Home » Estudos por VC, Vida Cristã

O pior de todos os pecados

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

O pior de todos os pecados

O PIOR DE TODOS OS PECADOS
“saiba qual é, de que maneira se
manifesta e como vencê-lo”

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

“A soberba precede a ruína, e a
altivez do espírito precede a queda”
Provérbios 16:18

Introdução –
Por que falar sobre o pecado? Não seria melhor falar uma mensagem de conforto em vez de uma mensagem de confronto? Não seríamos mais aceitos se exaltássemos as virtudes das pessoas ao invés de condenarmos os seus vícios?

Prefiro deixar de ser bem-sucedido em meu ministério para pode ser bem-aventurado nele!

A primeira razão para falarmos sobre o pecado é porque apesar dele nos dar prazer, nunca nos dará alegria – o pecado nos garante muito prazer e pouca satisfação e no final nos deixa sem nenhum prazer e com uma imensa angústia, afinal não há como comer o fruto de dois sabores sem ter indigestão! (Gênesis 3).

A segunda razão é para que entendamos que mais que uma mudança de comportamento, precisamos de uma mudança de coração – nosso problema não está no que fazemos, mas no que somos! O coração do problema é o problema do coração! Não são nossas ações o problema, mas nossas intenções!

A terceira razão é para que aprendamos que não basta evitar o mal, é preciso detestar o mal – repudiamos o fruto, mas regamos as sementes! Abominamos o adultério, mas agasalhamos pensamentos impuros em nossa mente! Enquanto não amarmos o que Deus ama jamais odiaremos o que Ele odeia!
A quarta razão é para que entendamos que é melhor confessarmos nossas inclinações do que nossas transgressões – é melhor que com que esse estudo as escamas dos nossos olhos caiam e vejamos o quanto somos pecadores, antes de nós mesmos cairmos e os outros verem o quanto fomos pecaminosos! É melhor remover sementes do que arrancar árvores!

A quinta razão é para que deixemos de ser um juiz severo com os outros e um advogado tolerante conosco – lembram-se de João 8 e o episódio da mulher adúltera? Pois é, naquela ocasião os acusadores voltaram acusados e a acusada voltou perdoada! Chega de ver o cisco no olho do outro e permanecer cego para com a trave em nossa vista! Não precisamos de um autoexame, mas sim de um exame do Alto! Com o autoexame corremos o risco de não enxergar o quão pecadores somos e consequentemente nos tornemos complacentes ou em vendo isso, entremos em desespero. Somente com a luz divina podemos dissipar as sombras e as trevas em nosso coração!

Achei por bem começar com os sete pecados capitais, cuja lista não se encontra na Bíblia, embora todos os sete pecados sejam citados e condenados nela, mas que de certa forma é um bom ponto de partida para entendermos o que somos para só então chegarmos a desejar quem precisamos ser.
Há várias outras listas de pecados na Bíblia, contendo muito mais do que sete pecados, e elas nunca tiverem a pretensão de serem exaustivas, mas servem como alerta para aqueles que buscam mais do que serem boas pessoas, porque querem ser novas criaturas! (veja algumas dessas listas em Provérbios 6:16, Gálatas 5:19, I Coríntios 6:10 e Apocalipse 21:8).

A lista com os sete pecados capitais foi criada na Idade Média por monges eremitas que em seu estudo sobre as tentações que assediam a natureza humana, concluíram que haviam pecados que geravam outros pecados, que de certa forma eram maiores até que os outros pecados (daí a palavra capital, que significa governo, cabeça etc).
Começaremos com o pior de todos os pecados – o orgulho! Analisando o que é, porque ele é o pior de todos, de que maneira ele se manifesta e como podemos vencê-lo.

I. O QUE É O ORGULHO – lembre-se que no que se refere ao pecado não é tão importante saber o que ele é, mas sim o que ele é capaz de fazer! A Bíblia nuca se ocupou em tentar definir o que é pecado, mas ela é pródiga em mostrar o que ele faz, pois ele simplesmente é capaz de nos separar de Deus! (Isaías 59:2).

“Se eu tivesse apenas um sermão para
pregar, seria um sermão contra a soberba”
G. K. Chesterton

1. O orgulho não é o mesmo que vaidade – a vaidade é uma variação do orgulho, sua versão menor, mas não menos perigoso. O orgulhoso ignora a opinião dos outros acerca de si mesmo por estar convicto de sua superioridade, já o vaidoso precisa muito da opinião alheia para se sentir seguro acerca de si mesmo. A vaidade é o principio da corrupção, já orgulho é a própria corrupção em seu estado último. O vaidoso se centra no que os outros pensam acerca dele, já o orgulhoso se concentra no que ele pensa acerca de si mesmo!

2. O orgulho não é o desejo de ter mais, mas o desejo de ser mais – a avareza é o desejo de ter mais que os outros, mas o orgulho é o desejo de ser mais que os outros! O orgulhoso é por natureza competidor! Ele não se importa em ser o primeiro, basta que seja o penúltimo, isto é, o que importa não é tanto quem está acima dele, desde que haja alguém abaixo dele!

3. O orgulho não é apenas uma admiração desmedida por si mesmo, mas também pode se manifestar numa forte depreciação acerca de si – existem pessoas tão orgulhosas que chegam ao ponto de se desprezarem por não serem tudo aquilo que gostariam de ser. Tem gente que se ama tanto, que chega a se odiar por não conseguir ser tudo o que almeja! Essa é a pior forma de manifestação do pior tipo de pecado!

4. O orgulho é transformar dádivas em conquistas – tudo o que somos, fazemos e temos vem do Pai das luzes e nunca foram produzidos por nós mesmos! Tudo que você tem, com exceção do pecado , foi dado por Deus por pura graça e nunca por algum mérito que você pudesse ter!

II. PORQUE O ORGULHO É O PIOR DE TODOS OS PECADOS – se orgulho foi capaz de transformar um anjo de luz no príncipe das trevas e o maior dos reis num jumento, o que ele não é capaz de fazer com pessoas como nós?

“O orgulho consiste em ocultar o quanto
pensamos em nós mesmos e o quão
pouco pensamos nos outros”
Mark Twain

1. É pior de todos os pecados porque é um vício que pode se confundir com as melhores virtudes – o orgulho pode ser confundido com honra, auto-estima, personalidade forte, dignidade própria, brio etc. Quanto melhor um pecado se disfarça, pior o estrago que ele provoca!

2. É pior de todos os pecados porque além de corromper outras virtudes, ele também é capaz de inflamar outros vícios – o orgulho é capaz de transformar a virtude da coragem em simples atrevimento, a virtude humildade em falsa modéstia, a virtude da perseverança em teimosia. Também agrava outros vícios, fazendo com que avarentos se tornem também roubadores, irascíveis se tornem assassinos etc.

3. É pior de todos os pecados porque é usado pelo Diabo para vencer vícios menores – muitas vezes evitamos um pecado ou abandonamos um pecado, não por uma virtude, mas por esse que é o pior dos vícios. Deixamos de pecar, não porque tememos a Deus, mas porque tememos ser envergonhados. Não pecamos porque não queremos ser expostos ao ridículo e não porque não queremos ofender a Deus. O diabo fica feliz quando ele cura um resfriado nos dando como remédio um câncer!

4. É pior de todos os pecados porque nos impede de cumprir o maior de todos os mandamentos – como podemos amar a Deus acima de todas as coisas se nos ocupamos em nos amar acima de qualquer coisa! Como podemos amar o próximo se o vemos como um inimigo com o qual competimos para alcançar algo, uma coisa a qual usamos para alcançar algo ou um nada que não pode nos dar algo!

III. DE QUE MANEIRA O ORGULHO SE MANIFESTA – o fato do orgulho estar oculto, não significa que ele está ausente!

“Quanto mais detestamos o orgulho nos
outros, mas o temos em nós mesmos”
C. S. Lewis

1. O orgulho se manifesta não na maneira como tratamos os que estão ao nosso lado, mas em como tratamos os que estão abaixo de nós – pense em como você tem tratado aqueles que pensam diferente de você, possuem menos recursos que você, não estão dotados do mesmo conhecimento que o seu. Você os trata com compaixão ou desprezo? Os eleva acima de você ou os mantém abaixo de você?

2. O orgulho se manifesta não apenas quando recebemos elogios, mas também quando outros recebem elogios – Certa vez quando foram elogiar Spurgeon sobre sua excelente mensagem, ele respondeu dizendo que o Diabo já o tinha elogiado antes de descer do púlpito! Mas, não é só quando somos elogiados que o orgulho se manifesta ou desperta em nós, ele também costuma surgir quando vemos outros sendo elogiados. Lembram-se de Saul quando ouviu a cantiga que dizia que se ele havia matado milhares, Davi havia matado dez milhares? Pois é, naquela ocasião o orgulho se manifestou na forma de inveja!

3. O orgulho se manifesta não só quando todos concordam com o que dissemos, mas também quando alguns contrariam o que dissemos – em geral quando dizemos algumas coisas coerentes e as pessoas passam a concordar com a gente ao ponto de nem pensarem mais no que falamos, desde que tenha a nossa assinatura, podemos nos tornar orgulhosos. Porém, a pior forma de orgulho se mostra quando alguns nos contrariam, discordam do que argumentamos, e pior quando nos mostram que estávamos errados! Como o orgulhoso tem dificuldade em admitir erros, ele se manifesta quando contrariado na forma de ira! Quando se acabam os argumentos numa conversa, se começa o orgulho numa discussão!

4. O orgulho se manifesta não quando não conseguimos ser humildes, mas quando tomamos consciência de que temos sido humildes – por incrível que pareça o orgulho surge na hora em que tomamos conhecimento de que temos sido humildes, portanto não deixe que seus olhos saibam o que suas mãos tem feito de bom. Podemos se orgulhar de sermos humildes!

IV. COMO VENCER O ORGULHO – um bom começo para vencer o orgulho é admitir que temos sido orgulhosos, pois a pessoa que até agora não assumiu que é orgulhosa, essa é sem dúvida a mais orgulhosa de todas! Agradeça a Deus por suas fraquezas, imperfeições, faltas e dificuldades, pois eles são mensageiros de Satanás esbofeteando você para mantê-lo humilde!

“Deus criou tudo do nada, e tudo o que
Deus usa, primeiro Ele reduz a nada”
Soren Kierkegaard

1. Vencemos o orgulho quando não esquecemos de quem fomos para não deixar de ser quem somos – esquecemos de que um dia fomos pecadores miseráveis, destituídos da glória de Deus! Lembre-se que todo santo teve um passado do qual se envergonhar, e todo pecador tem um futuro no qual se gloriar! Vejam Pedro! Ele era Simão, mas Jesus o tornou Pedro, mas no dia em que ele se esqueceu de que havia sido um Simão, ele deixou de ser Pedro!. Jesus quando o viu pela primeira vez o chamou de Pedro, e o chamou de Pedro desde então até o dia em que ele começou a se engrandecer perante os outros apóstolos, dizendo que era capaz de morrer por Jesus, nessa ocasião Jesus não o chama de Pedro, mas de Simão, para tentar relembrá-lo de quem ele havia sido, pois ele corria o risco de deixar de ser quem ele havia se tornado. O resto da história vocês já sabem … (Lucas 22:31).

2. Vencemos o orgulho quando o nosso rosto brilha e ao invés de um espelho, usamos um véu – vocês se recordam do dia em que o rosto de Moisés brilhou? Ele fez o que? Usou um espelho para ficar contemplando sua cara de holofote? Não, ele usou um véu para não chamar a atenção para si! (Êxodo 34:29-35).

3. Vencemos o orgulho quando paramos de nos comparar com os publicanos e passamos a nos comparar com Jesus – somos como fariseu na parábola de Lucas 18, olhamos somente para os publicanos quem estão abaixo de nós e nunca para Aquele que está acima de todos nós! Não basta dizer que não somos tão ruins quanto os publicanos, pois a questão é que nunca seremos tão bons quanto Jesus! Ao olharmos para Ele, caímos sobre o nosso rosto, pois além de ver o quanto Ele é santo, vemos o quanto somos pecadores! Adoração é a resposta para o pecado do orgulho, pois na adoração nasce em nós a virtude da humildade! Não deixe que aquilo que você tem o distraia daquilo que lhe falta! Vejam o exemplo de Paulo, ele começa se considerando o menor dos apóstolos (I Coríntios 15:9), depois passa a se consider o menor de todos os santos (Efésios 3:8) e chega ao fim da vida se considerando o principal dos pecadores (I Timóteo 1:15). Isso sim é humildade, considerar os outros superiores a si mesmo!

4. Vencemos o orgulho não quando pensamos menos de nós mesmos, mas quando pensamos menos em nós mesmos – humildade não é pensar menos de si mesmo, isso é complexo de inferioridade e não humildade . Humildade é pensar menos em si mesmo e mais em Deus e nos outros. A humildade é uma virtude discreta, quase secreta! Humildade, como já disse alguém, é como roupa íntima, é absolutamente essencial, mas quando aparece é indecente!

CONCLUSÃO – Esse foi primeiro dos sete pecados capitais, nas próximas ocasiões estudaremos sobre a inveja, a ira, a luxúria, a gula, a avareza e a preguiça.

Para pensar – “Você não precisa ser o pior dos pecadores para cometer o pior de todos os pecados!”

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."

PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

2 comentaram, comente você também!

  1. Eu glorifico a Desu por esta palavra…Aleluia..

  2. valter mendes filho disse:

    Foi um dos melhores estudos que tive oportunidade de ler no site. Aguardo ansioso os demais sobre os sete pecados capitais. Deus abençoe nosso amado irmão Anderson, que de “ZEN” não tem nada. Ele é muito antenado. Pr Valter.

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 5,006 comentários no Estudos Bíblicos.

Da Internet e em Inglês para Praticar