Home » Estudos por VC, Opinião

O Desapego no Contexto Bíblico

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

O Desapego no Contexto Bíblico

São inúmeras classes sociais que estão aprendendo a viver melhor em seu habitat

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Sabe que o meu maior sonho é nunca parar de escrever, mas, o que motiva-me essa atitude é que as palavras ficam registradas, não se vão ao ar dos barulhos da poluição sonora. Entretanto, o que desejo mesmo é nunca se desapegar da edição 102 da Revista Vida Simples quando tratou de um assunto, mais que importante, porque irá ajudar muitas pessoas refletirem o seu modo de viver. Por fim, não me desapego do título “por que acumulamos demais”.

São inúmeras classes sociais que estão aprendendo a viver melhor em seu habitat, perceberam que é pouco espaço para viver, as salas, os quartos são carregados de quinquilharias, cômodos cheios de mofo, outras não conseguem mais receber um lustre, o brilho acabou. Recordo-me, agora, alguns casos engraçados contados na matéria da Revista Vida Simples foi o do chapéu de uma senhora que, com sessenta anos, ela lembrava o motivo de receber aquele chapéu, ela vivia preso no passado devido as lembras que aquele objeto fazia recordar na sua memória, e, engraçado a briga com seu esposo era chata, porquê, o motivo, a razão, acredite, o chapeu já não comportava mais no novo guarda-roupa, e, aquele chapéu foi, algumas vezes, o motivo de desavenças, por que, segundo àquela senhora quem não valorizasse o chapéu não tinha carinho verdadeiro por ela. E essas e outra aberrações percebemos que aquela senhora certo dia foi iluminada e deu-se o fim no chapéu depois de uma terapia.

O Evangelista Marcos conta-nos uma história de uma mulher da elite romana, bem próxima das intimidades e regalias do Rei Herodes, nada mais era a mulher do Procurador do Rei. Cuza, advogava os interesses de Herodes, e, nesse ambiente, a sua mulher Suzana fora acometida com algumas enfermidades, inclusive, devido a carga de responsabilidade de Cuza à jovem Suzana sofria de complexo de rejeição porque Cuza dava mais atenção aos afazes de Herodes que cuidar dos afetivos momentos com sua esposa Suzana. O que narra a história no Evangelho de Lucas 8, inclusive o único discípulo médico grego, ele dá ênfase as enfermidades daquelas mulheres que foram curadas por Jesus, e, em contrapartida, elas se despreenderam das coisas materiais, deixaram de lado a estética facial, os perfumes luxuosos e as regalias do luxo e conforto que o palácio de Herodes promovia.

Houve mudanças no modo de viver daquelas mulheres elas faziam caminhadas, seguiam Jesus de aldeia a aldeia, cidade a cidade, em sol escaldante, em pleno ambiente não propício, descobriram que “se o teu olho te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros e não seja teu corpo lançado ao inferno”, Mt.5:29. Claro que o Evangelista não determinava a mutilação de órgãos do corpo humano integralmente falando, o que se chama atenção é despreender-se de objetos e, até mesmo, sentimentos, costumes que só fazem mal. Nesse caminho poderíamos chamar atenção para a mudança de paradigmas, os padrões psicológicos dos antepassados nem sempre são referência para o presente, ainda que bonitos são, devemos reformar a nossa concepção, a nossa visão de mundo, a nossa perspectiva de vida deverá passar por uma catárse.
E, em se falando de visão de mundo, lembro-me agora, que no meu segundo livro intitulado “cosmovisão”, chamei, atenção por demais, quanto à concepção primordial do monoteísmo, a crença em um só Deus. Quando adeptos e seguidores do monoteísmo se divergiam entre si, o grupo de Fariseus – acreditavam na ressureição de mortos, anjos e milagres, todavia, o outro grupo do monoteísmo conhecido com Saduceu não acreditavam em nenhuma das ideias e concepçãos dos Fariseus. Estava ali o apego, mais uma vez, em voga, o apego a ideia rígida, e, enriquecido de orgulho, devido, e, provocado, por um problema antigo de uma mesma família os descentes de Abraão, uns ligado a casta de Izaque e outros de Isamel, ambos filho do patriarca Abraão, a diferença que o último era da concubina. E, por este motivos, os tais apegos foram e contribuíram para o derrame de sangue, para o ambiente interpessoal de grupos, instituições e etnias não viverem de bem com a vida.
Ângelo Almeida, é cantor, compositor, escritor, Teólogo formou-se
na Faculdade Unida de Vitória-ES, bem como, Professor de Teologia
da Faculdade Teológica Moriah-RJ. Tem dois livros publicados, CD´s
gravados em estilo gospel com letras de sua autoria.
Visite o site pessoal www.angelogospel.com.br,
É filho de Capela do Alto Alegre-BA.

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."

PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 5,002 comentários no Estudos Bíblicos.

Da Internet e em Inglês para Praticar