A Justiça Manifestada sem Lei

0

“Mas agora, sem lei, se manifestou a justiça de Deus testemunhada pela lei e pelos profetas; justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que creem; porque não há distinção, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus, a quem Deus propôs, no seu sangue, como propiciação, mediante a fé, para manifestar a sua justiça, por ter Deus, na sua tolerância, deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; tendo em vista a manifestação da sua justiça no tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus.” (Rom 3.21 a 26)

A justiça prometida por Deus para a justificação de pecadores, e que passou a se manifestar na dispensação da graça, à qual Paulo chama de tempo presente, com a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo a este mundo para morrer na cruz, foi profetizada nas Escrituras do Velho Testamento, porque Paulo diz que ela foi testemunhada pela Lei e pelos profetas, modo comum de se designar as Escrituras no passado.

Abraão e muitos outros no passado, haviam sido justificados por esta justiça, mas o seu significado, modo de aplicação e tudo o mais que a ela se refere, seria revelado e manifestado somente no evangelho e na pessoa de Jesus Cristo.

Esta justiça de Deus prometida seria manifestada sem lei, conforme dizer do apóstolo, isto é, ela não seria decorrente das obras da lei, mas no ato de justiça que seria cumprido por Cristo morrendo no lugar do pecador, carregando sobre Si todos os pecados deles, para que pudessem ser perdoados e justificados por Deus.

E isto seria feito também por um ato de pura graça para qualquer um que creia, sem qualquer distinção de pessoas.

Então erram com o alvo da vontade de Deus quanto à salvação, todos aqueles que procuram ser justificados por meio da observância da obras da Lei, uma vez que a justiça prometida está sendo oferecida gratuitamente para a nossa salvação, não por praticarmos as obras da Lei, mas por causa da fé em Cristo. As boas obras seguirão a salvação, mas jamais serão a sua causa.

Deus deliberou que seria misericordioso na dispensação da graça, para com as nossas transgressões e não lembraria dos nossos pecados (Hb 8.12, 10.17), porque poderia nos perdoar completamente uma vez que castigaria o Seu próprio Filho unigênito no lugar daqueles que viriam a crer nEle.

Estes que creem, e somente eles, podem receber o dom precioso da justiça divina, porque não serão apenas perdoados, mas completamente santificados.

Não seria justo perdoar um malfeitor para que ele continuasse na prática da injustiça.

Por isso, os que são justificados por Deus, recebem esta maravilhosa bênção, porque passarão a ser justos, se inteirando da causa da justiça e servindo à justiça, pela implantação neles de uma nova natureza espiritual, celestial, santa e divina, que crescerá até a maturidade de varão perfeito.

Por isso os crentes necessitam de Cristo, porque não podem viver e praticar isto sem o poder e a vida de Cristo operando neles.

Cristo é portanto a justiça do crente, para que se torne justiça de Deus, porque Jesus se fez, ao morrer na cruz, maldição e pecado por nós.

Ele se fez a Si mesmo, maldito, para que pudéssemos ser feitos santos (Gal 3.13).

Ele se fez pecado, para que fôssemos feitos santos e justos. (2 Cor 5.21)

Ele se tornou assim a nossa propiciação, porque a justiça perfeita de Deus deveria ser satisfeita quanto ao nosso pecado, porque a justiça demanda a morte espiritual e eterna do pecador, ou seja, ficar separado para sempre de Deus e sujeito à uma condenação de tormentos eternos.

Então, somente o sacrifício de Jesus poderia satisfazer à justiça divina, porque nenhum outro possuía tão profundo e infinito valor e dignidade para morrer no lugar de muitos.

E como o crente é reconciliado com Deus, tendo paz com Ele, por causa da redenção que há no sangue do sacrifício do Senhor por nós, então se afirma nas Escrituras que a justiça e a paz se reconciliaram, porque é somente por meio da justiça de Deus que nos é oferecida gratuitamente em Cristo, que podemos ter paz com Ele para sempre.

Vejamos então, alguns textos do Velho Testamento que profetizaram acerca de tal justiça divina destinada a transformar pecadores em santos e justos diante de Deus.

Salmos 85:10 – Encontraram-se a graça e a verdade, a justiça e a paz se beijaram.

Rom 5.1 Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;
(Veja como a justiça que recebemos pela fé em Jesus, traz como resultado a nossa paz (reconciliação) com Deus. É somente por este meio que acaba a guerra espiritual que havia entre nós e Deus, e o Juízo de condenação de Deus que paira sobre nós, enquanto não temos esta Justiça que promove a paz. O ato da justificação é a atribuição, a imputação da justiça de Jesus ao que crê.)

Isa 32:17 O efeito da justiça será paz, e o fruto da justiça, repouso e segurança, para sempre.
(A justiça aqui referida, em tais efeitos, não poderia ser outra, senão a justiça do próprio Cristo, por meio da qual temos paz, descanso espiritual e segurança, eternos)

Isa 46:13 Faço chegar a minha justiça, e não está longe; a minha salvação não tardará; mas estabelecerei em Sião o livramento e em Israel, a minha glória.
(Este texto e o seguinte, revelam que a justiça que está sendo oferecida por Deus aos pecadores pelo evangelho, é a manifestação que haveria de uma Pessoa, e quem é tal pessoa, senão somente nosso Senhor Jesus Cristo.)

Perto está a minha justiça, aparece a minha salvação, e os meus braços dominarão os povos; as terras do mar me aguardam e no meu braço esperam. Levantai os olhos para os céus e olhai para a terra embaixo, porque os céus desaparecerão como a fumaça, e a terra envelhecerá como um vestido, e os seus moradores morrerão como mosquitos, mas a minha salvação durará para sempre, e a minha justiça não será anulada. – Isaías 51:5-6

Isa 51:8 Porque a traça os roerá como a um vestido, e o bicho os comerá como à lã; mas a minha justiça durará para sempre, e a minha salvação, para todas as gerações.

Isa 56:1 Assim diz o Senhor: Mantende o juízo e fazei justiça, porque a minha salvação está prestes a vir, e a minha justiça, prestes a manifestar-se.

Jer 23:6 Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: Senhor, Justiça Nossa.

Jer 33:16 Naqueles dias, Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; ela será chamada Senhor, Justiça Nossa.

Deut 32:36 Porque o Senhor fará justiça ao seu povo e se compadecerá dos seus servos, quando vir que o seu poder se foi, e já não há nem escravo nem livre.

Entre outros versículos…

 

Pr Silvio Dutra


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here