Tornando-se cheio do espírito

0

Pois outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor, andai como filhos da luz (Efésios 5.8)

Encher-se do Espírito, não significa deixar que o Espírito que vive em nos se manifeste, de modo que sua presença nos encha e controle todo o nosso pensamento e ações. Isso quer dizer que a plenitude do Espírito às vezes se refere a uma doação especial para situações particulares. Estar cheio do Espírito é o mesmo que estar cheio da Palavra de Deus. A ordem é enchei-vos do Espírito, se é isso que queremos, precisamos ter um desejo genuíno de viver uma vida santa, isto é ter uma vida na busca por santidade de Deus. Todo homem é cheio do Espírito quanto quer ser… Jesus disse quando vier o Espírito da verdade, ele vos guiará em toda a verdade. Isso pode ser a maior obra do Espírito em nosso favor, porque Jesus disse conhecêreis a verdade e a verdade vos libertara.

Viver no Espírito ou andar no Espírito sugere viver em uma comunhão intima com ele. O fato de podermos entristecer o Espírito indica que o pecado pode atrapalhar nossa comunhão (Efésios 4.30) com ele, dentre muitas, entristecer o Espírito é quando dizemos coisas que diminuem outro crente em vez de edifica-lo.

Estar cheio do Espírito, portanto, requer que estejamos sensíveis ao pecado em nossas vidas. Prescisamos andar na luz para que nosso pecado possa ser exposto, não apenas nossas ações erradas, mas também nossos desejos egoístas e todos os pensamentos carnais que muitas vezes cheiram mal nas narinas do nosso Deus.

Andar no Espírito significa renunciar a todos a formas de mundanismo e sabedoria humana, padrões humanos. Queridos quando descobrirmos que o pecado está impedindo o ministério do Espírito de Deus em nós , precisamos ter coragem suficiente e enfrentar esse pecado de uma maneira como a palavra nos manda. Arrependendo e confessando, precisamos concordar com Deus que pecamos, e dar as costas ao nosso erro. Só assim teremos uma vida em santidade, e intimidade com Ele. Jesus Cristo já fez a perfeita santificação ou apropriação por nossos pecados, e devemos simplesmente aplicar o que ele já fez. Se deixarmos de apropriar dessa verdade, ficaremos sentindo-nos derrotados pelo pecado e sem motivação para procurar andar no Espírito. Não é assim que Jesus deseja que nos sintamos, pois ainda ele se importa com nós e está do nosso lado embora exija que reconheçamos nossos pecados quando assim o cometemos.

Deus nos deu muitas analogias na natureza para nos mostrar a maravilhosa transformação que a salvação traz. Veja este exemplo, a lagarta ela se arrasta na terra com pernas que fazem lembrar pequenas ventosas. Veja que interessante é isto; quatro vezes durante sua vida, a lagarta descarta a própria casca, que é uma previsão do que vai acontecer, acontece que esse bichinho peludo também come o que descartou de si, por que é rico em proteína. O que ela era tem uma participação naquilo que virá a ser. Segundo a natureza um belo dia, guiada por instinto, ela sobe até onde suas próprias forças a puderam levar que quase sempre é o tronco de uma arvore ou um galho pequeno. E ali prende um pequeno botão, que formará uma ligação com o casúlo que ela tece em torno de si mesma, enquanto se dependura de cabeça para baixo. E exatamente ali a lagarta para de existir, e uma transformação, milagrosa da natureza acontece. No lugar da lagarta feia surge uma linda e bela borboleta, que acaba rompendo o casulo e aprende a voar. Simples mente a lagarta se sacrifica afim de ressurgir como uma borboleta admirada por todos. Parou de ter uma vida limitada de andar só na terra, para uma vida de exploração nas alturas. Veja só isto a lagarta embora possa parecer bem mais forte, mas não pode escapar da lei da gravidade da terra. Já a borboleta e bem frágil, mas pode voar no infinito do céu com toda liberdade. (Veja agora o mistério da coisa), imagine o que aconteceria ao crescimento da nova borboleta se ela escolhesse acreditar que ainda era uma lagarta e andasse em vez de voar. Não chegaria com certeza nem perto de realizar seu potencial.

Da mesma forma quando nós, que somos novas criaturas em Jesus Cristo, nos vemos como se ainda fôssemos o velho homem, não experimentaríamos a plenitude da vida Cristã que Jesus proporcionou para nós na cruz. Podemos receber a obra de Cristo pela fé e escolher continuamente crer em quem já somos em Cristo a fim de nos tornar o que fomos criados para ser. Se pensamos e agimos como lagartas, o Senhor não receberá glória alguma pelo que fez em nosso favor. Uma prova clara de que a santificação é conscientização daquilo que somos como novas pessoas, é vista no ensinamento bíblico da transformação. Gostaria que você entendesse melhor que a transformação se refere a uma mudança na qual a verdadeira condição intima da pessoa é mostrada externamente, numa vida de santidade.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here