Como manter um casamento abençoado?

6
192

Quando Deus oficiou o casamento de nossos primeiros pais, Adão e Eva, estabeleceu um plano para todos os casais. Gênesis 2:24 conta: “… deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.” A união do casamento seria a mais íntima de todas as relações humanas. Por ela, marido e mulher se tornam uma só carne. “Porque ninguém”, argumenta Paulo, “jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida”. E , escreveu mais: “Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama” (Efésios 5:28 e 29).

O casamento é uma união de amor. Foi instituído para satisfazer o profundo anelo implantado na alma pelo Deus de amor – o desejo de dar e receber amor.

O amor é oposto ao egoísmo. O egoísmo pensa em si mesmo, busca os seus próprios interesses, busca só receber. Infelizmente muitos casam por motivos egoístas: querem só a sua vontade e o seu prazer satisfeitos. Por isso, casamentos desse tipo nunca são felizes e acabam rapidamente.

O amor conjugal deve ser nutrido, fortalecido. Ele deve crescer sempre. A sua chama deve se tornar cada vez mais viva. E isto não vem por acaso. Requer planejamento, requer esforço – incessante esforço através da vida íntima. Alguém disse acertadamente que a vida conjugal é uma escola na qual nunca nos graduamos.
No programa de hoje quero apresentar algumas dicas para manter o casamento. A primeira delas é o reconhecimento de cada um dos cônjuges no lar. No plano de Deus o marido é o chefe da família. Deve ser honrado como tal pela esposa e pelos filhos. Mas a esposa é a rainha do lar. E deve estar ao lado do marido na direção do lar.

Uma segunda dica para manter o casamento é a fidelidade mútua. O casamento é uma união sagrada e requer estrita fidelidade do marido à mulher, e da esposa ao marido. A ordem é clara: “Não adulterarás” (Êxodo 20:14). Essa total dedicação de um ao outro gera confiança e nutre o amor. Inversamente, a infidelidade, seja do homem, seja da mulher, suscita ciúme, ressentimento.

Já a terceira dica é o esforço de adaptação mútua. Passados os primeiros dias após o casamento, e iniciada a vida real, começam a aparecer as fraquezas de ambos. O marido vê na mulher pontos negativos com que talvez não sonhasse; e a esposa também vê no marido defeitos que não imaginava… Aí é preciso compreensão, apoio e a busca para valorizar as qualidades, ajudando na superação dos pontos negativos.

A quarta dica para manter o casamento é a expressão do amor. Na vida conjugal o amor deve ser expresso por palavras – palavras de apreço pelos esforços do marido, da mulher; palavras em que o amor mútuo é assegurado. Alguns pensam que o companheiro da vida sabe que é amado e não é preciso dizer para o outro. Outros julgam que a expressão de amor é uma demonstração de fraqueza.

O amor deve ser expresso por atos, aliviando cada qual o dardo do outro. As primeiras atenções, dispensadas com tão grande satisfação na fase do namoro e noivado, deveriam continuar após o casamento. Se a noiva ou namorada merecia atenção, muito mais digna disso é a esposa.

Um presente de vez em quando é uma demonstração de amor correspondido pelo outro lado com um afeto mais profundo. Nisso não é necessário gastar o salário do mês. Até uma bonita flor, se dada com sinceridade, produz o seu efeito. Alguém disse que o amor da esposa floresce como uma flor. E o tempo de fazer isso é enquanto ela vive. De nada valerá, depois da morte, encher o seu caixão de flores e amontoar coroas sobre o seu túmulo.

Uma quinta dica para manter o casamento é dar a Deus um lugar na vida do casal. O verdadeiro triângulo amoroso é formado pelo marido, pela esposa e por Deus. Quanto melhor o nosso relacionamento com Deus, tanto melhor será o nosso relacionamento com o companheiro da vida.

Deus deve ser o centro da nossa vida, o Objeto de nosso supremo amor. A vontade dEle deve vir em primeiro lugar e deve ser feita com alegria. Então, da divina fonte de toda boa dádiva, receberão, marido e mulher, aquele amor desinteressado e puro, que une, que enobrece, que faz feliz e bela a vida conjugal.

No capítulo intitulado “O Segredo de Um Matrimônio Feliz”, do livro “A Ciência do Bom Viver”, lemos: “Só em Cristo é que se pode com segurança entrar para a aliança matrimonial. O amor humano deve fazer derivar do amor divino os seus laços mais íntimos. Só onde Cristo reina é que pode haver afeição profunda, verdadeira e altruísta.”

Amigo ouvinte, Deus instituiu o casamento para que fosse uma bênção. Aqueles que preenchem essas condições possuirão o precioso bem de uma união conjugal venturosa.

Se estou falando neste momento a um casal que não é feliz, gostaria de dizer, terminando: embora possam surgir dificuldades, perplexidades, nem o marido nem a mulher devem abrigar o pensamento de que sua união é um erro ou uma decepção. Que cada um resolva ser para o outro tudo que é possível. Continuem, relembrem as primeiras atenções e gestos de carinho. Que um anime o outro nas lutas da vida. Procure cada um promover a felicidade do outro. Haja amor mútuo e muita paciência. Então, o casamento, em vez de ser o fim do amor, será como que seu começo. O calor da verdadeira amizade, o amor que liga coração a coração, é uma amostra das alegrias do céu.

Pastor Montano de Barros
Fonte: Jesus Voltará

6 COMENTÁRIOS

  1. É MUITO IMPORTANTE A CADA DIA APRENDER UM POUCO MAIS SOBRE VIDA CONJUGAL, ATÉ PORQUE QUANDO NÓS CASAMOS PROMETEMOS MIL E UMA COISA PARA O NOSSO CONJE E QUANDO VEM AS PRIMEIRAS DIFICULDADES O QUE VEM NA CABEÇA É DESISTIR, DAÍ VEM O
    INTERESSE DE lÊR ARTIGO DE RELACIONAMENTO CONJUGAL PARA QUE POSSAMOS SEMPRE ESTÁ RENOVANDO NOSSAS FORÇAS NO MATRIMÔNIO O QUER LI VOU PASSAR A DIANTE PARA QUE CASAIS SEJAM ABENÇOADOS. PARABÉNS!!! PELA A EXPERIÊNCIA ENVIADA.

  2. Mateus 5 – Bem aventurados
    1 Jesus, pois, vendo as multidões, subiu ao monte; e, tendo se assentado, aproximaram-se os seus discípulos,
    2 e ele se pôs a ensiná-los, dizendo:
    3 Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.
    4 Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados.
    5 Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.
    6 Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça porque eles serão fartos.
    7 Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia.
    8 Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus.
    9 Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus.
    10 Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.
    11 Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguiram e, mentindo, disserem todo mal contra vós por minha causa.

  3. muito bom este artigo, tenho vivido um casamento de benção depois de tanto perseverar e acreditar nas promessas de Deus, conheci meu marido na igreja, mas ele sempre agiu relaxadamente com a obra de Deus,nos casamos e temos tres filhos maravilhosos pra Glória de Deus, hoje estamos para completar 11 anos de casados e por muitas vezes pensei em desistir, pois ele era arrogante e egoista, mas o meu Deus forte e poderoso não me deixou desanimar e nem desistir da promessa, perseverei em oração e busca constante em Jesus, e pra Glória de Deus a dois meses ele foi ungido a presbitero e Deus tem o transformado cada dia mais, Deus realizou o milagre na nossa vida, creia no seu milagre tambem.

  4. Bom, a começar sempre amei e amo minha esposa,mas muitas das vezes como foi falado acima é preciso ter força de vontade para mudar reagir ao que estimula o bom convivio.Sou casado a 4 anos e no inicio foi uma maravilha,mas a uns 3 anos para ca, a roupa não é bem lavada,a comida sempre é feita com pouco carinho visto que a tres anos alimento o mesmo arroz queimado todos os dia,não muda o cardapio,para agradar sempre as mesmas coisa e ja me disse que odeia cozinhar, aos domingos o almoço somente na casa da sogra ,não sei ainda o que é um almoço em casa aos domingos, não ha demonstração de afeto somente mais de cobrança,a vida intima pouco importa para ela,não procura ter compromisso com nada,falta o cuidado fisico e alem detudo demonstra sentimentos de quem não se preocupa com o que penso.O que fazer sigo o meu coração e continuo mesmo sabendo que eu e minha filha podemos sofrer se continuar assim ou devo largar e procurar encontrar alguem que saiba o valor de um casamento.Detalhe não bebo,nao fumo e nao saio com amigos ,somente tudo com ela.O que tem de errado?

DEIXE UMA RESPOSTA