Os poderes satânicos descritos em Efésios 6

0

Doutrinas demoníacas têm sido geralmente
consideradas como pertencendo também à Igreja de Roma,
devido aos dois resultados de ensinos demoníacos
mencionados por Paulo, que caracterizam essa Igreja, ou as
“seitas” posteriores do século XX, com sua omissão da idéia
de pecado e da necessidade do sacrifício remidor de Cristo e
de um Salvador Divino.

Mas há um vasto domínio de engano
doutrinário por meio de espíritos enganadores penetrando e
interpenetrando a cristandade evangélica, por meio do qual
os espíritos malignos, em maior ou menor grau, influenciam
a vida até de homens cristãos, exercendo domínio sobre eles;
até cristãos espirituais são assim afetados no plano descrito
pelo apóstolo, em que os crentes unidos ao Cristo ressurreto
encontram “forças espirituais do mal nas regiões celestiais.”
Os poderes satânicos descritos em Efésios (5.12 são apresentados
divididos em:

1) Principados: poderes e dominadores que lidam com
nações e governos;
2) Potestades, com autoridade e poder de ação em
todas as esferas abertas a elas;
3) Dominadores do mundo, governando as trevas e
cegando o mundo de forma geral;
4) Forças espirituais do mal nos lugares celestiais, que
dirigem suas forças contra a Igreja de Jesus Cristo, em
artimanhas, dardos inflamados, ataques violentos e todo
engano imaginável sobre doutrinas que sejam capazes de
planejar.

O perigo para a casa de Deus não é, portanto, para
poucos, mas para todos, pois, obviamente, para começar,
ninguém pode apostatar da fé a não ser aqueles que estejam
verdadeiramente na fé. O perigo tem sua origem em um
exército de espíritos ensinadores derramados por Satanás
sobre todos os que estejam abertos aos ensinamentos
provindos do mundo espiritual e, por meio da ignorância a
respeito de tal perigo, sejam incapazes de discernir as artimanhas
do inimigo.

O perigo assalta a Igreja vindo do mundo sobrenatural e
vem de seres espirituais sobrenaturais que são pessoas (Mc
1.25) com capacidade inteligente de planejar (Mt 12.44, 45),
com estratégia (Ef 6.11), o engano daqueles que lhes
obedecem.

O perigo é sobrenatural. E os que estão em perigo são os
filhos espirituais de Deus, que não serão enganados pelo
mundo ou pela carne, mas estão abertos a tudo o que
possam aprender das coisas “espirituais”, com desejo sincero
de ser mais “espirituais” e mais avançados no conhecimento
de Deus. Pois o engano por meio de doutrinas não
preocuparia tanto o mundo quanto preocupa a Igreja.

Os espíritos malignos não tentariam atrair cristãos espirituais
para pecados declarados, como assassinato, bebedeira,
jogatina, etc, mas planejariam o engano na forma de ensino e
doutrinas, aproveitando-se do fato de o crente não saber que
o engano por meio de ensino e doutrinas permite a espíritos
malignos “possuírem” o enganado tanto quanto por meio de
pecado.

COMO OS ESPÍRITOS MALIGNOS ENGANAM
POR MEIO DE “DOUTRINAS”

A maneira pela qual os espíritos malignos, na qualidade
de mestres, levam os homens a receber seus ensinamentos
pode ser resumida em três pontos específicos:

1. Dando suas doutrinas ou ensinamentos como
revelações espirituais àqueles que aceitam
tudo que é sobrenatural como Divino
simplesmente porque é sobrenatural — é certa
classe desacostumada com o mundo
espiritual, que aceita tudo o que é “sobrenatural”
como proveniente de Deus. Essa forma de
ensino é direta à pessoa, por meio de “flashes”
de luz sobre um texto, “revelações” por meio
de visões de Cristo ou seqüências de textos
aparentemente dados pelo Espírito Santo.

2. Misturando seus ensinamentos com o próprio
raciocínio do homem, para que ele pense que
chegou às suas próprias conclusões. Os
ensinos dos espíritos enganadores nesta forma
aparentam ser tão naturais que parecem vir
do próprio homem, como fruto de sua própria
mente e consideração. Os espíritos de engano
imitam a obra do cérebro humano e
introduzem pensamentos e sugestões na
mente humana, pois podem se comunicar
diretamente com a mente, sem a necessidade
de possuir, em qualquer grau, a mente ou o
corpo.

Os que são assim enganados acreditam que chegaram
às suas próprias conclusões por meio de seus próprios
raciocínios, ignorando o fato de que os espíritos de engano
incitaram-nos a “raciocinar” sem dados suficientes ou
baseados em uma premissa errada e, assim, chegar a falsas
conclusões. O espírito de ensino atingiu seu próprio objetivo
colocando uma mentira na mente do homem pela
instrumentalidade de um raciocínio falso.

3. Indiretamente usando mestres humanos enganados,
que supõem estar ensinando a “verdade” divina mais pura e
em quem as pessoas implicitamente acreditam por causa de
sua vida e caráter piedosos. Os crentes dizem: “Ele é um
homem bom e um homem santo, e eu creio nele.” A Eles
tomam a vida do homem como garantia suficiente para seu
ensino, em vez de julgarem o ensinamento por meio das
Escrituras, independente do caráter pessoal de quem ensina.

O fundamento disso é a idéia comumente aceita de que tudo
o que Satanás e seus espíritos malignos fazem é
manifestamente mau. A verdade que não se percebe é que
eles operam sob o disfarce da luz (2 Co 11.14), ou seja, se
conseguirem que um “homem bom” aceite algumas de suas
idéias e as passe adiante como “verdade”, ele se torna um
instrumento muito melhor para os propósitos de engano do
que um homem mau que não teria credibilidade alguma.

FALSOS MESTRES E MESTRES ENGANADOS

Há uma diferença entre falsos mestres e mestres
enganados. Há muitos mestres enganados entre os mais
dedicados mestres hoje em dia, porque não reconhecem que
um exército de espíritos ensinadores tem-se apresentado para
enganar o povo de Deus e que o especial perigo para a parte
mais espiritual da Igreja está no campo sobrenatural, de onde
os espíritos enganadores, com ensinamentos, estão
sussurrando suas mentiras a todos os que são “espirituais”,
isto é, abertos a coisas espirituais.

Os espíritos ensinadores com suas doutrinas farão todos os esforços para enganar
aqueles que têm de transmitir “doutrina,” e buscam mesclar
seus “ensinamentos” com a verdade, para fazer com que
sejam aceitos. Hoje em dia, todo crente deve provar seus
mestres por si mesmos, pela Palavra de Deus e de acordo com
a atitude deles em relação à redentora cruz de Cristo e a
outras verdades fundamentais do evangelho, e não ser levado
a provar o ensino pelo caráter do mestre. Bons homens
podem ser enganados, e Satanás precisa de bons homens
para fazer com que suas mentiras passem por verdade.

O EFEITO DOS ENSINOS DE ESPÍRITOS MALIGNOS

SOBRE A CONSCIÊNCIA

A maneira pela qual os espíritos malignos ensinam é
descrita por Paulo como sendo o falar mentiras em hipocrisia,
isto é, falar mentiras como se fossem verdades. Paulo
também diz que o efeito de suas obras é a cauterização da
consciência, ou seja, se um crente aceita os ensinos dos
espíritos malignos como sendo divinos, porque eles lhe vêm
sobrenaturalmente, e obedece a tais ensinamentos e os
segue, a consciência fica sem utilização, de forma que se
torna praticamente entorpecida e passiva — ou endurecida —
, levando o homem a fazer coisas sob a influência de
“revelação” sobrenatural que uma consciência ativamente
desperta prontamente rejeitaria e condenaria. Tais crentes
dão ouvidos a esses espíritos, ouvindo-os e, depois,
obedecendo a eles, pois são enganados por aceitar
pensamentos errôneos sobre a presença de Deus e sobre Seu
divino amor, e, sem saber, entregam-se ao poder de espíritos
mentirosos.

Trabalhando na linha de ensinamento, os
espíritos enganadores introduzirão suas mentiras faladas em
hipocrisia nos ensinamentos sobre santidade e enganarão aos
crentes quanto a si mesmos, ao pecado e a todas as outras
verdades relacionadas à vida espiritual.
As Escrituras são geralmente usadas como base desses
ensinamentos e são habilmente tecidos como a teia de aranha
para que os crentes sejam pegos na armadilha.

Textos isolados são retirados de seu contexto e de seu lugar sob a
perspectiva da verdade; frases são retiradas de seus
parágrafos correspondentes ou textos são escolhidos com
inteligência e colocados juntos de forma tão convincente que
aparentam ser uma revelação completa da mente de Deus;
mas as passagens que permeiam esses textos e dão o cenário
histórico, as ações e as circunstâncias ligadas com o que
aquelas palavras dizem, e outros elementos que trazem luz a
cada texto em separado, são habilidosamente ignorados.

Uma ampla teia é, assim, tecida para os incautos ou os
que têm pouca prática nos princípios de exegese das
Escrituras, e muitas vidas são assim desviadas e perturbadas
por esse uso falso da Palavra de Deus. Porque a experiência
de cristãos comuns com relação ao diabo está limitada a
conhecê-lo como tentador ou acusador, eles não têm idéia
das profundezas da malignidade dele e da perversidade dos
espíritos malignos, e têm a impressão de que eles não citarão
as Escrituras — o que eles não sabem é que esses espíritos
citarão todo o Livro se puderem enganar uma só alma.

ALGUMAS MANEIRAS PELAS QUAIS OS
ESPÍRITOS ENGANADORES ENSINAM

Os ensinos de espíritos enganadores que estão sendo
promulgados por eles atualmente são em número grande
demais para podermos citá-los aqui. Eles são geralmente
reconhecidos somente em “falsas religiões”, mas os espíritos
ensinadores com suas doutrinas ou idéias religiosas
sugeridas à mente dos homens estão operando
incessantemente em qualquer lugar, procurando brincar com
o instinto religioso do homem, oferecendo-lhe um substituto
para a verdade.

Portanto, somente a verdade — a verdade de Deus e não
meras “visões da verdade” — pode desfazer as doutrinas
enganadoras dos espíritos ensinadores de Satanás: a verdade
com respeito a todos os princípios e leis do Deus da Verdade.
As “doutrinas de demônios” consistem simplesmente no que
um homem pensa ou crê como resultado de sugestões feitas a
sua mente por espíritos enganadores. Todo “pensamento” e
“crença” pertence a um dos dois reinos: ou ao da verdade ou
ao da falsidade, tendo eles a fonte em Deus ou em Satanás,
respectivamente.

Toda verdade vem de Deus e tudo o que é
contrário à verdade, de Satanás. Até os pensamentos que,
aparentemente, se originam na mente do próprio homem,
vêm de uma dessas fontes, pois a mente em si mesma ou é
entenebrecida por Satanás (2 Co 4.4) e, portanto, solo fértil
para seus ensinos, ou é renovada por Deus (Ef 4.23) e
esclarecida quanto ao véu de Satanás e aberta a receber e
transmitir a verdade.

O PRINCÍPIO BÁSICO PARA TESTAR OS ENSINAMENTOS
DE ESPÍRITOS ENSINADORES

Já que o pensamento ou a crença se origina ou do Deus
da Verdade ou do pai da mentira (Jo 8.44), só pode haver um
princípio básico para se testar a fonte de todas as doutrinas
ou pensamentos e crenças, de crentes ou descrentes,qual
seja: o teste da Palavra de Deus revelada.

Toda “verdade” está em harmonia com o único canal de
verdade revelada no mundo: a Palavra escrita de Deus. Todos
os “ensinamentos” que se originam de espíritos enganadores:

1. Enfraquecem a autoridade das Escrituras;
2. Distorcem o ensino das Escrituras;
3. Acrescentam pensamentos de homens às Escrituras ou
4. Colocam as Escrituras totalmente de lado.

O objetivo principal é ocultar, distorcer, utilizar mal ou
colocar de lado a revelação de Deus a respeito da cruz do
Calvário, onde Satanás foi vencido pelo Deus-Homem e onde
a liberdade foi conquistada para todos os seus cativos.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here