Veracidade

1

Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.

“Ah! SENHOR, não é para a verdade que atentam os teus olhos?” (Jeremias 5.3 a)

A alusão não é feita à verdade doutrinal de Deus, ou à verdade de forma abstrata, mas à verdade prática, uma vez que deve existir nos corações e nas vidas dos homens. Pode-se ler: “Senhor, não estão os teus olhos sobre a veracidade?” Ou, “à fidelidade?” O Senhor disse a Jeremias no início do capítulo: “Dai voltas às ruas de Jerusalém; vede agora, procurai saber, buscai pelas suas praças a ver se achais alguém, se há um homem que pratique a justiça ou busque a verdade; e eu lhe perdoarei a ela.” E a resposta de Jeremias foi: “Embora digam: Tão certo como vive o SENHOR, certamente, juram falso. Ah! SENHOR, não é para a fidelidade que atentam os teus olhos?

Tu os feriste, e não lhes doeu; consumiste-os, e não quiseram receber a disciplina; endureceram o rosto mais do que uma rocha; não quiseram voltar.”

Neste capítulo, você notará que não temos apenas uma descrição temerosa do estado de coisas, nos dias do profeta Jeremias. Temos também um conjunto mais melancólico de retratos de homens falsos.
Jerusalém estava podre até ao âmago – a nação era enganosa por completo. No versículo 27 lemos: “Como a gaiola cheia de pássaros, são as suas casas cheias de fraude; por isso, se tornaram poderosos e enriqueceram.” Quando um coração é mentiroso e desonesto, quando a retidão partiu dele, então está preparado para a semeadura de toda coisa má. Qualquer crime é possível para um mentiroso! Aquele que está estragado com falsidade será rasgado ao toque da tentação.

Deus nos livre da falsidade, uma vez que leva a algo pior, pois no segundo verso é dito que estas pessoas eram infiéis até mesmo em seus juramentos! “Eles dizem: “Certamente vive Jeová”, mas falsamente juram. Eles ousaram usar o mais sagrado de todos os nomes em seus lábios e chamar a Deus para testemunhar uma mentira! Aquele tem ido tão longe assim com a falsidade nem sempre para em perjurar. Não é de admirar que eles não eram fiéis a seus votos de casamento. Eu não preciso ler a expressão forte em que o Profeta apresenta a fornicação e o adultério que abundavam em seus dias – quando não hesitaram em trazer dor a suas casas e extrema tristeza e miséria para as suas esposas por cederem às suas paixões, pois aquele que é traidor de Deus em breve será traidor de todos os laços familiares.

Quando Deus tinha aplicado a correção, eles disseram: “Isto não é Deus É má sorte. Isto é o destino e a sorte que ocorrem a todos” Eles não iriam ver a mão de Deus! Quando os corações estão corrompidos os homens não são capazes de ver um procedimento claro e verdadeiro de Deus ou que, quando veem eles os negam dizendo: “Não há Deus, ou se houver um Deus, Ele não se mete com as coisas da vida diária.”
Lance fora o Deus puro e verdadeiro, e você precisa de um deus de algum tipo e assim cada homem fabrica um deus de si mesmo a seu gosto. A mente de terra dos gentios faz um deus da lama. O livre-pensador inventa um deus que não tem justiça e, consequentemente, não toma vingança contra o pecado. O homem olha para Deus e acha que o vê quando ele se vê em um espelho! Por natureza, cada homem é seu próprio deus, ele adora a sua própria imagem. É somente o homem que é puro de coração que pode ver a Deus.

E, pior de tudo, se não pode ser pior, quando um homem, uma vez dá-se a um coração enganoso, ele chega a ser um destruidor de outros. Observe o versículo 26. “Porque entre o meu povo se acham perversos; cada um anda espiando, como espreitam os passarinheiros; como eles, dispõem armadilhas e prendem os homens.” Não contentes em estarem perdidos, eles mesmos se tornaram servos de Satanás para destruírem os outros! Esses demônios em forma humana que certamente atingiram o último estágio da corrupção, quando não somente pecam, eles mesmos, mas são os criadores do pecado nos outros!

Olhe bem para este retrato do progresso do engano. Eles começam sendo desonestos com seus semelhantes e, finalmente, chegam a este ponto de se tornarem agentes comissionados de Satanás, caçadores para o diabo, passarinheiros que enredam homens com os caçadores de pássaros! Este era o estado de coisas no tempo de Jeremias. Nós não temos, eu confio, bastante de tal estado de coisas entre nós, hoje, como uma praga universalmente prevalente, mas temos muito a doença da mentira em todas as épocas (Deve ser destacado que Spurgeon escreveu isto no século XIX, quando a iniquidade não havia ainda se multiplicado, como nos nossos dias, em que se tem ultrapassado em muito o estado das coisas que ocorriam em Judá nos dias do profeta Jeremias – nota do tradutor).

O apelo de Jeremias foi de um homem santo de Deus. Ele diz que, de fato, “Ó Senhor, não são teus olhos aptos para que possas detectar o que é verdade e o que é mentira? Tu contemplas a verdade. Aquilo que é trazido a Ti como adoração, podes dizer se é sincero ou não. Teus olhos veem os fatos que se encontram sob a cobertura das aparências. Tu podes discernir entre o justo e o ímpio.”

Sim, Deus é o detector de imposturas e falsificações e pelo Seu julgamento infalível o precioso deve ser separado do vil – “porque o Senhor é um Deus de julgamento e por ele são pesadas as ações.” “Não estão os seus olhos voltados para a verdade?”

O Profeta havia se oferecido para percorrer as ruas e procurar um homem honesto, mas ele, na verdade, clamou: “Senhor, Tu sabes onde ele está, se houver ainda um remanescente.” Deus não precisa procurar com uma lanterna para encontrar um homem verdadeiro, pois “o Senhor conhece os que são seus”. Ló em Sodoma é como um pássaro solitário nas montanhas, mas o Senhor o percebia e o livrou. Os verdadeiros estão muitas vezes escondidos aos olhos da humanidade, mas os olhos de Deus estão firmemente fixados sobre eles, como está escrito: “Os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos estão abertos ao seu clamor.”

O Senhor pode detectar impostores, mas ele também pode descobrir a veracidade e podemos estar certos de que Ele o fará.

Fingir ser outra coisa do que somos de fato, diante de Deus, é uma loucura terrível. Certamente, Satanás rirá daqueles que vêm diante de Deus com palavras de piedade em seus lábios quando não há devoção em seus corações! Isto é totalmente inútil. É um desperdício de tempo e energia.

Tudo sobre você e eu que seja irreal, Deus odeia, e odeia-o mais em suas próprias pessoas do que em qualquer outro lugar! Se em oração, usamos expressões que realmente não vêm de nossos corações, ou se não falamos a verdade com os nossos semelhantes, isto é abominável aos olhos de Deus! Ele preferiria ter-nos diante dele em toda a nudez e vergonha dos nossos primeiros pais e ficar lá e confessarmos os nossos crimes do que nos vestimos com as folhas de figueira da formalidade e da hipocrisia.

Eu lhe diria que quaisquer que sejam os erros ou transgressões que você cometa, seja verdadeiro. Não use o manto da hipocrisia! Nunca professe ser o que você não é! Nunca se atreva a pôr em perigo a sua alma por uma mentira! Lembre-se, de que não há maneira nenhuma mais segura de ir para o inferno do que a forma de engano, pois está escrito: “Todos os mentirosos terão sua parte no lago que arde com fogo e enxofre.” Aquele que ama e pratica a mentira deve ser lançado para fora da presença de Deus e da glória do Seu poder.

Lembre do grande valor da veracidade pois se diz: “Ó Senhor, não estão os teus olhos sobre a veracidade?” O grande valor disto é que ela, sozinha, é considerada por Deus em matéria de religião, pois Seus olhos estão sobre o que é verdadeiro em nós e todo o resto não é digno de Sua atenção. Por exemplo, suponha que eu diga: “Eu me arrependo”. A questão é: – Será que eu realmente e do meu coração tenho tristeza pelo pecado? Há uma mudança em minha mente no que diz respeito ao pecado, para que o que eu amei uma vez agora eu deteste? É assim? – É somente pelo nosso arrependimento, que o coração é aceito diante de Deus. Lágrimas, suspiros, gemidos, estes são apenas vento e para nada servem se o coração não estiver quebrantado.

O mesmo acontece em relação à fé. Um homem pode dizer: “Eu creio”, como milhares dizem em seu credo “Creio em Deus Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra”, e assim por diante. Ah, mas você confia em Deus com todo o seu coração?

Você está real e sinceramente crendo em Deus e em Sua Palavra, no Filho de Deus e no Seu Evangelho? Se não, toda a sua fé professada é inútil!

Deus valoriza a honestidade e a sinceridade de nossas ações, e a profundidade delas. E Ele não considera o que fazemos caso não seja a Sua verdade. Isto é igualmente verdadeiro em relação ao culto privado. A leitura diária da Bíblia é uma coisa muito excelente, mas você lê com sua alma, bem como com seus olhos?

O valor da veracidade será visto por Deus porque, mesmo em seu nível mais baixo de desenvolvimento, Ele a considera. Eu acho que eu poderia chamar de menor desenvolvimento o que está dito no primeiro versículo do capítulo, “vede agora, procurai saber, buscai pelas suas praças a ver se achais alguém, se há um homem que pratique a justiça ou busque a verdade”, isto é, um homem que sente que ele não é tudo o que ele quer ser, mas que ainda quer ser verdadeiro. O homem que está sendo procurado aqui é consciente de muitas faltas. Sim, e ele sente que às vezes não é perfeitamente sincero e transparente e, por isso, ele odeia a si mesmo e observa as tendências enganosas do seu coração e com zelo procura ser fiel. Oh, meu caro amigo, se você realmente está no rumo certo. Se você está tentando ser sincero. Se você está trabalhando para ser sincero diante de Deus. Se você pode dizer: “Eu preciso de conversão genuína e verdadeira fé em Cristo.”, então Deus aceita ainda que seja esta busca da verdade, que está em sua alma! Ele pode guarda-lo para que o busque pelo Seu Espírito Divino até que você saia para a clara luz do meio-dia da bendita verdade de Deus como está em Jesus.


1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here