Home » Estudos por VC, Teologia

O que significa gentios?

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

O que significa gentios?

A primeira coisa a se dizer a respeito dessa expressão é que ela não tem nada a ver com a palavra “gentil”, que significa generoso, amável, cortês, e da qual deriva a palavra gentileza. A expressão “gentio” tem outro significado como veremos a seguir.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Para entendermos bem essa expressão, precisamos olhar um pouco para o passado. Lá no Antigo Testamento vemos registrado que Deus escolheu um povo para ser o Seu povo. Esse povo deveria representar o Seu nome, e foi a esse povo que Ele deu as Sagradas Escrituras. Esse povo é bastante conhecido pelo nome de judeus.

A Bíblia também os identifica como hebreus, povo de Deus, israelitas, povo de Israel. Todas estas designações indicam o mesmo povo, os judeus. Temos alguns personagens muito famosos que eram deste povo, como Abraão, Moisés, Davi, Salomão, Jesus Cristo, Paulo, Pedro, etc.

Sendo assim, gentios são todas as pessoas que não são do povo judeu. Eu sou um gentio e provavelmente você também seja. Qualquer pessoa que não seja um judeu se enquadra como sendo parte do povo gentio. Na Bíblia o povo não-judeu é designado pelo nome de gentios.

Quando Paulo diz, por exemplo: “A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo” (Ef 3. 8), ele está querendo dizer que foi dada a ele a graça de levar a palavra de Deus aos gentios, ou seja, aos que não são judeus.

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."
Profile photo of André Sanchez

Por

Escreve diariamente seus esboços no blog Esboçando Ideias.Ama escrever, estudar a Bíblia e fazer alguns esboços. É membro da Igreja Presbiteriana Bela Jerusalém, em Ribeirão Preto, onde atua como presbítero, ministro de louvor e professor da Escola Dominical.

PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

4 comentaram, comente você também!

  1. Marcia Jurema Aguiar de Vargas disse:

    Adorei a exposição do André Luiz. Suscinto e objetivo, mostra conhecimento das escrituras. Espero que ele continue nos alimentando cada vez mais abundantemente , pois queremos ser educadores espirituais, levando mensagens claras e verdadeiras dos mistérios do Deus que nos escolheu, para sermos seus fiéis dispenseiros. Amém!!!!
    Obrigada, em Nome de Jesus!!!

  2. A meu ver, o que é eterno no VT , são os 10 mandamentos.Os demais registros,expressam o pensamento de homens,embora inspirados, sujeitos às suas mazelas.Deus é pai de todos,brancos,amarelos,negros,sem distinção. Ele não distinguiria somente u m povo, só o fez,pois este povo (Judeu) era ( eu disse era), o que na época o reconhecia com Deus único.Os outros eram politeistas e elegiam deuses. Paulo, grande Paulo, foi quem entendeu bem isto.

  3. Alisson Carvalho de Oliveira disse:

    Considero a melhor definição da palavra Gentios. Que Deus continue te abençoando André Luiz. Só gostaria de te pedir uma coisa: Que você falasse também que todos nós como povo gentios, não precisamos observar práticas judaicas obrigatórias, direcionadas ao povo Judeu como: Dar Dizímos, guardar o Sábado, se abster de certos alimentos e bebidas entre outros. Use mais uma vez a sua, a nossa fé, pois também sou cristão, e vamos passar a verdade para nossos irmãos evangélicos que continuam escravos e não sabem.

    Que Deus te abençõe.

  4. Concluir que os gentios não precisam de lei, seria admitir que eles não pecam, não precisam de revelação, não precisam de Deus. E se os gentios que não conheceram a lei, dispensam-na e se julgam pela consciência – como querem alguns – também, pelo mesmo raciocínio, os gentios que não conhecem o evangelho podem dispensá-lo pelas mesmas razões. Por aí se vê a debilidade do argumento.

    Nada, absolutamente nada prova que a lei fora dada exclusivamente os judeus, mas o que a Bíblia claramente revela é que Deus de modo especial honrou a Israel fazendo daquele nação Seu povo escolhido e depositário de Sua lei. (Romanos 9:4). Era objetivo de Deus que Israel tornasse conhecida a Sua vontade expressa na lei, a todas as demais nações. Leia ainda Deuteronômio 4:6 a 8; Romanos 3:1 e 2. E quando os gentios aceitaram a religião de Israel, também se sujeitaram à Lei de Deus. (Números 15:15 e 16; Isaías 56:6 a 8).

    Deus proferiu Sua lei santa, no monte Sinai, ao seu redor estavam os judeus. Também ao redor de Cristo, no sermão do Monte, só havia judeus… Mas as bênçãos da Lei e do Evangelho se estenderam aos gentios. Graças a Deus, pelo Seu Dom inefável!

    Por onde se vê a citação de Romanos 2:14 saiu às avessas, porque Paulo prova justamente o contrário, a validade da lei e sua extensão aos gentios. Dizem que “pregar a lei ao povo remido é um insulto e uma ofensa à igreja de Deus”! Calma, gente. Então que grandes insultadores foram Cristo, Paulo Tiago e João!!! E Wesley, Moody, Barnes, Clarke e outros. E Taylor, que disse ser “uma bênção se cada púlpito trovejasse a voz divina ao Decálogo, porque a lei é o aio que conduz a Cristo”? E os milhões de cristãos obedientes ao divino padrão? – O nosso zelo nos leva a afirmar: insultadores, na verdade, são os que desprezam a Lei de Deus, pisam os seus preceitos, ou os que o negam deliberadamente. Examine-se cada um a si mesmo e as Escrituras.
    Que Deus esteja com vc´s !

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 5,005 comentários no Estudos Bíblicos.

Da Internet e em Inglês para Praticar