O Perigo da Auto-justificação

0

Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! (Lucas 18:10-13)

Sempre que vejo passagens como essa onde o aparentemente “justo”, é que aos olhos de Deus não está justificado, e que o pecador confesso, é que recebe misericórdia, entendo que o Senhor Jesus veio nos salvar exatamente daquilo que nos gloriamos: da nossa justiça própria!

Ah, como as coisas seriam bem mais simples, se não fôssemos tão arrogantes e auto-suficientes! Fé em si mesmo não é fé, auto-estima, e isso pode ter seus valores nas regras que o mundo ensina, mas, não aos olhos do Criador.

Assim como nesta passagem, todos os dias vejo pessoas que olham para seus irmãos, com ar de desprezo, de superioridade, de cima para baixo como se tivesses um rei na barriga. Pessoas que se auto-justificam por causa de suas Religiões, por causa de suas roupas, por causa de seus feitos, por causa de seus comportamentos, enfim, essa lista é enorme. O fariseu aqui, figura do religioso, cheio de orgulho, nariz empinado, e cheio de van-glória, dar graças a Deus por não ser como os outros homens, como quem diz: os outros são ladrões, eu não! O pior de tudo é que ele além de ser considerar o bam bam bam, santarrão, o justo, ainda enquadra todos os demais como ladrões, fazendo uma generalização. Julgando o servo alheio.

Na continuação do texto em Lucas, vemos, que ele não saiu justificado! Deus não veio salvar os justos, mas chamar os pecadores ao arrependimento; por outro lado, aquele que se reconhece pecador, e que pede por perdão da parte de Deus, alcança misericórdia e graça. E é isso que o Senhor Jesus está disposto a fazer, e por isso Ele veio e pagou o preço: pois a Ele, toda honra, toda glória, todo louvor, Ele é digno, não eu!

E aí, com quem você se identifica: com o fariseu ou com o publicano?


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here