberano Senhor, e ele pode apagar o pecado. Além disso, ele pode cobri-lo legalmente, porque o Senhor Jesus Cristo, a fim de que a justiça de Deus pudesse ser vindicada, sofreu em nosso lugar, pagando a pena relativa ao nosso pecado. Agora, o sacrifício de Deus cobre o pecado – cobre por cima; e ele mais do que o cobre, ele deixa de ser. Além disso, o Senhor Jesus guardou a lei de Deus, e a sua obediência significa, a nossa obediência; Deus aceita a Ele e a Sua justiça em nosso nome, imputando os Seus méritos às nossas almas.

A expiação foi feita antes do pecado ter sido cometido. A justiça foi apresentada antes mesmo que tivéssemos nascido. É afirmado nas Escrituras que o Cordeiro de Deus, que foi morto desde antes da fundação do mundo, teve no propósito de Deus, desde a fundação do mundo, abrangido todos os pecados de Seu povo. Portanto, somos aceitos no Amado, e queridos ao coração do Pai. Oh! que alegria há quando você pode sentir pelo poder interior e testemunho do Espírito Santo que seus pecados são cobertos.
Amado, a cobertura é tão ampla quanto o pecado. Cobrindo-o completamente, para sempre cobre; porque Deus vê sem pecado aqueles que são lavados no sangue de Jesus.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here