Nossa geração: com que se parece?

0

Depois de dar testemunho de si mesmo aos discípulos de João, Jesus começa a falar dele à multidão que o segue. O Senhor afirma que entre os nascidos de mulher ele é o maior profeta.

As mensagens pregadas pelo Batista e pelo nosso Senhor Jesus embora complementares, pareciam contrárias: João pregava o arrependimento e preparava o caminho para um novo *Reinado; por outro lado Jesus anunciava a graça pela misericórdia de Deus encarnada N’Ele mesmo e trazia em si o modelo do Reino de Deus, submissão a um governo que emana dos céus ainda na terra.

Jesus faz uma comparação e afirma que esta geração é semelhante a crianças sentadas na praça que não sabem o que querem: tocam flauta mas não dançam, lamentam-se mas não choram. Pois veio primeiro João que era acusado de ter demônio por pregar contra eles e não comer pão nem beber vinho, além disso isolava-se no deserto, não se misturava; Depois veio o Filho do Homem comendo e bebendo e socializando-se com todos, e o acusavam de ser comilão e beberrão e amigo de pecadores.

A nossa geração não é muito diferente desta denunciada por Jesus, pois, vivem sem saber o que realmente querem…

Alguns acusam outros por não fazerem jejuns, correntes de oração, serem dizimistas, e etc; outros por sua vez acusam alguns de não serem misericordiosos, de não praticarem boas obras, de serem orgulhosos, de serem auto-suficientes, e assim por diante. O que parece às vezes é que cada um tomou seu próprio caminho de acordo com suas próprias vontades e todo o resto está condenado!

Sim, afinal eu é que tenho razão, e não o Evangelho, a minha religião é a verdadeira, e não o Evangelho. O que Paulo diria quando encontrasse um cristão que assim pensa?

Seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso! Isso ele diria

Quando é que aprenderemos a dar razão ao Evangelho para abandonar nossa van-glória?

Na época de João os fariseus e doutores da lei o rejeitaram, da mesma forma rejeitaram o conselho de Deus que falava através dele. Será se temos dado ouvido a voz de Cristo que fala através dos remanescentes na graça? Ou será se estamos dando razão a quem tem status, fama, mas que infelizmente não tem compromisso com Deus, só porque nos importamos mais com a aparência das coisas?

João era desprezado, criticado e odiado porque denunciava os pecados e ensinava o arrependimento. Jesus Cristo, o homem, o Salvador, ainda hoje é desprezado porque a sua voz que fala através do Espírito Santo é ignorada pela grande maioria, que prefere ouvir a voz confortante dos vendedores de bênçãos terrenas.

Dê razão ao Evangelho, dê razão à voz do Espírito Santo que fala mesmo no seu consciente, e deleite-se na graça!

Texto base: Lucas 7:24-35


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here