Acariciando o Pecado e Flertando Com o Inimigo

0

Pecados tratados com carinho te custarão caro. (Horatius Bonar)

Quem não conhece a história de Sansão e Dalila? Sansão foi consagrado ao Senhor como Nazireu no ventre de sua mãe. Este reinado tinha tudo para ter êxito. Sansão era abençoado e os privilégios que Deus lhe prometera antes de nascer fariam dele um homem de grande respeito e admiração entre os povos. Sansão fora agraciado com uma força sobrenatural, concedida pelo próprio Deus. Ele conseguia fazer sozinho coisas extraordinárias que vários homens juntos não conseguiam.

Até que conheceu Dalila… Assim, Sansão foi deixando de lado suas responsabilidades como Nazireu e começou a se preocupar com seus próprios desejos e interesses. Foi aqui que começou o seu declínio. Quando abandonamos os princípios divinos, iniciamos, mesmo que aos poucos, uma descida ladeira abaixo que, logo, ficará fora de controle e trará consequências imprevisíveis e desastrosas. Não muito tempo depois, vemos a tragédia se repetir na vida de outro herói hebreu: Davi.

Qual foi, então, o erro de Sansão? Aquele que costuma ser o mesmo que nós também cometemos nos dias de hoje: o de negligenciar princípios básicos.

Foi exatamente assim que, acariciando o pecado, Sansão cavou sua própria cova, destruiu seu reinado, perdeu sua força e a sua unção e pior de tudo: decepcionou aqueles que o amavam e depositavam nele a esperança de libertação do jugo inimigo.

Na vida cristã não é diferente. Quando consagramos nossa vida a Deus, podemos contar com uma porção de coisas boas, nas quais Deus nos abençoa, com a intenção de glorificarmos o Seu Nome. São bênçãos em formas de dons, talentos, ministérios, força, discernimento, sabedoria, paz, alegria, etc. São bênçãos que nos fortalecem durante a nossa peregrinação na terra, e nos fazem andar em passos seguros.

Sabe, a vida com Deus envolve muitos privilégios, mas também MUITAS RESPONSABILIDADES. #pense_nisso
Cara a cara com o Pecado

“Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo”. Gn 4:7.

Sansão acariciou o pecado, ele cometeu o grave erro de brincar com o pecado. O pecado é como um câncer na vida de um homem, que vai se alastrando e consumindo aos poucos, conduzindo o pecador a morte. E, como o câncer, deve ser identificado e tratado o quanto antes pois, em alguns casos, pode ser tarde demais o socorro!

A Bíblia trata o pecado como um caso sério. E, se é sério, deve ser tratado à altura que merece, com a maior seriedade. Como? Arrancado pela raiz!

De uma coisa você pode ter certeza: o pecado nunca surge de forma desinteressante, embora possa surgir de forma despretensiosa. Sansão foi atraído pela beleza de uma mulher estranha e imoral. Ele a VIU! E seus olhos se agradaram dela. Como você deve bem saber, o homem é atraído pela aparência, vide o caso de Samuel (homem de Deus!), iludido com a imponente presença de Eliabe, irmão de Davi. Ora, se não fosse o Senhor na vida de Samuel, o experiente profeta teria ungido o filho errado!

“Tudo começa com um olhar!” Provérbios 6.25

Não obstante, ele se casou com essa bela mulher e isso acabou por desencadear outros pecados: ele matou um leão, depois tocou no cadáver e bebeu vinho, coisas que lhe eram proibidas por ser Nazireu, conforme prescrito na Lei de Moisés. Certamente Sansão jamais pensaria que essas atitudes, aparentemente inofensivas, seriam o começo de sua derrota.
O Pecado Nos Leva a Descobrir Nossos Segredos

Após esses acontecimentos na vida de Sansão, passando pelo episódio das raposas de fogo (seria dali a inspiração do browser Firefox? risos), da matança dos 1.000 filisteus com uma queixada de jumento e da noitada com a prostituta, a vida desse outrora consagrado homem de Deus veio descendo ladeira abaixo. Sansão era um homem de força extraordinária, mas infelizmente incapaz de refrear seus próprios instintos. É triste reconhecer isso, mas se você olhar em volta, verá muitos “sansões” por aí…

Então, depois de tudo isso, Sansão se afeiçoou de Dalila. Quando pensávamos que Sansão já havia atingido o fundo do poço moral, descobrimos que o buraco era mais embaixo. O que faria Sansão deixar-se enredar por uma mulher que só lhe trouxe amargura e angústia? É difícil responder a essa questão, mas é impossível não associar esse fracasso sentimental às peripécias anteriores de Sansão. Mas, o pior ainda estava por vir: Os governadores filisteus pediram a Dalila que ela descobrisse o segredo da grande força de Sansão.

“não descubra seu coração para qualquer um!”

“Então ela lhe disse: Como dirás: Tenho-te amor, não estando comigo o teu coração? Já três vezes zombaste de mim, e ainda não me declaraste em que consiste a tua força.”
Juízes 16:15

Aqui cabe um pequeno parêntesis: você deve se lembrar do sucesso que fez aquele livro que vendia, supostamente, um segredo. Ora, quem vende segredo é agente duplo. O agente duplo é aquele espião que trabalha para os dois lados, ou seja, não é leal a nenhum até que saiba de qual lado ele vai ganhar mais. E eu fico a me perguntar com meus botões: merece confiança aquele(a) que vende segredos? Você gostaria de ter um amigo(a) que vendesse seus segredos? Pois é, parece que ainda existem muitas “dalilas” hoje em dia e nós é que não estávamos prestando atenção… Mas, voltando.

Astutamente, o jogo da mulher que seduziu Sansão era estratégico. Ela tinha paciência, aliás: muita paciência! Devagar ia chantageando o homem! Pacientemente, um dia após o outro… até que Sansão se rende e descobre-lhe a fonte de sua força. É sempre assim: o diabo cede um metro se puder avançar um quilômetro depois. Pouco a pouco, brincando com o pecado, ele ia se afundando cada vez mais em um abismo. Acariciando o pecado, ia apaixonando-se cada vez mais por seu maior inimigo. É assim que o inimigo age… sorrateiramente!

Sansão viu-se na mais trágica das situações, quando seu terceiro voto com Deus como Nazireu foi quebrado, ou seja, quando seu cabelo foi cortado. Nesse tempo, sua consciência também estava cauterizada, pois ele não percebeu que o Espírito do Senhor já o havia deixado. O que Sansão não sabia era que a fonte de sua grande força não estava em seu longo cabelo, mas sim no Poder do Senhor disponível enquanto ele se mantinha fiel a Deus e a seus votos como nazireu.

Se ele tivesse sido fiel a Deus, e honrado seu compromisso com Seus princípios, ninguém poderia ter tirado dele o seu poder, ainda que seu cabelo tivesse sido cortado!

Deus tem compromisso com aqueles que têm compromisso com ELE. Quando nossa força está em DEUS, NINGUÉM pode tirá-la de nós!

Negociando valores inegociáveis

Um simples ato nosso, aos poucos pode cauterizar nossa consciência a respeito do pecado a ponto de o erro tornar-se aparentemente inofensivo e comum. Mas, a verdade é que existem valores inegociáveis, principalmente aqueles que ferem a nossa fidelidade para com Deus e interferem diretamente em nosso relacionamento com Ele. Ferir esses princípios nada mais é do que sacrificar valores eternos no altar da efemeridade. Por que a surpresa se, depois de um tempo, o fracasso bate à porta para cobrar a fatura?

Se nós formos cuidadosos em observarmos as pequenas ordenanças de Deus, nunca falharemos nas grandes.

Sem forças, sem visão, sem coragem, sem honra, sem a presença de Deus, sem unção, sem uma razão para viver, sem ter mais para onde olhar, de cabeça baixa, humilhado… este foi o trágico fim de um homem que tinha tudo para dar certo e realizar grandes feitos para Deus e seu povo. Observe como o pecado destrói sonhos, projetos e impede que realizações sejam levadas a termo. Acariciar o pecado pode até ser agradável (gostoso) por um tempo mas, no fim, vai restar um gosto amargo na boca.

O mais lindo da Palavra de Deus é que ela sempre nos mostra que quando clamamos a Deus e nos arrependemos dos nossos pecados, ELE nos perdoa e nos ouve!

Quando ao final da história, Sansão clamou ao Senhor, Deus lhe ouviu e ainda restituiu sua força em seus últimos momentos de vida. O que isso nos ensina hoje? Que é possível restituirmos nossa intimidade com Deus quando nos arrependemos de coração sincero e contrito. Quando nos humilhamos perante o Rei do universo, Ele se inclina para ouvir nosso clamor e atender nossa súplica.

Você pecou? Todos pecam. Eu peco, você peca, nós pecamos. Todos pecam, mas arrepender-se é que não é para qualquer um. Pecou? Arrependa-se, pois Deus está pronto para ouvir sua súplica e conceder o perdão que restaura. Reconhecer que somos pecadores, sujeitos a cair e inclinados para o mal, nos ajuda a depender de Deus em todas as situações tentadoras!

“Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia.” 1 Corintios 10:12

“Sou livre, vivo a lei da liberdade, e hoje, sem amarras de falsa religiosidade e sem regras sócio egocêntricas, agrada-me lutar contra o pecado – essa luta é continua e diária, as seduções são várias, sou vulnerável e, às vezes, derrotado, porém, após a consciência da Graça de Deus para comigo, sou menos derrotado.”

(Dr. Alysson da Silveira Campos – Médico na região do Vale do Aço. Trecho do Livro: Saúde e Espiritualidade – O segredo para o perfeito bem-estar)

#Cuidado! Não brinque com o pecado! Não seja escravo da sua fraqueza! Não acaricie seu maior inimigo, pois ele, futuramente, não terá piedade de você! Escapa por tua vida: faça uma aliança com seus olhos e os desvie daquilo que te leva para longe de DEUS. Agindo assim, você desfrutará o melhor de DEUS para a sua vida!

Querido leitor, esse texto tem como objetivo um alerta, para que nós fiquemos atentos e em constante vigilância, pois o diabo é sutil e anda ao nosso derredor, tentando nos armar ciladas que podem trazer danos irreversíveis à nossa vida e à vida de pessoas queridas que nos cercam!

Por Raíssa Bomtempo, com Wallace Sousa, do blog Desafiando Limites (www.wallysou.com e www.raissabomtempo.blogspot.com.br)


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here