Home » Estudos por VC, Teologia

Jesus é Deus?

Profile photo of Wellington Leão Por Wellington Leão em 19 de abril de 2011
Tags: , , , , ,

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Jesus é Deus?

Destacando uma evidência: A Divindade de Jesus

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

A divindade de Cristo é algo tão evidente, que, ainda no Antigo Testamento é revelada, sobretudo, alguns grupos religiosos contrariam este princípio bíblico e até apresentam citações das Escrituras, e neste estudo, iremos analisar as passagens por eles apresentadas.

Ainda no Antigo Testamento, encontramos a seguinte declaração:

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Poderoso, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” Isaías 09:06.

Após lermos este versículo, qualquer dúvida da divindade de Cristo é anulada, pois o texto diz claramente que Ele é Deus. Sobretudo, as testemunhas de Jeová, conseguiram arrumar uma colocação: Admitem que Jesus é Deus, sobretudo, o colocam como “um deus”, e quanto a passagem analisada, dizem que Jesus é Deus Poderoso, e não Todo-Poderoso.

Este argumento é muito fraco, visto que no próximo capítulo de Isaías, Jeová também é apresentado como Deus Poderoso:

Isaías 10:21 “Os resíduos se converterão, sim, os resíduos de Jacó, ao Deus Poderoso”

Logo, o texto de Isaías 09:06 exalta sim Cristo como Deus.

Com isso, já refutamos um argumento usado pelas testemunhas, após isso, é possível que elas mostrem Mateus 28:18, para indicar que só Jeová tem Todo-Poder, analise conosco:

“E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.” Mateus 28:18.

Com isso, as testemunhas perguntam: Quem deu todo poder a Jesus? Jeová. Então, quem tem todo poder é Jeová, dizem elas.

Talvez, uma pessoa a qual desconheça os princípios bíblicos, acredite nisso, sobretudo, ao voltarmos para o livro de Isaías, encontramos a afirmação de Jeová:

“Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura.” Isaías 42:08.

Logo, perguntamos: Jeová divide ou não a sua glória com Jesus? Se Ele divide, isso indica claramente que Jesus é Deus, e no versículo de Mateus 28:18, Jesus disse que tem todo poder, logo, Ele é Todo-Poderoso!

Com isso, a testemunha pode perguntar: Deus deu poder a si mesmo? Quem está em contradição, são as testemunhas, pois em Isaías 42:08, diz claramente que Jeová não divide a glória Dele com outrem, mas, a Bíblia diz claramente que Jesus é glorificado pelo próprio Pai (Atos 03:13/ Hebreus 05:05/ João 08:54). Logo, se Jeová dá a glória Dele a Jesus, isso indica claramente que Jesus não é outro “deus”, mas o próprio Deus! Quanto a pergunta, de que se Deus deu glória a si mesmo: Tal pergunta é infundada por pessoas as quais não crêem na Trindade, logo, em Mateus 28:18, vemos o Pai dando Todo-Poder a seu Filho que por Ele foi glorificado. Se não crermos na Trindade, teremos que admitir a existência de dois (ou três) deuses, dois criadores, dois salvadores, dois todo-poderosos, etc. Sobretudo, Jesus disse que Ele e o Pai são um (João 10:30), e quanto ao Espírito Santo, Ele também é indicado em I João 05:06-07.

Para provar com todas as letras que Jesus é Todo-Poderoso, leiamos ainda Apocalipse 01:08 “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-poderoso.”.

Sendo este texto tão claro, as testemunhas adulteraram a tradução e colocaram: “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz Jeová Deus, aquele que é, e que era, e que vem, o Todo-poderoso.” – Só perguntamos: Quando Jeová prometeu que Ele há de vir?

Aliás, o próprio livro de Apocalipse afirma por diversas vezes que Jesus é o Primeiro e o Último – Apocalipse 02:08 “Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último, que esteve morto e tornou a viver” Vão dizer que este texto refere-se também a Jeová? Quantos primeiros e últimos existem? Se Jeová é o primeiro e o último (Isaías 44:06 e Jesus também é (Apocalipse 02:08) , quantos assim existem? – Logo, quando lemos em Apocalipse 01:08 e diz: “…e que há de vir, o Todo-poderoso…” refere-se a Jesus, ou há dois que estão vindo? Quem prometeu que virá é Jesus – João 14:3 “E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também.”.

Conclusão – Em Apocalipse 01:08, diz que o primeiro e o último é Todo-poderoso. O próprio livro de Apocalipse nos informa que Jesus é o primeiro e o último (Apocalipse 02:08); Em Apocalipse 01:08 diz que o Todo-poderoso é o mesmo que era, sendo Ele o mesmo. Em Hebreus 13:09 diz que Jesus é o mesmo, e em Malaquias 03:06 diz que o Senhor não muda, logo, se Jesus é o mesmo e é Senhor, Ele é Todo-poderoso, ou há dois que são o mesmo em que não há mudança? – E por fim, Apocalipse 01:08 diz que o Todo-poderoso é aquele que há de vir, e em João 14:03 diz que Jesus é que está por vir. Logo, Jesus é sim Todo-poderoso.

Deus pode ser tentado? – Outro ponto o qual as testemunhas usam para tentar dizer que Jesus não é Deus, é usarem Mateus 04 (ou Hebreus 04:15), onde diz que Jesus foi tentado, com Tiago 01:13 no qual diz que Deus não é tentado.

Este argumento parece sólido, mas somente para quem não conhece as Escrituras e sabem que o próprio Jeová foi tentado, e para fundamentar isso, iremos utilizar citações dos próprios livros indicados acima, a saber, Mateus, Hebreus e Tiago:

“Não endureçais o vosso coração, como na provocação, no dia da tentação no deserto, onde vossos pais me tentaram, me provaram e viram, por quarenta anos, as minhas obras.” Hebreus 03:08-09.

Este texto diz claramente que Jeová foi tentado por todo o deserto pelos judeus. Leia também Êxodo 17:02, e também Jó 01, passagem tão conhecida.

Vale também lembrar, que o Espírito de Deus também foi tentado (Atos 05:09). Será que uma “força” pode ser tentada? Lembremos também que em Atos 15:10, diz: “Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós podemos suportar?”

Logo, a passagem de Mateus 04, em nada diz que Jesus não é Deus, mas em comparação com Atos 15:10, afirma que eles realmente tentaram a Deus.

Sobretudo, vamos analisar ainda mais a passagem de Mateus 04, pois ali mesmo também já responde:

“Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.” Mateus 04:07.

Ora, se o mandamento diz para não tentar a Deus, isso indica que Deus pode ser tentado! Logo, o próprio capítulo 04 de Mateus já responde a indagação feita pelas testemunhas, mostrando que a Bíblia responde a si mesma, e que nenhum versículo pode ser pegado fora do contexto.

E quanto a passagem de Tiago? Tiago também escreveu:

“Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos.” Tiago 02:10.

Aquele que tropeça em um só dos mandamentos, tropeça em todos. Já vimos que “não tentar a Deus” é um dos mandamentos, logo, se a pessoa que tropeça num mandamento, tropeça também neste, e tenta ao Senhor Deus, logo, vimos pelos três livros que a Bíblia se revela a si mesma. Sobretudo, há uma pergunta: Deus pode ser tentado, mas como que Tiago disse que não?

Já vimos que nenhuma passagem da Bíblia pode ser pegada fora do contexto, logo, quando lemos o contexto, percebemo que Tiago está dizendo para ninguém culpar a Deus pelas suas tentações, pois cada um de nós somos tentado pelas nossas próprias concupiscências (Tiago 01:14). Logo, Deus não tenta a ninguém e não é tentado a fazer isso!

Daquele dia e hora ninguém sabe – Mateus 24:36 “Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.” Este versículo, quando apresentado pelas TJ, é na verdade, mais “um tiro que sai pela culatra!”, vejamos: Daquele dia e hora ninguém sabe, mas as TJ já disseram que sabiam da data e ano da volta de Jesus, e dizem que Ele já teria voltado em 1914! Ora, se só o Pai sabe, como elas poderiam saber? Jesus mesmo disse: “E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.” Atos 01:07. Como que as TJ ficariam sabendo da volta de Jesus?

As mesmas testemunhas dizem que Jeová tem a capacidade de predizer eventos, mas de maneira seletiva, isto é, Ele sabe o quer saber, comprovamos:

“Da mesma forma, Jeová tem a capacidade de predizer eventos, mas a Bíblia mostra que ele faz uso seletivo e com discrição dessa capacidade” (Raciocínios à Base das Escrituras, página 116). Ora, se Jeová faz uso seletivo de predizer eventos, por que Jesus não poderia?

Vejamos agora o ponto em que elas usam: Nem Jesus sabia do dia e hora. No livro de Apocalipse, encontramos um fato diferente: Apocalipse 19:12 “Os seus olhos são chama de fogo; na sua cabeça, há muitos diademas; tem um nome escrito que ninguém conhece, senão ele mesmo.” Pelo raciocínio das testemunhas podemos dizer que Jeová não é Todo-Poderoso por não saber este nome que só Jesus sabe? – Hoje Jesus sabe sim do dia de sua vinda (João 16:30 e 21:17).

Por que me chamas bom? – Mateus 19:17 ” E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom, senão um só que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.” Ora, usar este versículo para dizer que Jesus não seria Deus também não é um raciocínio coerente, pois, estariam as TJ dizendo que Jesus não é bom? Quando Jesus perguntou isso, Ele estava perguntando: “Como você me chama de bom se você não crê que eu sou Deus?” A Bíblia diz que Jesus é bom, e se só Deus é bom, logo, Jesus é Deus: “Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas.” João 10:11. Esta citação prova que Jesus é Deus duas vezes: Primeiro – Jesus é bom, e só Deus tem esta bondade; Segundo – Ele é o Pastor, e fazia uma clara referência do Salmo 23:01.

O Pai é maior do que eu – João 14:28 “Ouvistes o que eu vos disse: vou e venho para vós. Se me amásseis, certamente, exultaríeis por ter dito: vou para o Pai, porque o Pai é maior do que eu.”

Na ocasião em que Jesus disse isso, Ele estava ainda como Homem, Ele era menor até mesmo que os anjos (Hebreus 02:09), logo, não poderia ser mesmo como o Pai, porém, hoje, Ele não é mais menor que o Pai: “Pelo que também Deus o exaltou soberanamente e lhe deu um nome que é sobre todo o nome” Filipenses 02:09.

Usam também algumas citações as quais dizem que Jesus foi enviado pelo Pai, e usam o seguinte argumento: “Qual é maior, o enviado ou quem lhe envia?” Este raciocínio não é coerente, se fosse, Jesus seria maior que o poder ativo de Jeová, visto que este foi enviado por Jesus (João 16:07). Ora, será que Jesus (um criatura, segundo as TJ), seria maior que o Espírito Santo (a força ativa de Jeová, segundo as TJ) ? Será que uma criatura seria maior que o poder ativo de Jeová?

O fato de Jesus ter sido enviado pelo Pai, não indica que Ele era menor que o Pai. Os discípulos, certa vez, enviaram Pedro e João para Samaria (Atos 08:14), seriam Pedro e João menores que os outros discípulos? Paulo e Silas também foram enviados (Atos 17:10). Raciocinemos novamente: Seria Jesus, uma criatura ao ver das TJ, maior que o poder ativo de Jeová? Certamente que não! Mas Jesus enviou o Espírito Santo, e nem por isso Ele é superior ao Espírito de Deus, nem tampouco, o Pai é maior que Ele pelo fato Dele ter sido enviado. Veja também João 15:26, no qual Jesus afirma que Ele realmente seria quem enviaria o Espírito Santo.

O Unigênito e Primogênito

Unigênito – Diferente do que pensam as TJ, unigênito não significa o primeiro a ser criado, mas a palavra unigênito, é a junção de duas palavras, a saber: Uni gênito – Único da mesma natureza. Logo, quando a Bíblia diz que Jesus é o unigênito, diz que Ele é o único que tem a mesma natureza do Pai, sendo Ele o Deus verdadeiro (I João 05:20).

A expressão “unigênito”, analisada à luz do idioma original, monogenê, quer dizer: “da mesma espécie”; “do mesmo gene”; “da mesma natureza”; “igual”. O que significa que Jesus é singular, único com a mesma natureza de Deus. E o próprio Cristo reflete isso de forma clara ao empregar a frase “Filho de Deus”, provocando a ira de seus conterrâneos, que desejaram apedrejá-lo. Afinal, entenderam exatamente o que Jesus quis dizer. Ou seja, que era tão divino quanto o Pai (João 19:07). – Fonte – Bíblia Apologética de estudo.

Vale ressaltar, que Jesus e o Pai são da mesma natureza, e não excluímos o Espírito Santo, que na Bíblia é tanto chamado de Espírito de Deus, como Espírito de Cristo (Romanos 08:09).

Primogênito – Colossenses 01:15 e Apocalipse 03:14 – Nestas citações diz que Jesus é o primogênito de toda a criação. Vamos analisar isso no grego: palavra primogênito (do grego PROTOTOKOS) e não e não primeiro criado (que seria PROTOCTISIS) é a que aparece nessa passagem. Significa supremacia, primazia ou preeminência (Col.01:18), (para que em tudo tenha a preeminência). Logo, quando a Bíblia diz que Jesus é o primogênito, não está rebaixando-o, pelo contrário, o exalta, dizendo que Ele é Aquele que tem preeminência (domínio) sobre tudo. A Bíblia diz que Jesus é o primogênito dos mortos (Apocalipse 01:05), não o primeiro a ser criado. Jesus é o primogênito dos mortos, tendo Ele primazia sobre toda a criação (Efésios 01:20-23).

Usam ainda Provérbios 08:22 “O SENHOR me possuiu no princípio de seus caminhos e antes de suas obras mais antigas.” Traduziram: “O próprio Jeová me produziu…” Querem então dizer que Jesus teria sido criado. Mas, se ler o contexto, descobrirá que fala da sabedoria, logo, se Deus criou a sabedoria, significa que em algum momento Ele não tinha sabedoria? Se Ele não tinha sabedoria, como poderia ter criado? A melhor tradução foi a que apresentei: “O Senhor me possuiu…”

As TJ dizem que Jeová criou Jesus, e depois Jesus criou as outras coisas, mas a Bíblia diz que Deus criou tudo sozinho – Isaías 44:24 “Assim diz o SENHOR, que te redime, o mesmo que te formou desde o ventre materno: Eu sou o SENHOR, que faço todas as coisas, que sozinho estendi os céus e sozinho espraiei a terra” Se Deus criou tudo sozinho, e se a Bíblia diz que Jesus criou tais coisas (João 01:03), logo Jesus não é criatura, é Criador!

Um Criador ou dois? – No livro de Isaías enfatiza-se que cada coisa foi criada por Jeová e por mais ninguém: “Assim disse Jeová, teu Resgatador e Aquele que te formou desde o ventre: ‘Eu, Jeová, faço tudo, estendendo os céus por mim mesmo, estirando a terra. Quem estava comigo?'” Isaías 44:24. Agora, no Novo Testamento, somo informados de que tudo foi criado por Jesus: “Todas as coisas vieram á existência por intermédio dele, e à parte dele nem mesmo uma só coisa veio a existência’ João 01:03.

Como podem ser conciliadas tais declarações bíblicas? Pode alguma doutrina da STV dar resposta ao problema? Responder que Jeová Deus, o Pai, o único Criador, usou Jesus para criar … contradiz a declaração bíblica: “Quem estava comigo?”(Fonte: Livro Desmascarando as seitas, Paulo Romeiro e Natanael Rinaldi, pág. 274-75, CPAD).

A Bíblia diz que Jesus é o primogênito dos mortos (Apocalipse 01:05), não o primeiro a ser criado. Jesus é o primogênito dos mortos, tendo Ele primazia sobre toda a criação (Efésios 01:20-23).

O Pai é Deus e Criador – Gênesis 01:01

O Filho é Deus e Criador – João 01:03/ João 20:28

O Espírito Santo é Deus e Criador – Jó 33:04/ Salmo 104:30/ Atos 05:03-04 – E os Três são um (I João 05:07-08).

Deus nunca foi visto – João 01:18/ I Timóteo 06:16 – Este é outro argumento das Testemunhas para tentarem dizer que Jesus não seria Deus, pois Jesus foi visto.

Vamos analisar a Bíblia toda – “E disse mais: Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá.” Êxodo 33:20. Deus então disse a Moisés que este não poderia ver a sua face. Só que também diz: “Falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala a seu amigo…” Êxodo 33:11.

Abraão: “Apareceu o SENHOR a Abraão nos carvalhais…” Gênesis 18:01.

Jacó: “Àquele lugar chamou Jacó Peniel, pois disse: Vi a Deus face a face, e a minha vida foi salva.” Gênesis 32:30.

Isaías 06:05: “Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos!”

Com isso, já respondemos as testemunhas de Jeová, que Deus pode ser visto sim, ou elas vão dizer que Isaías viu Jesus? Se assim disserem, vão ter que assumir que Jesus é o Rei, o Senhor dos exércitos!

Agora, vamos responder também aos céticos, os quais dizem que há contradições na Bíblia, e provaremos que a Bíblia é a inerrante Palavra de Deus.

De fato, ninguém nunca viu Deus em sua plena natureza! Mas Jesus Cristo é Deus e Ele foi visto, antes de morrer, e depois de ressuscitar. Veja o fato:

“Ninguém jamais viu a Deus; o Deus único, que está no seio do Pai, é quem o revelou.” João 01:18.

Esse versículo deixa claro então a resposta, Jesus é quem o revelou! Abrao viu a Jesus:

“Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se.” João 08:56.

Logo, provamos duas coisas: Deus não pode ser visto em sua plena natureza, por isso, Jesus esvaziou-se a si mesmo e fez-se homem (Filipenses 02:09), para que assim, Ele revela-se quem é o Pai. Provamos também que Jesus é Deus, pois Abraão viu a Jeová, veja como está na TNM:

“Jeová apareceu-lhe…Abraão, vosso pai alegrou-se grandemente na perspectiva de ver o meu dia, e ele o viu e se alegrou.” Gênesis 18:01 e João 08:56 – Quem Abraão viu? O Deus Filho!

Jacó também viu a Jesus – “Tornou Jacó: Dize, rogo-te, como te chamas? Respondeu ele: Por que perguntas pelo meu nome? E o abençoou ali.” Gênesis 32:29.

Houve também um homem e uma mulher que também deteram o anjo e lhe perguntaram o Nome:

“E o Anjo do SENHOR lhe disse: Por que perguntas assim pelo meu nome, visto que é maravilhoso?” Juízes 13:18.

Provando que esse era Jesus:

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” Isaías 09:06.

Então, Jesus, o Deus Filho, revelou a quem é o Pai, pois Ele e Pai são um (João 10:30).

Então, esta passagem, como todas as outras, apresentadas pelas testemunhas, em nada diminui a Jesus, pelo contrário, quando fazemos uma análise bíblica mais profunda, constatamos que o versículo está exaltando a Jesus, e provando que Ele é Deus.

Agora, vamos ler passagens, as quais dizem com todas as letras que Jesus é Deus:

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o principado está sobre os seus ombros; e o seu nome será Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” Isaías 09:06.

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” João 01:01.

“Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu!” João 20:28.

“E sabemos que já o Filho de Deus é vindo e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna.” I João 05:20.

Os discípulos receberam a Jesus como Deus:

João (João 01:01/ I João 05:20) – Pedro (II Pedro 01:01) – Tomé (João 20:28) – Apóstolo Paulo (Romanos 09:05 e Tito 02:13) – Profeta Isaías (Isaías 07:14 e 09:06).

Jesus tem atributos únicos de Deus:

*Rei dos judeus – Isaías 33:22b (TNM): Jeová é o nosso Rei; ele mesmo nos salvará.
Isaías 44:6a (TNM): Assim disse Jeová, o Rei de Israel e seu Resgatador, Jeová.

Jesus Rei dos Judeus – Mateus 02:02/ João 12:13-15/ João 19:21/ Mateus 27:37.

*Pastor – Jeová, segundo os Salmos 23:1, é o nosso pastor e Jesus se identifica como o pastor excelente em João 10:11. Afinal, quem é o nosso pastor ?

*Prostados diante – Romanos 14:10 diz que todos nós ficaremos postados diante da cadeira de juiz de Deus, mas 2 Coríntios 5:10 afirma que teremos de ser manifestados perante a cadeira de juiz de Cristo. Afinal de contas, quem será mesmo o juiz ? Jeová ou Jesus ? (Tenha paciência, mais abaixo vamos tirar esta confusão em pratos limpos).

*Juiz – Jeová é o nosso juiz, diz Isaías 33:22, mas Cristo é quem está destinado a julgar os vivos e os mortos (sendo assim o juiz).

*Senhor dos senhores – A Bíblia mais uma vez aponta que Jeová é “Senhor dos Senhores” em Deuteronômio 10:17, e fala a mesma coisa a respeito de Jesus em Apocalipse (Revelação) 17:14, chamando o cordeiro de “Senhor dos Senhores”.

*Salvação – Esta parte merece um comentário mais extenso. Note que Jeová começa dizendo em Isaías 43:11 que além dEle não há salvador! Não há outro Salvador além de Jeová, é o que o texto diz. Mas Atos 4:12 fala que “não há outro nome debaixo do céu pelo qual tenhamos de ser salvos” e está dizendo que isto é em nome de Jesus Cristo. Daí, Tito, aquele que mais usou o termo salvador para Deus, e que também sempre dizia que o salvador era Jesus, fala que Deus é o nosso salvador em Tito 1:3. Tito 3:4 e Tito 2:10 (além de outros). Entretanto, em Tito 3:6 e Tito 2:13 ele diz que o nosso salvador é Jesus. Inclusive, em Tito 2:13 ele diz da “manifestação do grande Deus e Salvador de nós, Cristo Jesus”. Neste texto ele vai mais fundo e diz que Jesus é o grande Deus e Salvador nosso. A equipe da tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas não poderia aceitar isto, afinal, “Jesus não pode ser Deus, ele é apenas um anjo exaltado” e acrescenta um [do] no texto para “completar o sentido do português”. Tem cabimento este [do] ? Nenhuma tradução respeitável verteu o texto desta maneira, pois Tito fala do Deus (Theos) e (kai) salvador (Sotéros). Não existe tal preposição “do” no meio do texto original. – Fonte: Site Vigiando a Torre – www.vigiatorre.cjb.net

Com isso, perguntamos: Jesus é Deus ou Deus divide a sua glória com Jesus (Isaías 42:08)?

Deus divide a sua glória?

“Eu sou o SENHOR; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura.” Isaías 42:08.

” E, agora, glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse.” João 17:05.

Da leitura de Isaías 42:08 vemos que Deus não dá a sua glória a outrem. Entretanto, Jesus orou ao Pai, em João 17:05, dizendo que Deus repartira sua glória com Ele, antes de o mundo ser criado. Como as testemunhas de Jeová respondem a isso?

Durante este estudo, fizemos perguntas, como: Quantos criadores existem? Quantos primeiros e últimos; etc. Vamos agora ver mais sobre isso:

Um Salvador ou dois? – Isaías 45:21 compare com Atos 04:12.
Um eterno ou dois? – Isaías 40:28 – Apocalipse 01:18
Um Senhor ou dois? – Isaías 41:04 – Romanos 01:07/05:01
Um Rei dos reis ou dois? – I Timóteo 06:15-16 – Apocalipse 17:14 e 19:16
Um criador ou dois? – Isaías 44:24 – João 01:03
Um que perdoa pecados ou dois? – Neemias 09:17 – Lucas 07:49
Um que há de vir ou dois – Apocalipse 01:08 – João 14:03

Adoração a Jesus – Jesus deve ser adorado? Tendo provado que Jesus é Deus, provamos também que Jesus deve ser adorado:

“para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai, que o enviou.” João 05:23.

Neste versículo, Jesus chama para si a mesma honra que o Pai tem. Da mesma forma que o Pai é honrado, assim Jesus deve ser, logo, se o Pai é adorado, assim Jesus deve ser honrado com adoração, pois aquele que honra o Pai e não honra ao Filho, também não tem o Pai. Se uma testemunha de Jeová que honrar a Jeová, deve também honrar a Jesus com atos de adoração:

I João 02:23 “Qualquer que nega o Filho também não tem o Pai; e aquele que confessa o Filho tem também o Pai.”

Já vimos que o Pai divide a glória Dele com Jesus, agora Jesus chamou para si a honra do Pai, ainda após isso as testemunhas irão dizer que Jesus é um deus?

Isaías 45:21 “Declarai e apresentai as vossas razões. Que tomem conselho uns com os outros. Quem fez ouvir isto desde a antiguidade? Quem desde aquele tempo o anunciou? Porventura, não o fiz eu, o SENHOR? Pois não há outro Deus, senão eu, Deus justo e Salvador não há além de mim.”

De fato, temos que concluir: Jesus deve ser honrado com adoração assim como o Pai é – João 05:23.

Qual a consequência de não reconhecer Jesus como Deus? – Jesus disse: “Por isso, vos disse que morrereis em vossos pecados, porque, se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados.” João 08:24.

Agora, podemos escolher: Se acreditamos nas testemunhas ou em Jesus, aliás, devemos ser testemunhas de Jeová ou de Jesus?

*Os discípulos testificaram de Jesus – “Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas.” Atos 02:32. O próprio Jesus disse que eles seriam testemunhas Dele mesmo:

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunha tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 01:08.

E por fim, mais uma citação – “e vós também testemunhareis, porque estais comigo desde o princípio.” João 15:27.

Logo, os discípulos eram Testemunhas de Jesus!

* O Espírito Santo testemunhou e testemunha de Jesus – “Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim e vós também testemunhareis, porque estais comigo desde o princípio.” João 15:26.

Só nesta citação, já podemos ver que o Espírito Santo e os discípulos eram Testemunhas de Jesus!

*O Pai testemunhou de Jesus – “O Pai, que me enviou, esse mesmo é que tem dado testemunho de mim.” João 05:37.

Se você duvida que até o próprio Pai é testemunha de Jesus, confira em sua Bíblia a citação acima, você poderá ler: “Também o próprio Pai que me enviou tem dado testemunho de mim” João 05:37.

Jesus confirmou isso, em João 05:31-32 – “Se eu testifico a respeito de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro. Outro é o que testifica a meu respeito, e sei que é verdadeiro o testemunho que ele dá de mim.”

“Eu testifico de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, também testifica de mim.” João 08:18.

Com estas citações, ficou claro compreender que o próprio Pai é Testemunha de Jesus!

Novamente a escolha é nossa: Acreditamos na Bíblia ou nas testemunhas?

E o Verbo era “um deus” – Para esta tradução, encontramos a seguinte resposta na Bíblia Apologética – Para a seita testemunhas de Jeová, existem dois deuses: O Todo-poderoso, que é Jeová, e outro menor, que é Cristo. Pra que pudessem lançar a Tradução do Novo Mundo na versão apontada, valeram-se até 1983, da tradução de um teólogo espírita chamado Johanes Greber. Na verdade, o cerne da questão está em crermos que toda a Bíblia é inspirado por Deus (2Tm 3.16.17; 2Pe 1.20-21). João aponta outras referências acerca da deidade absoluta de Jesus (João 05:18, 10:30-33). Logo, o Verbo jamais poderia ser outro deus (João 20:28/ I João 05:20). Isso mostra o biteísmo das Testemunhas de Jeová, contrariando Isaías 43:10, que diz: “…Antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá”. Além disso, devemos considerar o seguinte: se as Testemunhas de Jeová argumentam a ausência do artigo definido ho (o) significa que Jesus é um deus e não um Deus, por que não aplicam a mesma regra ao versículo 06, onde a referência clara a Deus Pai não é precedida do artigo definido?

A prova de que a interpretação das testemunhas (ausência do artigo definido) é uma falácia, é que João também não usou o artigo antes do nome Théos nos versículos 06,12,18 deste mesmo capítulo, mas nem por isso a Tradução do Novo Mundo traz: “Houve uma homem enviado como representante de um deus”; ou “…tornaram filhos de um deus”, ou “Ninguém jamais viu a um deus”.

Veja o que alguns estudiosos e eruditos dizem a respeito de tal tradução das testemunhas:

Dr. J.R. Mantey – “Uma má tradução chocante. Obsoleta e incorreta. Não é nem erudito nem razoável traduzir João 1.1 ‘a palavra era um deus'”.

Dr. Bruce M. Metzger (professor de língua e literatura do Novo Testamento) – “Uma tradução horripilante, errônea, perniciosa, repreensível. Se as Testemunhas de Jeová levam essa tradução a sério, elas são politeístas”.

Dr. Charles L. Feinbeng – “[Os tradutores das] Testemunhas de Jeová evidenciam uma ignorância abismal dos princípios básicos da gramática do grego na sua tradução errônea de João 1.1″.

Dr. James L. Boyer – “Nunca ouvi falar, nem li, sobre algum erudito em grego que concordasse com a interpretação desse versículo conforme insistida pelas Testemunhas de Jeová… Nunca encontrei um deles [membro da STV] que tivesse qualquer conhecimento da língua grega”.

Dr. Walter Martin – “A tradução ‘um deus’ ao invés de ‘Deus’ é errônea e ão tem apoio em nenhuma boa erudição do grego, antiga ou contemporânea, e é uma tradução rejeitada por todos os reconhecidos eruditos da língua grega”.

Dr. William Barclay – “Uma tradução que é gramaticalmente impossível. É abundantemente claro que uma seita que pode traduzir o Novo Testamento assim é intelectualmente desonesta.”

Quanto a isso, leia Jeremias 23:36 e II Pedro 03:16

Vamos agora analisar alguns outros versículos usados pelas testemunhas, e outros omitidos por elas:

João 04:23 – As TJ citam este versículo em suas visitas de campo, quando perguntam àqueles a quem estão tentando arrebanhar: “Quem você adora como Deus?”. Se a resposta for: “O Senhor”, então declaram que Senhor é um título. Se a pessoa disser: “Jesus”, dizem que este é o nome do Filho e não deve ser adorado.

Resposta – Concordamos que o Pai deve ser adorado. Devemos perguntar as Testemunhas de Jeová se elas obedecem à vontade do Pai em todos os sentidos. Se a resposta for “sim”, então devemos citar a referência 05:23 deste evangelho, que diz o seguinte: “para que todos honrem o Filho, como honram o Pai. Quem não honra o Filho não honra o Pai, que o enviou.” As testemunhas de Jeová não adoram o Filho, como adoram o Pai, e ainda declaram que Jesus não deve ser adorado, então a adoração que devotam ao Pai é fútil. E a Bíblia tem algo a dizer a esse respeito: “Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios como em que se obedeça à palavra do SENHOR? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.” I Samuel 15:22.

João 17:03 – Dizem que a vida eterna é reconhecer Jeová como único Deus e Deus de seu filho, Jesus Cristo. Sua intenção, com isso, é afirmar que somente Jeová é o Deus verdadeiro.

Se perguntarmos a uma testemunha de Jeová se ela possui vida eterna, responderá, enfaticamente, que não, porque ninguém dirá, pode ter certeza de vida eterna. Os adeptos que pensam dessa forma contabilizam dez, vinte ou mais anos de estudos dos livros publicados pela Sociedade Torre de Vigia, o que demonstram que não possuem nenhum conhecimento ao único Deus verdadeiro e do seu Filho, Jesus Cristo. Se tivessem o conhecimento exato, certamente teriam a certeza de vida eterna (05:24/ Romanos 08:01).

Se Jesus estivesse se excluindo da divindade ao afirmar que o Pai é Deus verdadeiro, poderíamos interpretar pelo mesmo princípio, em Judas 04, que Jesus é o único Senhor verdadeiro. Alias, a citação de Judas 04, é uma profecia que cumpre perfeitamente sobre a Sociedade Torre de Vigia (testemunhas de Jeová), visto que eles negam a graça de Deus (acreditam na salvação pelas obras) “e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo” – Judas 04. A passagem diz claramente (inclusive na TNM), que Jesus é o nosso único Dono e Senhor. Leia todo o versículo em sua Bíblia e compare. Pedro também falou deste, veja:

II Pedro 02:01 “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” – Estes versículos não parece falar claramente do Corpo Governante das testemunhas de Jeová? Pois que negam a Jesus (João 05:23/ I João 02:23), e já vimos que negar a divindade de Jesus, é estar ainda debaixo de pecado (João 08:24).

Alias, há várias outras citações bíblicas as quais se encaixam perfeitamente na Sociedade das testemunhas, veja Mateus 23:13, texto o qual Jesus diz que estas são pessoas as quais não entram no Reino dos céus nem deixam entrar os que desejam.

João 20:17 – Meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus – Por Jesus afirmar que tinha um Pai e um Deus, ensinam que Jesus não poderia ser Deus da mesma forma.

Quanto ao fato de Cristo chamar o Pai de seu Deus, é perfeitamente inteligível, visto que era necessário que Jesus, em tudo, se assemelhasse aos seus “irmãos” na terra (Hebreus 02:17). E, neste sentido, deveria tratar Deus (o Pai) como seu Deus, não usurpando ser igual a Deus (Filipenses 02:06), mas prestando reverência a Deus, tal como os homens deveriam (e devem) fazer.

Quanto ao fato de Cristo chamar Deus de seu Pai, devemos entender que Jesus não é o Filho de Deus por criação ou por adoção, como os demais homens, Jesus é o monogenes do Pai (03:16), o único da mesma natureza do Pai, o seu Filho amado (Mateus 03:17). O verbo que se fez carne (01:14). Jesus é o Filho de Deus pelo direito de herança (Colossenses 01:15). Os homens são filhos de Deus por adoção (Romanos 08:15). Enquanto procedemos de Deus, feitos à sua imagem (Gênesis 01:27), o Senhor Jesus possui a mesma essência do Pai (01:01 e 10:30).

Atos 20:28 – A igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue – No texto em estudo, podemos ver claramente que Deus comprou a igreja com o seu próprio sangue. Ora, a igreja é de Cristo, pois Ele a comprou. Aqui, a referência não é ao Deus Pai, mas a Jesus, o Deus Filho, que morreu pelos pecadores: “Porque Cristo, estando nós ainda fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios” Romanos 05:06 – “Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados” Mateus 26:26 – Veja também Judas 01:04 e II Pedro 02:01.

I Coríntios 08:06 – Para nós há um só Deus, o Pai – As testemunhas afirmam que só o Pai é Deus – Se observarmos esta linha de raciocínio, somos obrigados também a dizer que somente o Filho é Senhor. O fato é que as Escrituras usam os termos Deus e Senhor virtualmente, de modo intercambiável. O Pai é chamado de Deus e Senhor ; e Tomé chamou Jesus de “meu Senhor e meu Deus” (João 20:28). Os líderes das testemunhas ensinam seus adeptos a enxergarem nesse versículo um contraste que não existe.

Conclusão – Usar este versículo para dizer que só o Pai é Deus, é ter que assumir que só Jesus é o Senhor, pois isso também diz no versículo; sobretudo, a Bíblia diz que Jesus é Senhor e Deus (João 20:28).

I Coríntios 11:03 – E Deus a cabeça de Cristo – As testemunhas dizem que se Deus é a cabeça, Jesus, então ocupa uma posição interior.

Devemos observar que o texto diz o seguinte: “E o homem a cabeça da mulher”. Entretanto, tanto o homem quanto a mulher são da mesma natureza. A Bíblia declara, ainda: “E serão ambos uma carne” Gênesis 02:24. Assim, Jesus e o possuem a mesma natureza divina (João 10:30-33).

I Coríntios 15:28/ João 05:19 – Então também o mesmo Filho se sujeitará – As testemunhas argumentam que Jesus se sujeitará ao Pai na eternidade, logo, Jesus não pode ser Deus.

Lemos em Lucas 02:51, que Jesus era sujeito a seus pais: “E desceu com eles, e foi para Nazaré, e era-lhes sujeito”. Então perguntamos: “Jesus era inferior a seus pais por estar sujeito a eles?”. Nem as testemunhas de Jeová concordam com isso. Se Jesus fosse uma criatura como procura ensinar essa doutrina, já estaria sujeito. Mas não é isso que o texto declara, antes que se sujeitará “para que Deus seja tudo em todos”.

A passagem em estudo declara “para que Deus” e não “para que o Pai” seja tudo em todos. A palavra Deus é polissêmica, ou seja, emprega-se indistintamente tanto para o Pai (Efésios 01:03) quanto para o Filho (João 20:28/ Romanos 09:05) e o Espírito Santo (Atos 05:03-04). Deus (Pai, Filho e Espírito Santo) estará integrando a personalidade do Deus Trino (Gênesis 01:06; 03:22; Isaías 06:01-03-08). Será tudo em todos.

Quanto a João 05:19, o interessante é que as testemunhas só mostram a parte inicial do versículo, já a parte b, diz: “porque tudo que ele [o Pai] faz, o Filho faz igualmente.” Nestas palavras, Jesus se revela como Deus Todo-poderoso, tal qual o Pai, pois o Filho pode fazer tudo quanto o Pai faz. Logo, este versículo, como vários outros os quais já estudamos, em nada diminui a Jesus, mas o exalta.

Conclusão – Sujeição nunca foi nem será sinônimo de inferioridade, como vimos em Lucas 02:51.

Colossenses 01:16 – As testemunhas, em sua versão da Bíblia, a tradução do Novo Mundo, introduziram neste texto quatro vezes a palavra “outras”

Seu objetivo com isso, é apresentar Jesus como um ser criado.

O problema é que as testemunhas se esqueceram de acrescentar o termo “outras” em João 01:03, que na tradução do novo mundo, diz: “Todas as coisas vieram a existência por intermédio dele…”.

Esta ausência foi um erro dos tradutores, que se esqueceram? Ou será que acreditam que Jesus é o Criador e não criatura, em contraste com o texto? As testemunhas são peritas em colocar interpolações, comumente entre parênteses, nos textos bíblicos, sob a alegação de que são usadas para completar o sentido do texto em português. Acrescentar algo à Bíblia, como meio de justificar doutrinas, é condenável – Apocalipse 22:18.

Tito 02:13 – Glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo – As testemunhas adulteraram a tradução, acrescentando-lhe textos inexistentes nos originais. Seu objetivo, com isso, é afirmar que o versículo em análise faz clara distinção entre o Pai e o Filho.

Quando lemos o versículo em destaque nas páginas da TNM, encontramos a seguinte versão: “Gloriosa manifestação do grande Deus e [do] Salvador de nós, Cristo Jesus”. O acréscimo da preposição “de”, somada ao artigo “o”, é o grande vilão da inexata tradução jeovista. Neste caso de Tito, dois substantivos – Deus e Salvador – estão ligados por “e” (do grego kai), e o artigo definido vem antes so primeiro substantivo da frase (Deus), não precedendo o segundo (Salvador).

Assim, uma tradução literal do trecho docses tou megalou Theou soteros hemon lesou Christou, seria: “glória do grande Deus e Salvador nosso Jesus Cristo”. O emprego da preposição “do”, como vemos na TNM, não procedo do original. Além disso, o que a referência em estudo nos ensina é perfeitamente compatível com o restante das Escrituras que fala a respeito da divindade de Cristo.

Poderíamos firmar nossas convicções sobre este fato na própria TNM, onde, em Isaías 43:11, lemos “Eu é que sou Jeová, e além de mim não há salvador”. A tentativa de argumentar que para o advento da graça Deus teria constituído Cristo como Salvador não prospera, visto que em I Timóteo 01:01 [na versão TNM], a salvação é atribuída ao Pai.

Conclusão – Mesmo que as testemunhas tenham adulterado a passagem, ainda assim não conseguiram esconder a divindade de Jesus, pois quando comparamos Tito 02:13 com Isaías 43:11, vemos que não há outro Salvador, além de Jeová é Salvador, e a passagem de Tito 02:13 diz que Jesus é o Salvador.

I João 05:20 – Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna – As testemunhas reconhecem a divindade de Cristo, mas dizem que sua divindade é inferior à de Jeová. Todavia, esse ensinamento encontra no texto em referência um obstáculo intransponível. O apóstolo João inicia sua declaração com teor confirmativo, pois diz que “sabemos”. Mas sabemos o quê? a.) Que Jesus, o Filho de Deus já veio; b.) Que Jesus nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; c.) Que estamos naquele que é verdadeiro, ou seja, o próprio Jesus; d.) Que Jesus é o verdadeiro Deus e a vida eterna.

Diante disso, perguntamos as testemunhas de Jeová: “Jesus é ou não o Deus verdadeiro?”. De acordo com o versículo transcrito de forma similar na TNM, é impossível negar que Jesus não seja Deus verdadeiro. Mas, neste ínterim, surge uma nova pergunta: “Como Jesus poderia ser Deus verdadeiro se a Bíblia declara que só existe um que detém tal prerrogativa?” ( João 17:03). Só existem duas alternativas para as testemunhas: a.) Ou reconhece que Jesus é um deus falso, o que contradita não só o testo em análise como também a própria literatura jeovista; b.) Ou reconhece que Jesus é Deus verdadeiro. Neste último caso, não podendo haver dois deuses verdadeiros, a solução reclama a doutrina da Santíssima Trindade.

Conclusão final – Vimos que negar a divindade de Jesus, implica em crer em mais de um deus verdadeiro, crer em dois criadores, salvadores, etc. E negar a divindade de Jesus, é estar ainda em seus pecados (João 08:24). Terminamos então comprovando que Jesus é Deus e Senhor, tendo mostrado nas passagens apresentadas pelas testemunhas, que tais versículos em parte alguma diminui a Jesus, mas que o exalta, como aquele que tem a preeminência sobre toda a criação. Esperamos que este estudo chegue as mãos de muitas testemunhas de Jeová, para que as mesmas sejam sinceras em reconhecer que há graves erros dentro do corpo governante, e que tais erros devem ser desfeitos, pois estão incorrendo em um grande pecado: Adulterando a Bíblia, e torcendo as Palavras do Deus eterno, querendo eles adorar a Jeová, acabam não honrando-O, pois que não honram a Jesus como a mesma com a qual honram a Jeová (João 05:23). Desejamos que estas palavras tenham resultado, sabendo que Jesus disse para examinarmos as Escrituras (João 05:39). Agora a escolha é sua, escolhe pois a vida para que vivas, escolha Jesus que é a vida (Deuteronômio 30:19 e João 14:06).

Escrito por Wellington Leão (Notícias do Evangelho). Apoio e fonte: Bíblia Apologética de Estudo e livro Desmascarando as Seitas, Natanael Rinaldi e Paulo Romeiro, CPAD.

Texto estraído com autorização do site www.vigiandoatorre.com

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."

PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

6 comentaram, comente você também!

  1. caro wellington leão vc responde bem aos argumento das testemunhas de Jeová com o texto que apresentou, mas tudo isso cai por terra quando usa para justificar uma trindade; com isso, tanto as testemunhas que professam uma duidade, quando afirmam que Jesus é um deus inferior quanto voce que crer numa trindade que é = divindade tripla ou tres deuses pois é exatamente isso que esta palavra expressa porem de uma maneira camuflada, isso não é crer em um Deus, em três, todo esse argumento que vc apresentou, testifica, comprova e culmina exatamente no que eu creio ao invez de trindade, (unidade) divindade única, ou seja um Deus todo- poderoso que se manifestou em carne, cujo nome è Jesus, o nome deste Deus não é Jeová é Jesus quanto ao processo de salvação, todos esses ponto que vc citou comprova isso, examine nesse sentido!

  2. vc realmente usou argumentos da palavra de Deus
    quero ver um estudo sobre a trindade ai pois sou unicista e acredito que jesus e o Deus
    pois antes de min nao ouve Deus e nem depois.

  3. tudo procede de um unico DEUS chamado de JESUS e chamado filho na parte humana pois antes era só Espirito Santo ok!!

  4. Apenas algumas provas de que muito antes de 325(O CONCILIO DE NICEIA I) ,os cristãos já acreditavam no Deus UNo e Trino.O texto pertence a Carlo Martins Nabeto.
    Acrescento ainda que até Santa Isabel já sabia que Cristo era Deus na saudação que faz a Santa Maria proclamando que a Mãe do Seu Senhor vinha sauda-la.

    As citações seguintes testemunham o que os primeiros cristãos pensavam sobre a crença na Santíssima Trindade.

    “No que diz respeito ao Batismo, batizai em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo em água corrente. Se não houver água corrente, batizai em outra água; se não puder batizar em água fria, façai com água quente. Na falta de uma ou outra, derramai três vezes água sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Autor desconhecido, ano 90, Didaqué 7,1-3).

    “Um Deus, um Cristo, um Espírito de graça” (Clemente de Roma, ano 96, Carta aos Coríntios 46,6).

    “Como Deus vive, assim vive o Senhor e o Espírito Santo” (Clemente de Roma, ano 96, Carta aos Coríntios 58,2).

    “Vós sois as pedras do templo do Pai, elevado para o alto pelo guindaste de Jesus Cristo, que é a sua cruz, com o Espírito Santo como corda” (Inácio de Antioquia, ano 107, Carta aos Efésios 9,1).

    “Procurai manter-vos firmes nos ensinamentos do Senhor e dos apóstolos, para que prospere tudo o que fizerdes na carne e no espírito, na fé e no amor, no Filho, no Pai e no Espírito, no princípio e no fim, unidos ao vosso digníssimo bispo e à preciosa coroa espiritual formada pelos vossos presbíteros e diáconos segundo Deus. Sejam submissos ao bispo e também uns aos outros, assim como Jesus Cristo se submeteu, na carne, ao Pai, e os apóstolos se submeteral a Cristo, ao Pai e ao Espírito, a fim de que haja união, tanto física omo espiritual” (Inácio de Antioquia, ano 107, Carta aos Magnésios 13,1-2).

    “Que não somos ateus, quem estiver em são juízo não o dirá, pois cultuamos o Criador deste universo, do qual dizemos, conforme nos ensinaram, que não tem necessidade de sangue, libações ou incenso. [...] Em seguida, demonstramos que, com razão, honramos também Jesus Cristo, que foi nosso Mestre nessas coisas e para isso nasceu, o mesmo que foi crucificado sob Pôncio Pilatos, procurador na Judéia no tempo de Tibério César. Aprendemos que ele é o Filho do próprio Deus verdadeiro, e o colocamos em segundo lugar, assim como o Espírito profético, que pomos no terceiro. De fato, tacham-nos de loucos, dizendo que damos o segundo lugar a um homem crucificado, depois do Deus imutável, aquele que existe desde sempre e criou o universo. É que ignoram o mistério que existe nisso e, por isso, vos exortamos que presteis atenção quando o expomos” (Justino Mártir, ano 151, I Apologia 13,1.3-6).

    “Os que são batizados por nós são levados para um lugar onde haja água e são regenerados da mesma forma como nós o fomos. É em nome do Pai de todos e Senhor Deus, e de Nosso Senhor Jesus Cristo, e do Espírito Santo que recebem a loção na água. Este rito foi-nos entregue pelos apóstolos” (Justino Mártir, ano 151, I Apologia 61).

    “Eu te louvo, Deus da Verdade, te bendigo, te glorifico por teu Filho Jesus Cristo, nosso eterno e Sumo Sacerdote no céu; por Ele, com Ele e o Espírito Santo, glória seja dada a ti, agora e nos séculos futuros! Amém.” (Policarpo, ano 156, Martírio de Policarpo 14,1-3).

    “De fato, reconhecemos também um Filho de Deus. E que ninguém considere ridículo que, para mim, Deus tenha um Filho. Com efeito, nós não pensamos sobre Deus, e também Pai, e sobre seu Filho como fantasiavam vossos poetas, mostrando-nos deuses que não são em nada melhores do que os homens, mas que o Filho de Deus é o Verbo do Pai em idéia e operação, pois conforme a ele e por seu intermédio tudo foi feito, sendo o Pai e o Filho um só. Estando o Filho no Pai e o Pai no Filho por unidade e poder do Espírito, o Filho de Deus é inteligência e Verbo do Pai. Se, por causa da eminência de vossa inteligência, vos ocorre perguntar o que quer dizer “Filho”, eu o direi livremente: o Filho é o primeiro broto do Pai, não como feito, pois desde o princípio Deus, que é inteligência eterna, tinha o Verbo em si mesmo; sendo eternamente racional, mas como procedendo de Deus, quando todas as coisas materiais eram natureza informe e terra inerte e estavam misturadas as coisas mais pesadas com as mais leves, para ser sobre elas idéia e operação” (Atenágoras de Atenas, ano 177, Súplica pelos Cristãos, 10,2-4).

    “Como não se admiraria alguém de ouvir chamar ateus os que admitem um Deus Pai, um Deus Filho e o Espírito Santo, ensinando que o seu poder é único e que sua distinção é apenas distinção de ordens?” (Atenágoras de Atenas, ano 177, Súplica pelos Cristãos 10).

    “Igualmente os três dias que precedem a criação dos luzeiros são símbolo da Trindade: de Deus [=Pai], de seu Verbo [=Filho] e de sua Sabedoria [=Espírito Santo]” (Teófilo de Antioquia, ano 181, Segundo Livro a Autólico 15,3).

    “Com efeito, a Igreja espalhada pelo mundo inteiro até os confins da terra recebeu dos apóstolos e seus discípulos a fé em um só Deus, Pai onipotente, que fez o céu e a terra, o mar e tudo quanto nele existe; em um só Jesus Cristo, Filho de Deus, encarnado para nossa salvação; e no Espírito Santo que, pelos profetas, anunciou a economia de Deus…” (Ireneu de Lião, ano 189, Contra as Heresias I,10,1).

    “Já temos mostrado que o Verbo, isto é, o Filho esteve sempre com o Pai. Mas também a Sabedoria, o Espírito estava igualmente junto dele antes de toda a criação” (Ireneu de Lião, ano 189, Contra as Heresias IV,20,4).

    “Foi estabelecida a lei de batizar e prescrita a fórmula: ‘Ide, ensinai os povos batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo'” (Tertuliano, ano 210, Do Batismo 13).

    “Cremos… em um só Senhor Jesus Cristo, Filho de Deus, nascido do Pai como Unigênito, isto é, da substância do Pai, Deus de Deus, luz da luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não feito, consubstancial com o Pai, por quem foi feito tudo que há no céu e na terra. [...] Cremos no Espírito Santo, Senhor e fonte de vida, que procede do Pai, com o Pai e o Filho é adorado e glorificado, o qual falou pelos Profetas” (1º Concílio de Nicéia, ano 325, Credo de Nicéia).

    Outras Fontes: Tertuliano: (ano 216) Contra Praxéas 2; 9; 25.
    Orígenes: (ano 225) Doutrinas Fundamentais IV,4,1.
    Hipólito de Roma: (ano 228) Refutação de Todas as Heresias 10,29.
    Novaciano: (ano 235) Tratado sobre a Trindade 11.
    Papa Dionísio: (ano 262) Carta a Dionísio de Alexandria 1; 2; 3.
    Gregório Taumaturgo: (ano 265) Declaração de Fé.
    Sechnall de Irlanda: (ano 444) Hino a São Patrício 22.
    Patrício: (ano 447) O Peitoral de São Patrício 1; (ano 452) Confissão de São Patrício 4.

  5. jeferson Luiz disse:

    Wellington , sobre a parte que diz respeito a Jesus ser tentado, não podemos esquecer também
    de Filipenses 2, 8-9 “Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Quando Jesus andou nesta terra havia esvaziado-se de sua glória portanto não há mistério algum no fato do diabo tenta-lo. Todos argumentos fracos. também deixo aqui uma dica, que ninguem tente entender a Deus pela mente humana pois esse é o caminho inverso, o que se pode saber de Deus, Cristo revelou, conheçam a cristo e conheceram o Pai!

  6. na realidade voce teve sua resposta ,a uma testo na biblia. muitos medirão na que dia senhor,senhor,não profetissemos,teu nome, não curamos em teu nome,não espusamos demonio em teu nome, pois te conversarei nem te conheço afastai-vos de mim vos obreiro do que comtra lei. só essite uma verdade leia com atenção a biblia e sabedoria
    quando jesus orou não orou pra si mais para o pai que estar no cêu.

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 5,005 comentários no Estudos Bíblicos.

Da Internet e em Inglês para Praticar