A Trombeta e a Batalha

2

Pois também, se a trombeta der som incerto quem se preparará para a batalha? (I Co 14:8)

Pensando nos ministérios ligados ao louvor na Igreja é que queremos refletir sobre o texto bíblico acima.

Um primeiro passo seria associarmos: trombeta e batalha. Trombeta nos lembra música, porém batalha não se parece com música. Talvez até mesmo nos dê a impressão de que quando a batalha começa a “música” tem que parar.

O que o texto nos informa é que a batalha está relacionada com o sonido da trombeta. A nossa função enquanto ministério de louvor na igreja é preparar o povo para a batalha. Culto não é entretenimento, é batalha. Uma batalha espiritual.

Em toda batalha corre-se risco de vida ou morte. Esse é o tom da responsabilidade da nossa adoração. Só um soldado louco é que levaria “na brincadeira” uma batalha! A comunicação da trombeta faz com que o exército compreenda o que se deve fazer, sendo assim o papel de quem dá o sonido da trombeta é essencial. Um bom louvor facilita o pregador entregar a mensagem, um bom louvor por si só carrega uma mensagem contida na Palavra, um bom louvor ministra cura, libertação e salvação na vida das pessoas. Basta percebermos que nem toda gente compreende a Palavra, mas facilmente pode emocionar-se e ser tocada num louvor, esquece quem pregou, o que foi pregado mas fica com a mensagem do louvor na cabeça.

Damos sonido incerto: quando não damos testemunho, quando não vivemos aquilo que nós cantamos, quando damos show para os humanos e meditar se realmente estamos agradando à Deus, quando fazemos as coisas relaxadamente, quando tocamos, cantamos e não ouvimos a mensagem, quando deixamos a vaidade entrar e com isso expulsamos o Espírito Santo de nós.

O louvor na Igreja não serve de “aperitivo” até que venha a mensagem como prato principal. Quem de nós pode dizer quando o Senhor irá operar no culto? A batalha já existe antes do culto, e torna-se mais renhida quando o culto começa. Não tendo uma visão nítida do mundo espiritual, devemos tocar pela Fé, na certeza que a batalha está sendo vencida quando cumprimos a nossa parte.

O louvor fornece armas para que pessoas sendo libertas passem a lutar do nosso lado no exército. O louvor leva as pessoas a focarem suas mentes e corações no Senhor, prepara o nosso ser para desfrutar o mover daquele culto.

Não podemos esquecer que podemos dar “sonidos incertos” também nas “pequenas” coisas: volume do som, comportamento antes e depois da ministração do louvor, escolha das canções, “excessos” de uma maneira geral, roupas. Detalhes que fazem a diferença numa batalha em que há risco de vida.

A Batalha já começou! Estás pronto?!

Preparando-me para a Batalha

Andre Luiz


2 COMENTÁRIOS

  1. Nada é mais poderoso do que a Palavra que sai da boca do Senhor. Não estou referindo a sermões, mas a Bíblia. Mesmo porquê tem música que não presta para nada.
    No deserto, não me lembro de Jesus ter cantado, Ele usou a Palavra.

  2. Esclarecedor, estimulante e indutivo à noção do louvor, não só no culto ao Senhor nosso Deus, mas em nossa vida, em nosso dia a dia, em nossas batalhas diárias.
    “Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor.” (Salmos 150-6)

  3. Oi a palavra do senhor e viva e eficaz sem ela estamos mortos que essa palavra possa cada dia penetrar no mais profundo do nosso coração e confrontar e confrontar com nossa mente que tudo que o senhor tem e o melhor pra nós que possamos viver pela palavra de Deus todos os dias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here