A Glória do Evangelho

1
6

O que se costuma pensar quando se ouve a palavra evangelho?
Amar o próximo, cuidar dos necessitados, professar a religião cristã, ter comunhão na igreja, etc.
O evangelho pode englobar tudo isto e muito mais pensamentos do mesmo tipo, todavia não é nisto que reside a sua grande glória; pois aqui se fala de algumas consequências do efeito produzido pelo evangelho em nós, mas não aquilo que ele é em essência.
O simples significado etimológico da palavra evangelho não é de muita ajuda para definir a glória a ele inerente, porque o anúncio de boas notícias, ou boas novas, como se traduz esta palavra grega não expressa ainda que notícias são estas, e qual é a sua extensão, profundidade e significado.
Em que consiste então a glória do evangelho?
Primeiro e antes de tudo na própria pessoa de Jesus Cristo em sua relação com a obra de salvação dos pecadores, conforme anunciado pelo anjo aos pastores de Belém que lhes disse que trazia a “boa-nova de grande alegria” (evangelho), e que esta boa-nova se referia ao nascimento do Salvador recém-chegado ao mundo.
Deus tudo criou para a sua glória, mas que glória pode receber de uma criação que se corrompeu pelo pecado e que foi amaldiçoada? Então, é por meio de Cristo que todas as coisas estão sendo restauradas, de modo que o propósito de Deus relativo à criação seja cumprido. E como isto é feito por meio do evangelho, então pode ser dito que ele é também glorioso; todavia esta glória do evangelho é a glória do Deus bendito, e de Cristo, que são os autores e os consumadores do evangelho.
Por isso o apóstolo se expressou nos seguintes termos:
“segundo o evangelho da glória do Deus bendito, do qual fui encarregado.” (I Tim 1.11).
“nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus.” (2 Cor 4.4).
“o mistério que estivera oculto dos séculos e das gerações; agora, todavia, se manifestou aos seus santos; aos quais Deus quis dar a conhecer qual seja a riqueza da glória deste mistério entre os gentios, isto é, Cristo em vós, a esperança da glória;” (Col 1.26,27).
Assim a glória do evangelho é a do próprio Cristo; porque a glória de Cristo pode ser conhecida somente através do evangelho, e não por qualquer outro meio.
Os cristãos são chamados pelo evangelho a conhecerem a glória que há em Cristo, a quem pertence toda a plenitude da glória, quer em sua pessoa, quer em todos os seus atos relativos à criação.
“para o que também vos chamou mediante o nosso evangelho, para alcançardes a glória de nosso Senhor Jesus Cristo.” (II Tes 2.14).
Assim, as riquezas da glória que Deus quis dar a conhecer aos seus santos são reveladas no evangelho, e por ele aprendemos que toda esta riqueza se encontra na pessoa de Cristo.
Daí se dizer que é Cristo em nós a esperança da glória.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA