O Grande Mistério da Piedade

0

E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade.

I Timóteo 3.16.

A maioria das pessoas pensa que ser cristão consiste em ajustar-se às determinadas regras de conduta exterior. Imaginam que a salvação se alcança em seguir os mandamentos e os ensinamentos de Deus, e que Jesus não é mais do que um grande mestre divino, que nos explica mais claramente como nos comportar se desejamos a vida eterna. Ou seja, é tudo uma questão de se decidir a obedecer, e empenhar-se muito. Mas, isto é falso! Pensar assim é uma cegueira espiritual. Por isso Jesus disse: “Estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz para a vida eterna”.

O problema principal não é a falta de decisão e seriedade de nossa parte, senão o perigo de errar o caminho. O pior de tudo é o “engano do pecado”, pela “astúcia da serpente”. Por mais que nos proponhamos seriamente a nos salvar, nenhum esforço para nada nos servirá se estivermos fora do caminho. Somente Deus pode nos revelar qual é o caminho da salvação. “Deus quer que todos os homens sejam salvos, e venham ao conhecimento da verdade” Mas, o diabo existe, e engana as pessoas. Nós o vimos agindo com astúcia para seduzir a Eva no Paraíso, e ele continua fazendo o mesmo até hoje. O diabo a ninguém obriga, senão que, ele seduz, tenta, e engana as pessoas. É por isso que a Palavra de Deus fala dos “laços do diabo”, e de suas “artimanhas”, “encantamentos” e etc. Menos mal que Deus não fez com que a nossa salvação dependesse de nós mesmos, de nosso poder e de nosso entendimento, porque nem um nem outro nos serve para tal. Nossa salvação se baseia unicamente em Cristo, e nossa fé se fundamenta na Palavra de Deus.

No reino de Deus, Ele não dá importância àquelas coisas que os seres humanos consideram fortes e grandes. Que nos faltem forças físicas ou morais não significa que não podemos ser salvos. “Porque Ele escolheu as coisas vis e desprezíveis deste mundo, e as que não são para confundir as que são”. Pela graça de Deus, o pouco, o vil e o desprezível, alcançam o que não alcançam os fortes e elevados. “Onde, pois, está a jactância? Fica excluída. Por qual lei? Pela lei das obras? Não, senão pela lei da fé”.

Oremos com Lutero:

Oh Deus e Pai, reconhecemos que somos espiritualmente pobres e cegos. Temos buscado a muitos falsos deuses, e ainda estaríamos em trevas se tu não tivesse se revelado como nosso Deus. Concede-nos que te agradeçamos sinceramente por tua imensa graça e misericórdia. Amém.

C.O.Rosenius (1816-1868) Nuevo Dia – Trad. Sóstenes Ferreira da Silva


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here