Perseverar Até o Fim

0

Partes de um sermão de Charles Haddon Spurgeon, traduzidas e adaptadas pelo Pr Silvio Dutra.
“Aquele que perseverar até o fim será salvo.” (Mateus 10.22)
Esse texto foi originalmente dirigido aos apóstolos, quando eles foram enviados para ensinar e pregar em nome do Senhor Jesus.

Nosso texto, no entanto, ocorre novamente no vigésimo quarto capítulo de Mateus, no versículo 14, ocasião em que não foi dirigido aos apóstolos, mas aos discípulos em geral. Os discípulos, olhando para as enormes pedras que foram usadas na construção do templo, esperavam que o seu Senhor proferisse algumas palavras de elogio, mas Ele lhes advertiu sobre um tempo de aflição, em que deveria haver tantos problemas como nunca dantes. Ele descreveu os falsos profetas como abundantes e o amor de muitos esfriaria, e avisou que “Aquele que perseverar até o fim, esse será salvo.” Então esta solene verdade se aplica a cada um de vocês.

O homem cristão, embora não chamado para o cargo de perigo no testemunho público da graça de Deus, é destinado, em sua medida, para testemunhar a respeito de Jesus, e em sua esfera própria e lugar, para ser uma luz brilhante. Ele pode não ter os cuidados de uma igreja, mas ele tem muito mais, os cuidados de negócio: ele se confunde com o mundo, ele é obrigado a associar-se com os ímpios. Em grande medida, ele deve, pelo menos, seis dias na semana, caminhar em um ambiente hostil com a sua natureza: ele é obrigado a ouvir as palavras que nunca irão incentivá-lo ao amor e às boas obras, e terá que contemplar as ações cujo exemplo é detestável.

Ele está exposto a tentações de todo tipo e tamanho, pois esta é a porção de todos os seguidores do Cordeiro. Satanás sabe o quão útil é um seguidor consistente do Salvador, e quanto dano à causa de Cristo, um professor inconsistente pode trazer, e, portanto, ele emprega todas as suas flechas de sua aljava para que ele possa ferir até a morte, o soldado da cruz.

Mas, queridos amigos, a perseverança não é a porção de poucos, não é para pregadores da Palavra, ou para os oficiais da Igreja é o destino comum de todos os crentes na Igreja. Tem que ser assim, pois só assim eles podem provar que são crentes. Tem que ser assim, pois somente por sua perseverança pode a promessa ser cumprida. “Quem crer e for batizado, será salvo” Sem perseverança, eles não podem ser salvos e, como devem ser salvos, perseverarão através da graça divina.

Primeiro, então, a perseverança é a insígnia de verdadeiros santos. É a sua marca nas Escrituras. Como posso saber quem é de fato cristão? Por suas palavras? Bem, até certo ponto, as palavras traem o homem, mas o discurso de um homem nem sempre é a cópia de seu coração, porque com linguagem suave muitos são capazes de enganar. Que é o que o Senhor disse? “Vós os conhecereis pelos seus frutos.” Mas como vou conhecer os frutos de um homem? Ao vê-lo um dia? Talvez eu forme um palpite de seu caráter por estar com ele por uma hora, mas eu não poderia pronunciar-me com confiança sobre o verdadeiro estado de um homem até mesmo por estar com ele por uma semana. George Whitfield foi perguntado o que ele achava do caráter de uma determinada pessoa. “Eu nunca vivi com ele”, foi sua resposta muito adequada.

Se tomarmos o prazo de vida de um homem, digamos, por dez, vinte ou trinta anos, e, se por observarmos cuidadosamente, vemos que ele traz à tona os frutos da graça através do Espírito Santo, e a nossa conclusão pode ser tirada com muita segurança.
Embora as obras não justifiquem um homem diante de Deus, elas não justificam um descrente. Eu não posso dizer se você está justificado e chamar-se cristão, exceto por suas obras, através de suas obras, portanto, como diz Tiago, sereis justificados. Você não pode, por suas palavras me convencer de que você é um cristão, e muito menos por sua experiência, o que eu não posso ver, mas se o seu curso é como a luz da aurora que vai brilhando mais e mais até o dia ser perfeito, eu sei que o seu caminho é o do justo.
Mas não precisamos olhar para a mera analogia e bom senso.

A Escritura é clara o suficiente. Que diz João? “Saíram de nós.” Por quê? Eram sempre santos? Oh! se “Saíram de nós, é porque não eram dos nossos, porque, se tivessem sido dos nossos, sem dúvida teriam permanecido conosco, mas eles saíram de nós, para que se manifeste que eles não eram dos nossos.” Eles não eram cristãos, ou então eles não teriam, portanto, apostatado. Pedro diz: “Lhes sobreveio o provérbio, o cão voltou ao seu vômito, e a porca lavada voltou a se revolver no lamaçal”, indicando ao mesmo tempo o mais claramente que o cão voltou ao vômito, porque sempre foi um cão.

Quando os homens vomitam seus pecados contra a sua vontade, não porque eles não gostem deles, mas porque não podem mantê-los, se um tempo favorável vem, eles vão voltar a engolir mais uma vez o que pareciam ter abandonado.
Nenhum verdadeiro filho de Deus perecerá, mas isso é o emblema de um verdadeiro filho de Deus: que o homem perseverará até o fim, mas se um homem não perseverar, mas voltar ao seu antigo mestre, e uma vez mais fica preso em sua velha cadeia, e usa novamente o jugo satânico, não há certeza de prova que ele tenha saído do Egito espiritual através de Jesus Cristo, seu líder, e nunca tem obtido essa vida eterna que não pode morrer, porque nasce de Deus. Tenho, assim, então, queridos amigos, dito o suficiente para provar que o verdadeiro distintivo do cristão é a perseverança, e que sem ela, nenhum homem provou ser um filho de Deus.

Temos muitos adversários. Olhe para o mundo! O mundo não se opõe a sermos cristãos por um tempo, ele vai alegremente ignorar todos os delitos dessa forma, se nós agora reapertarmos a sua mão e retornarmos ao que costumávamos ser.
“Ó” diz o mundo, “volte para os meus braços mais uma vez, se reapaixone por mim, sei que tens falado algumas palavras duras contra mim, e feito alguns atos cruéis contra mim, mas eu vou te perdoar alegremente.” O mundo está sempre apunhalando a perseverança do crente. Às vezes, ele vai intimidá-lo para voltar, ele vai persegui-lo com os seus escárnios e línguas cruéis devem ser utilizadas, e em outro momento, ele vai acenar com tanta delicadeza e tão docemente, como prostituta da época de Salomão.

O seu segundo inimigo é a carne. Qual é o seu objetivo? “Oh!”, Grita a carne, “tivemos o suficiente disto, que é um trabalho cansativo de ser um peregrino, venha, desista.” A preguiça diz: “Sente-se ainda onde estás.” Então, a luxúria clama: “Devo ser sempre humilhada? Nunca serei tolerada? Dê-me, pelo menos, uma trégua nesta guerra.”
Em seguida, vem o diabo, e às vezes ele bate o seu tambor e clama com uma voz de trovão “Não há céu, não há Deus. Você é um tolo em perseverar” Ou, mudando suas táticas, ele grita: “Venha de volta! Eu te darei um tratamento melhor do que tinhas antes. Tu me consideravas um mestre severo, mas venha e prove que eu sou um diabo diferente do que eu era há dez anos atrás, eu sou mais respeitável do que eu era antes. Venha comigo, e serás um amante respeitável de prazeres.”

Se ele não puder impedir a nossa perseverança com prazeres mundanos, ele vai tentar impedir a nossa perseverança no sofrimento. “Você sempre foi pobre desde que você tem sido um cristão, o seu negócio não prospera, você vê, você não pode ganhar dinheiro, a menos que você faça o que os outros fazem. Você deve ir com os tempos, ou então você não vai chegar lá. Desista de tudo. Por que ficar sempre sofrendo desse jeito?” Assim, o espírito imundo nos tenta.

Ou então, ele atacará nossas convicções doutrinárias. “Por que”, diz Satanás, “você crê nestes credos denominacionais? Homens sensatos estão ficando mais liberais, eles não se preocupam com a verdade de Deus, pois eles estão removendo os marcos antigos.”
Eu acho que eu provei e não preciso gastar mais palavras sobre isso – que a perseverança é a meta de todos os inimigos. Vista seu escudo, cristão, portanto, esteja em sua armadura, e clame fortemente a Deus, para que, pelo seu Espírito, você possa perseverar até o fim.

Em terceiro lugar, irmãos, a perseverança é a glória de Cristo.
Ele faz todo o seu povo perseverar até o fim, para Sua honra. Se eles caíssem e perecessem, cada compromisso, promessa e a aliança de Cristo estariam em jogo. Se algum filho de Deus perecesse, onde ficariam os compromissos da aliança de Cristo? O que ele valeria como Mediador do pacto e a garantia do mesmo, se ele não mantiver a promessa firme para toda a semente? Meus irmãos, Cristo torna-se um líder e comandante das pessoas, para levar muitas almas para a glória, mas se ele não trazê-los para a glória, onde está a glória do capitão? Onde está a eficácia do sangue precioso, se não pode efetivamente resgatar? Se ele só resgata por um tempo e, em seguida, nos deixa perecer, onde está o seu valor? Se ele só apaga o pecado por algumas semanas, e depois permite que o pecado volte a nos dominar, onde está a glória do Calvário, e onde está o brilho das feridas de Jesus? Ele vive, ele vive para interceder, mas como posso honrar a sua intercessão, se for infrutífera? Será que ele não ora: “Pai, eu quero que aqueles que tu me deste, estejam comigo onde eu estou”, e se eles não podem ser finalmente levados para estar com ele onde ele está, onde estará a honra de sua intercessão?

Eu lhes conjuro pelo amor de Deus, e pelo amor de suas próprias almas, a serem fiéis até a morte. Você tem dificuldades? Você deve vencê-las. Para seu próprio bem, por amor da Igreja, por amor ao nome de Deus, eu oro para que vocês façam isso.
Mas vocês não podem perseverar, exceto por muita vigilância. Muito cuidado sobre cada ação, tanto quanto dependem da mão forte do Espírito Santo, o único que pode fazer vocês perseverarem.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here