Estudo: União homoafetiva não é bênção de Deus é apenas lei do Governo

10

O mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre (1 João 2:17)

Leitura Bíblica principal:

E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1:27

Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é; Levítico 18:22

Porém, desde o princípio da criação, Deus os fez macho e fêmea. Marcos 10:6

Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao SENHOR teu Deus. Deuteronômio 22:5

Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, Marcos 10:7

Comentário:

Existe uma preocupação com a recente lei aprovada, não pelo Congresso Nacional, mas pelo Supremo Tribunal Federal, decidiu equiparar as relações entre homossexuais às uniões estáveis entre heterossexuais. Por unanimidade, a união homoafetiva foi reconhecida como um núcleo familiar como qualquer outro, ficando suscetível aos mesmos direitos e obrigações de casais formados por homens e mulheres.

De acordo com publicação do R7, com a decisão, 112 direitos que até então eram exclusivos aos casais formados por homem e mulher poderão ser estendidos aos casais homossexuais, como comunhão de bens, pensão alimentícia, pensão do INSS, planos de saúde e herança. Mas como todos esses processos envolvem a Justiça, os casais homossexuais ainda terão de encarar os tribunais para fazer valer seus direitos, mas agora da mesma forma que casais heterossexuais.

Muitos irmãos estão preocupados com essa novidade que vai contra nossa convicção de fé, pois nos vários versículos apresentados acima na Leitura Bíblica Principal só existem reconhecidos por Deus o Homem e a Mulher. Porém, desde os primórdios da humanidade que a prostituição e a homossexualidade também existem, em tempos remotos eram até aceitos com naturalidade como acontece nos dias de hoje. Mas Deus nunca concordou com a prática fora dos padrões homem e mulher. Como podemos ver na bíblia, espiritualmente é um desvio, mas humanamente e no mundo é aceito.

Conheço um caso de duas mulheres que coabitavam, uma delas faleceu e a família da que havia partido tomou tudo da outra, da namorada, deixando ela sem os pertences que compraram juntas. Isso pelo que fiquei sabendo era pratica comum como forma de punir a que não morreu. Essas pessoas que vão na contramão da liturgia precisavam de uma segurança, regras sociais, acabaram conseguindo a paridade com casais heterossexuais, o Estado regularizou uma distorção social, apenas isso. O mundo cuidou de uma situação mundana humanamente necessária. Devemos amar o pecador, nunca o pecado.

Lembro-me da passagem em Marcos 12.14:17 em que “enviaram-lhe alguns dos fariseus e dos herodianos, para que o apanhassem nalguma palavra que chegando eles, disseram-lhe: Mestre, sabemos que és homem de verdade, e de ninguém se te dá, porque não olhas à aparência dos homens, antes com verdade ensinas o caminho de Deus; é lícito dar o tributo a César, ou não? Daremos, ou não daremos?”
“Então Ele, conhecendo a sua hipocrisia, disse-lhes: Por que me tentais? Trazei-me uma moeda, para que a veja.”
“Eles lha trouxeram. E disse-lhes: De quem é esta imagem e inscrição? E eles lhes disseram: De César.”
“E Jesus, respondendo, disse-lhe: Daí pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. E maravilharam-se dele.”

Para a situação que vivemos hoje poderíamos utilizar a mesma passagem e até o mesmo exemplo mostrado por Jesus. Aprovaram uma lei para situação do mundo, relacionado a homossexualidade, não é uma união, uma aliança espiritual com as bênçãos de Deus. É uma união num cartório, secular, uma instituição oficial jurídica. E não um matrimônio religioso, abençoado por um ministro de Deus.

Ou seja: “Daí a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”.Essas uniões são reconhecidas na sociedade, mas não são, certamente, reconhecidas por Deus. Uma vez que Ele não iria contra seus princípios e criação. Não existe um terceiro sexo, isso é uma opção humana.

Por isso, não devemos nos importar ou preocupar com as uniões cartoriais, vamos sim lutar pela nossa regra de fé consumando nos templos apenas as uniões heterossexuais e bíblicas. É um direito nosso de não macular nossa crença. “E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”(1 João 2:17).

Sabemos também em Mateus 13:26 que “quando a erva cresceu e frutificou, apareceu também o joio”. Já existem templos dedicados apenas para os homossexuais, tudo bem também, podem se casar por lá. Se Deus aceita esse matrimônio – contra o que está escrito espiritualmente na Bíblia, na Palavra inspirada por Ele- será uma questão entre os nubentes, o sacerdotes e Deus.

Não vou condenar o homossexualismo, pois assim como a prostituição, existiu, existe e ainda vai existir. Mas vamos continuar orando, intercedendo por estas pessoas, pois o convencimento dos designos de Deus “não é por força nem por poder, mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos”(Zc.4:6). Citamos ainda: “Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lucas 15:7). Acreditamos que mudanças podem acontecer e acontecem, não com todos, mas com alguns que creem verdadeiramente no perdão dos pecados por parte do Senhor e buscam mudar.

João Carlos Barreto.
Jornalista Missionário


10 COMENTÁRIOS

  1. Gostei do estudo , muito bom mesmo.
    Mas acredito que será dificil para muitos cristãos entenderem essa questão ! Espero que Cristo nos dê sempre a direção certa para lidar com esse assunto e de fato saber que isso é pecado e que não deve ser propagado como uma coisa ” Normal ” mas sim um ato de abominação pelo SENHOR.

  2. eu sou totalmente contra a essa atitude de os ministros votarem e aceitarem o casamento gay.Pergunte para um desses ministros se eles gostariam de ver um de seus filhos ou filhas mudando de atitudes sexuais, como lésbicas ou homossexuais!!!

  3. Falando de modo geral, o melhor que os ativistas gays conseguem sugerir é que Jesus nunca falou nada contra o homossexualismo. Há dois problemas com relação a esse tipo de pensamento. Primeiro, as leis do Antigo Testamento são declaradamente contra o comportamento homossexual. Então, qual é a posição de Jesus com relação a essas leis? Para isso leia Mt 5:17-18. Jesus não veio destruir o AT, mas cumpri-lo. Portanto, ele nunca contradisse as leis do AT. Pelo contrário, ele costumava citar, ensinar, explicar e confirmar o AT. E não podia ser diferente, pois ele é a própria Palavra de Deus. Jesus deixou bem claro sua posição sobre a sexualidade humana. Leia o que Jesus disse em Mt 19:4-6. Jesus ensina e confirma que o Criador criou apenas macho e fêmea. Citando o livro de Gênesis no AT, ele mostra que a sexualidade humana envolve exclusivamente homem e mulher e seu chamado para o casamento, onde se tornam uma só pessoa diante de Deus. Assim, por determinação divina, o chamado para o casamento e sexo tem alvo específico: o homem e a mulher. A única isenção que Jesus concede é para os eunucos, pessoas que fizeram o compromisso de renunciar ao casamento a fim de dedicar a vida completamente para o serviço de Deus. Eunucos também são as pessoas que, por algum acidente ou deficiência física, não podem gerar nova vida. Jesus nunca insinuou que os homossexuais, lésbicas, transexuais, travestis ou bissexuais são eunucos ou estão incluídos no chamado de casamento e sexo que Deus deu à humanidade. Ainda que os ativistas pró-homossexualismo ensinem que é possível crer na Bíblia e no homossexualismo como uma conduta aceitável, a Palavra de Deus não dá espaço para dúvidas e para outras interpretações na questão da relação entre homens e mulheres. Enquanto eles se esforçam para encontrar um só versículo que apresente o homossexualismo como algo diferente de abominação, vergonha e perversão podem fazer a escolha de crer na Bíblia ou não. Contudo, o que não podemos fazer é afirmar que a Palavra de Deus diz sobre o homossexualismo algo que realmente nunca disse.

  4. Acredito piamente que a Bíblia Sagrada(Palavra de Deus) é regra de Fé e Prática e quando lemos o versículo que tratam “Pois do céu é revelada a ira de Deus, contra toda a impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça(Rm 1:18)”,Essa declaração feita pelo Espírito Santo através do apostolo Paulo mostra a real situação do homem carnal e injusto.
    Sendo a Bíblia a verdade de Deus, no versículo 32 do mesmo livro está escrito: “Os quais, conhecendo bem o decreto de Deus, que são dignos de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas tambem aprovam os que as tais praticam”.
    Obs:Não cabe a sociedade julgar a favor ou contra, a IRA de DEUS já está estabelecida.

  5. o pior de tudo é termos que conviver com os que praticam essas iniquidades no nosso dia a dia, e o pior de tudo é que os apoiadores dessa barbaridade “acreditam” que tudo é normal e eu pergunto: onde fica Deus nessa história?? acaso julgam que escaparão ao decepamento que se aproxima e que será executado por Deus?? fujamos desses perniciadores irmãos, antes que sejamos enlaçados nos seus erros por compartilharmos suas bizarrices em aceitar como “normal”!!

  6. O STF teve que julgar o que não é da competência deles pq o Congresso passou a bola, lavou as mãos. O STF julga e não legisla. E como acabou ficando numa saia justa….acabou dando favorável. Agora, que não me venham com essa de policiamento nas Igrejas! Aí já é demais! Estão exagerando! As Igrejas, em geral, não condenam o homossexual mas sim o homossexualismo, sem incitar violência. Os casos de violência são isolados e contra heteros tbém. Será que os skin heads frequentam alguma Igreja? Qto. aos bens que o casal homo adquire, não há lei que proiba que façam um testamento lavrado em cartório. Daqui a pouco quem falar “os livro” e for gay vai ser “O CARA”!

  7. Se chamar.mos os homens para uma queda de braço sobre esse assunto fica bem complicado a questão;
    é saber agir com sabedoria e amor, e lembrar que quem está virando a personalidade do homem, é o diabo, ele opoe em tudo que se chama Deus, uma das características de satanás quando se manifestar; ELE SERÁ HOMOSSEXUAL, ele sera´todo o contrario de Cristo, por isso é chamado de anticristo ou contra Cristo, acredito que quando o amor fala mais alto alcançamos a vitória em CRISTO JESUS, é logico que jamais iremos concordar com esse comportamento, pois se Deus viesse a concordar com isto, Ele mesmo teria que pedir perdão a SODOMA E GOMORRA isto não faz parte da personalidade de Deus, não é homem para que minta, nem filho do homem pera que se arrependa , vamos agir com amor para com essas pessoas lembrando que ali tem uma alma que Jesus ama. Um dia meu carro se apagou em um local um pouco deserto, clamei a Deus para que enviasse alguem para me ajudar, estava com minha esposa e meu filho em uma situação um pouco caótica, imediatamente apareceu um travesti todo ornado e maquiado me prestou uma baita ajuda, no final eu disse; Meu amigo, muito obrigado que Jesus lhe abençoe e lhe reconpense por esta grande ajuda que me prestou . Notei que houve nele uma boa reação, seus olhos começaram a lacrimejarem, não o discriminei,ele jamais esquecerá das palavras que lhe foram ditas. JESUS SIM NA QUEDA DE BRAÇO VIRA QUALQUER SORTE DE DEMONIO, vamos agir com amor, não com descriminaçao

  8. Bom, pelo raciocínio de alguns então jamais poderia existir o divórcio na legislação brasileira e nem a união estável, sobretudo entre pesdoas divorciadas pois a Bíblia condena o divórcio. Temos que entender o seguinte: o país é formado de pessoas de crenças diferentes e é por isso que existe a liberdade religiosa garantida na constituição. Nem sempre foi assim e os evangélicos já foram muito perseguidos no passado. Viva a liberdade religiosa. Assim, nem todos tem a Bíblia como o seu livro religioso e mesmo entre as denominações cristãs há divergências de interpretação ( a igreja Cristã Metropolitana por exemplo prega que a homossexualidade não se opõe a Bíblia). Todas devem ser respeitadas, assim como também as pessoas que não professam nenhuma fé. Deste modo, em termos de legislação não poderá haver discriminação de pessoas diante dos institutos civis e nele se inclui o matrimônio, face o princípio da igualdade e do que veda a discriminação, ambos tb previstos na constituição. Considerando que os cidadãos do país pagam tributos independentemente de qual igrejas sejam, todos tem que estar protegidos por direitos iguais.
    Dentro de cada igreja fica então a liberdade de realizar ou não o matrimônio religioso conforme a sua crença. Oque não se pode é querer impedir o casamento civil que deve ser garantido a todos e nem ficar combatendo estas uniões civis em um tom que gere ódio e desunião entre as pessoas pois aí acabaremos por infringir o mandamento maior cristão que é amar o próximo.

  9. Quando se trata de direitos de minorias em matéria de direitos humanos de igualdade, dignidade e liberdade ( inclusive a de crença religiosa) não se pode dizer que eles não devem ser garantidos somente sob o argumento de que deve prevalecer a voz da maioria. Se fosse assim, os evangélicos ainda são minoria diante de católicos no Brasil. Imaginem então que absurdo seria um plebiscito para fechar os templos evangélicos e acabar com a liberdade religiosa prevista na constituição. Outro absurdo seria votar por exemplo uma lei que obrigasse os cidadãos do estado menos populoso do país servirem de escravos para o restante do Brasil. Absurdo por que? Porque fere o princípio da igualdade garantido na constituição. Assim, nestas matérias de direitos humanos deve ser garantido às minorias os mesmos direitos garantidos à maioria. No âmbito de cada igreja aí sim uma delas realiza o matrimônio religioso de quem cada instituição decidir de acordo com o que professa. Mas os homoafetivos não querem casar na igreja A ou B. O que eles querem é o casamento civil na lei. Aliás o Supremo já garantiu tal direito desde 2011. Isso em nada afetou a família tradicional pois quem é hetero continua hetero, apenas permitiu que pessoas pudessem regularizar sua vida sem discriminação diante da lei civil. Não se deve trabalhar contra esse direito como se houvesse uma guerra de um lado contra o outro. Isso evita que o judiciádio já abarrotado de processos tenha que a todo instante ficar decidindo essa questão em causas pulverizadas ou tendo que desfazer leis que venham a ser aprovadas e que ofendam a estes princípios da igualdade e liberdade garantidos na constituição. O supremo é o orgão definido pela propria constituiçao como aquele a quem cabe a interpretação da propria constituição (art. 102) e não há arrogancia nisso. É assim para a segurança jurídica. Deste modo, devemos respeitar e defender as leis e decisões que garantam igualdade a todos e no âbito da nossa vida e da nossa igreja seguir aquilo que estiver conforme nossa fé, lembrando que o crostão não deve julgar ninguém e nem discriminar ninguém, podendo defender seu ponto de vista sem espalhar ódio ou condenação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here