Festas Juninas

64
163

por Davi de Sousa

CONSIDERAÇÕES SOBRE A “FESTA DE SÃO JOÃO”

Originalmente o calendário religioso utilizado pela Igreja era uma adaptação dos calendários grego e romano, e portanto foi bastante influenciado por importantes eventos pagãos.

1. AS FESTIVIDADES RELIGIOSAS.

A partir da Idade Média, o calendário romano foi definitivamente adotado (“cristianizado”) passando a ser utilizado por toda igreja ocidental, quando foram incluídos a celebração das festas dos “santos” e dos “mártires”. Daí surgiu o atual “calendário dos santos da Igreja católica” (a Igreja Católica dedica aproximadamente 42 dias no ano a um(a) santo(a)). Vários grupos protestantes eliminaram completamente o calendário religioso, celebrando apenas alguns eventos que consideram importantes (ex: Natal).

2. DEFINIÇÃO DE ALGUNS TERMOS:

Santo:
No Antigo testamento a palavra hebraica mais usada (cerca de 116 vezes) para descrever “santo” é “QADOSH”, que significa “separado”. No Novo Testamento a palavra grega para “santo” é “ÁGIOS”, que aparece 230 vezes de Mateus a Apocalipse, e significa “separados pelo Senhor como Sua possessão peculiar”.

“Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus…” – 1 Pedro 2.9

Na Igreja Primitiva todos os crentes eram chamados de “santos”, mesmo quando o seu caráter ainda não estava completamente formado (ex: At 9.13, 32; 26.10; Rm. 8.27; 12.13; 15.25,26).
“…segundo a vontade de Deus é que Ele (Jesus) intercede pelos santos”. – Romanos 8.27

“Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas, outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do Corpo de Cristo”. – Efésios 4.11,12

Canonização:
Dentro do catolicismo romano este é o nome dado ao decreto que inclui uma pessoa na categoria dos “santos”, os quais são recomendados à veneração dos fiéis. A condição para que a pessoa seja “beatificada” é que já tenha falecido e que pelo menos dois de “seus milagres” tenham sido confirmados. O papa, então, proclama a canonização.

De acordo com a teologia romanista, os indivíduos canonizados acumularam um tesouro de méritos, mediante suas vidas “inculpáveis” e a prática de “boas obras”. Esses méritos em “reserva”, então, podem ser colocados à disposição de cristãos de menor envergadura, em resposta às orações feitas aos “santos”.

A palavra de Deus declara que existe apenas um Mediador e Intercessor entre Deus e os homens: Jesus Cristo.

“Porquanto há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem”. – 1 Timóteo 2.5

“…o qual está à direita de Deus e também intercede por nós”. – Romanos 8.34

3. A QUESTÃO DA IDOLATRIA

Idolatria, no grego “EIDOLOLATRIA” significa: “culto aos falsos deuses” ou “adoração de ídolos”. Esta adoração pode se referir a ídolos ou imagens propriamente ditas, ou então a tudo aquilo que porventura ocupe o lugar de Deus no coração do homem. Por que Deus abomina qualquer tipo de idolatria?

– Sl 115.4-7; 1 Co 8.4 – A Bíblia afirma que o ídolo em si é apenas um pedaço de madeira, pedra, etc., esculpido por mãos humanas, que nenhum poder tem em si mesmo.

– Êx 20.3-5; Is 42.8 – O nosso Deus não divide a sua Glória com ninguém.

– Ez 14.3,4 – Note que há ídolos que levantamos em nossos corações (ex: avareza: Cl 3.5). Precisamos identificá-los e renunciar a sua força em nós.

– Dt 18.9-12; Is 8.19,20 – O ato de comungar com pessoas que já morreram ou idolatrá-las está ligado à prática do espiritismo, magia negra, leitura de sorte, feitiçaria, bruxaria, etc. Segundo as escrituras, todas estas práticas envolvem submissão e culto aos demônios, e são abomináveis ao Senhor.

OBS: a definição da Enciclopédia Britânica (BARSA) para FESTA RELIGIOSA é: Um dia consagrado à memória ou à comemoração de um evento histórico religioso.

– Dt 32.17; Sl 106.36; 1 Co 10.20,28 – Por traz de cada ídolo há demônios que estão agindo, os quais são seres sobrenaturais controlados pelo Diabo. Noutras palavras, o poder que age por detrás da idolatria é o dos demônios.

Ex: Alguns “santos” da Igreja Católica e sua correlação com entidades espíritas:
– Iemanjá ? Senhora Aparecida.
– Xangô ? São Jerônimo.
– Oxossi ? São Sebastião.
– Iorí ? Cosme e Damião.

4. A CELEBRAÇÃO DO “DIA DE SÃO JOÃO”

Registros históricos declaram que no século sexto, missionários foram enviados para o norte da Europa para juntar pagãos ao grupo romano. Eles descobriram que o dia 24 de junho era muito popular entre esses povos, pois era quando ocorria o solstício de verão (solstício: época em que o sol afasta-se o máximo possível da linha do equador). Procuraram, então, cristianizar este dia, mas como? Por esse tempo o 25 de dezembro havia sido adotado pela igreja romanista como o natalício de Cristo. Desde que 24 de junho era aproximadamente seis meses antes de 25 de dezembro, por que não chamar este o natalício de João Batista? João nasceu, devemos lembrar, seis meses antes de Jesus (Lc. 1:26,36). Assim sendo, o dia 24 de junho passou a ser conhecido no calendário papal como sendo o Dia de São João.

Na Bretanha (Inglaterra), antes da entrada do cristianismo, o 24 de junho era celebrado pelos druidas com fogos de artifícios em honra ao deus Baal. Quando este dia tornou-se dedicado a São João, os fogos sagrados também foram adotados e tornaram-se “as fogueiras de São João”!

Ainda hoje o dia 24 de junho é largamente celebrado na Escandinávia, na Alemanha e na Finlândia com fogueiras pagãs. A história relata que até o século passado os camponeses da Finlândia praticavam encantamentos mágicos durante o solstício de verão, a fim de obterem maior fertilidade nos animais.

No Brasil as “festas juninas” são realizadas em todo o país no mês de junho (daí o nome “juninas”, e culminam no Dia de São João). O principal momento da festa é a quadrilha, em que vários casais vestidos de caipira encenam uma cerimônia de casamento (que normalmente não acontece).

CONCLUSÃO:

1. NÃO PODEMOS AGIR COMO IGNORANTES (Ingênuos, imprudentes, néscios) – Ef 6.2; Ef 5.15; 2 Co 2.11; Ef 4.27

2. SE TEMOS O CONHECIMENTO DE QUE ALGO É CONSAGRADO A ÍDOLOS, DEVEMOS NOS ABSTER – 1 Co 10.27,28; 2 Co 6.14-17; Ef 5.11

3. TEMOS A RESPONSABILIDADE DE ENSINAR NOSSOS FILHOS A SE POSICIONAREM – Não podemos transferir para a Igreja a responsabilidade que é nossa – Dt 6.3-9; Pv 22.6

4. PRECISAMOS FUGIR DE TODA A APARÊNCIA DO MAL1 Co 10.23-33; Pv 6.28

FONTES DE PESQUISA:

– Babilônia: A Religião dos Mistérios – Ralph Woodrow.
– Enciclopédia Britânica – BARSA.
– Enciclopédia de Bíblia e Filosofia 0- R. N. Chaplin e J. M. Bentes.
– A sabedoria das Runas (livro secular).
– A umbanda e as suas ordens (livro secular).

 


Pr. Davi de Sousa – Comunidade Nova Aliança – Londrina/Pr
Estudo retirado do site www.orvalho.com

 

COMPARTILHAR

64 COMENTÁRIOS

  1. ESTIMADO PASTOR,SOU DE UMA IGREIJA AQUI NO SUL DA FLORIDA,,,E ELES VAO COMEMORAR FESTA JUNINA NA IGREIJA,,,,MEU CORACAO SE ENTRISTECEU MUITO,,,,POIS FALEI COM MINHA PASTORA E ELA DISSE QUE ERA ,,,FESTA DO MILHO,MASMEU CORACAO CONTINUA COM MUITA TRISTEZA ,POIS TENHO UM ADOLESCENTE DE 14 ANOS,,,E SEMPRE DISSE A ELA QUE ISTO ERA FESTA MUNDANAS,,GOSTARIA MUITO DE SABER MAS DETALES DE FESTAS JUNINAS,,,DESTE DE JA AGRADECO ,,,QUE DEUS VOS ABENCOE

  2. Pastor, sou da Igreja Batista Nacional e gostaria de saber mais detalhes sobre as festas juninas, qual posicionamento devemos tomar diante destas festas, pois tenho filhas em uma escola municipal, na qual esta festa é comemorada todos os anos.
    De já agradeço.
    Que Deus vos abençoe!

  3. Pastor,por incrivel q pareça na minha igreja tb será realisado uma dessas festas com adesculpe de arrecadar dinheiro para pagamento do templo,como sou totalmente contra a todo e qualquer tipo de profanação da casa de Deus estou buscando fontes para embasar minha posição.Se o Pastor tiver mais por favor mande-me.obrigado

    • A PALAVRA DE DEUS DIZ, SIM, OU NÃO, A ESCOLHA E SUA, OU VC SERVE A DEUS, OU NÃO SERVE, NÃO TEM MEIO TERMO, JESUS DISSE O CAMINHO E ESTREITO E A PORTA E APERTADA MAIS E ESTE QUE LEVA A SALVAÇÃO ETERNA UM FORTE ABRAÇO A TODOS, PAZ.

  4. QUERIDO PASTOR LÍ COM MUITA ATENÇÃO A ESSE ARTIGO E DIGO QUE GOSTEU MUITO,ESCLARECEU-ME BASTANTE E QUE MUITAS VEZES AGIMOS DE CERTA MANEIRA POR NÃO TER CERTEZA DO ERRO.SOU TOTALMENTE CONTRA QUALQUER QUE SEJA,COMEMORAÇÃO QUE NÃO SEJA BÍBLICA.
    QUE JESUS CONTINUE O ABENÇANDO PARA QUE CONTINUE A SER UM CANAL DE BENÇÃO!

  5. Muito bom o artigo. Sinto muita tristeza quando vejo a televisão propagando para todos os lados o culto a idolos. Ora a Deus que um dia isso acabe e todos reunam em uma unica fé, em Cristo Jesus, único e suficiente salvador das nossas vidas. Deus abençõe.

  6. Gostaria de perguntar se o natal e comemorar aniversario são também consideraddas fsetas pagãs pois estão divididas as opiniões entre 2 denominações evangélicas perto da minha casa.

    Obrigado e DEUS abençõe.
    Jose Carlos Constant.

  7. Mais essa linha de énsamento é muito perigosa pq, se formos analizar a fundo o natal tambem é uma festa pagã pois é uma festa adapitada pela igreja catolica e empurrada guela a baixo nos protestantes que se acostumaram a ser meios catolicos, Pois Jesus nasceu entre abril e maio e seu aniversario se comemora coencidentemente em dezenbro na data de aniversario de um deus pagão que era o deus pai de algumas religiões pagãs inclusive muito adorado em Roma seu nome era Solos invictus.se formos ser cristãos de verdade mesmo precisamos criar nossas proprias festas nossa propria Biblia e etc.

    • AMÉM,GRAÇA E PAZ,sim o natal comemorado dia 24 para 25 de dezembro é uma festa pagã,porque o própio JESUS diz q não é para nós comemorarmos seu nascimento,mais p q a igrja se reuna p celebrar sua morte e sua ressurreição 1cor;11;23-24.pois JESUS não nasceu em dezembro,época de neve,como poderiam os pastores e rebanhos estarem no pasto de neve,vamos acordar,coelho também não põe ovo,aonde está JESUS sendo adorado nisso,estão perdendo o foconisso tudo se enquadra o diabo mentiroso,velho noel mentiroso,coelho mentiroso,o pai da mentira é o diabo,é ou não é biblico,a BÍBLIA não é caixa de surpresa e muito menos amuleto,toda e qualquer doutrina que for ensinada se não conformar com as palavras de JESUS NOSSO SENHOR aquels que ensinam é soberbo e nada sabe,mais delira acerca de questões e contendas de palavras das quais nascem invejas,porfias,blasfemias… mais embaixo em timoteo 6;5 diz,aparte-se dos tais.e ai.se sim sim, se não ,não.soms novas criaturas olôôô.

    • Alexandre, não é bem por aí, pois a bíblia, é uma só, é tudo uma questão de crescimento espitual e de entendimento, que só é adquerido, quando há uma conversão sincera, onde a nossa busca é um fato, eu oro pelos católicos para que eles conheçam a verdade, que é Jesus Cristo ( Jo. 8. 32 ) e passem a obedecer a Deus afastando-se da idolatria, e se convertendo ao Senhor, passando a obedecê-lo, tomando posse da SALVAÇÃO conquistada na crus do calvário por Jesus Cristo, a Deus toda Glória…

    • GRAÇA E PAZ, pois vc lê a BIBLIA meu amado rodolfo,pedro não era alfabetizado,JESUS não era também,leia a VERDADE;1 corintios 1;27-31 leia com seus própios olhos,DEUS TE ABENÇOE, e q as escamas de seus olhos caiam assim como cairam as de saulo que era perseguidor de JESUS, virou perseguido, por que teve um encontro com JESUS e foi liberto,leia também atos q fala da converção de saulo para paulo.boa meditação.

      • Jesus nãoe era alfgabetizado? Tem uma passagem da Biblia onde ele lê um texto de Isaias senhor Lauro.Ou foi a ” livre interpretção da Biblia inspirada pelo Espirito Santo” que te “mandou” ignorar este trecho?

  8. Pastor, esse artigo, me foi muito útiu para esclarecimentos, mas pelo que eu entendi… Comemorar o natal também é “pecado”? Porque eu lí que tb é uma “festa” do calendário das igrejas católicas e os protestantes o comemoram!
    Obrigada!

  9. Pastor sou de uma Igreja que sempre prega o evangelho verdadeiro e genuino e os Pastores são de grande Indole, pessoas como o nome mesmo já diz honestas.Antes de fazer parte desta igreja a outra que eu e minha familia congregavamos os pastores não concordavam com este tipos de festas mesmo sendo com outro nome, por exemplo”festa da roça”. Mudei de igreja devido mudança de endereço. Pastor solicito esclarecimentos, pois, ate então não concordava com este tipo de festas, mas em compensação a minha filha de 14 anos esta amando. Gostaria de obter mais conhecimento, pois não gostaria de questionar os meus, pois temo ser mal interpretada, eles estão certos?, pois acredito que eles são homens e mulheres de Deus ungidos e sábios.

  10. Senhor Pastor, desculpe discordar de seu texto mas a história das festas não é essa.
    Festa Junina, as festas juninas em homenagem a São João, São Pedro e Santo Antonio foram criadas para acabar com as festas pagãs, no mês de junho as pessoas faziam festas para agradecer a um deus pagão pela colheita, e era uma festa muito enraizada na cultura popular, então a Igreja Católica criou a Festa Junina para as pessoas se afastarem deste deus pagão e homenagearem três dos mais famosos santos católicos, Pedro, o apóstolo que recebeu a primazia de Cristo, João, que anunciou Cristo e Antonio, que foi um dos melhores pregadores da palavra em Pádua, na Itália.
    Natal: foi criada a festa do Natal para exterminar uma festa que os romanos faziam para o deus-Sol, com o tempo o povo esqueceu do deus-Sol e só festejava o nascimento de Jesus, a Igreja Católica sabe que não é 25 de dezembro que Jesus nasceu, foi somente um método para combater o paganismo e a idolatria que havia em Roma.
    Então, antes de criticar, leiam os livros de história, enciclopédias, e não leiam livros de fanáticos que distorcem os fatos para atacar esta ou aquela igreja.
    Paz e Bem
    Airton

    ps. visitem meu blog e me ajudem a espalhar a verdade para as pessoas, mas não meias verdade, somente a verdade completa.

  11. Sobre os Deuses Africanos:

    A história de associar as entidades africanas aos santos católicos foi uma estratégia dos freqüentadores dos terreiros de umbanda para poderem exercer sua religião sem que a polícia os reprimisse, pois com a forte presença da igreja católica na época, toda manifestação não cristã era reprimida pelo governo.
    E também um método usado para aproximar pessoas não esclarecidas dos rituais espiritistas por eles propagados.
    Então não se trata de uma “invenção” da igreja, e sim uma invenção dos anti-cristãos afim de levar as pessoas a perdição.

  12. Texto Para memorizar: “E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo de Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.” 2 Co 6.16

    Estamos numa época do ano em que acontecem, como em todos os anos, as ditas festas juninas, que apesar do nome acontecem também no mês de julho. Festas estas consideradas como folclóricas, mas que tem as suas raízes na idolatria. Vejamos: o Apóstolo João e o Apóstolo Pedro foram homens que serviram fielmente ao Senhor, mas eram homens comuns como nós que nasceram, cresceram, trabalharam, envelheceram e morreram (João de morte natural e Pedro foi crucificado de cabeça para baixo), mas nenhum deles ressuscitou como Jesus. Se não ressuscitaram estão mortos aguardando a volta do Senhor que virá buscar a Sua Igreja. Veja 1 Tessalonicenses 3: 16-17 que diz: “Pois o mesmo Senhor descerá do Céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor”.

    Ora, se festejarmos ou participarmos destes eventos, até mesmo simplesmente com a nossa presença, estamos sendo participantes de festa de ídolos, o que é contrário à Palavra de Deus que diz em Êxodo 20: 4-5 “Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás, pois Eu, sou o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a maldade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam”. Isto é maldição. Em Atos 15: 20 Lucas diz que devemos nos abster das contaminações dos ídolos. Em 1 Coríntios 8: 1-13, o Apóstolo Paulo fala que “quanto ao comer das coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há outro Deus, senão um só”, no versículo 7 deste capítulo o Apóstolo diz que a nossa consciência poderá ficar contaminada.

    Também baseado na Palavra de Deus, tenho a considerar que qualquer festividade ou homenagem de caráter religioso a alguém que não seja o Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo é idolatria. E quando louvamos, buscamos, veneramos, idolatramos ou consultamos a alguém morto, estamos praticando a necromancia (culto aos mortos) o que é abominação ao Senhor, baseado no capítulo 18 de Deuteronômio.

    No Salmo 119: 11 o salmista diz: “Escondi a Tua Palavra do meu coração, para não pecar contra Ti”. E baseado nesta Palavra orientamos aos nossos discípulos que se abstenham de participar, organizar, freqüentar estas festas, pois será laço para sua vida espiritual.

    Oriente também aos seus filhos e discípulos a não participarem de danças, quadrilhas e não comerem as comidas, não vender rifas. Ao participar estarão firmando uma aliança com os chamados padroeiros.

    “Filhinhos guardai-vos dos ídolos. Amém.” 1 João 5.21

    Abaixo a transcrição de texto retirado do site da Uol, o que demonstra que não temos parte nestas ditas festas folclóricas, que na verdade são rituais pagãos. A nossa orientação é que não participem, não permita que seus filhos participem, que vendam rifas e comam comidas típicas (são comidas consagradas a ídolos – At 15.29). A idolatria é abominação diante de Deus – Ap 21.8.

    “A tradição de celebrar o mês de junho é bem velha. Há mais de dois mil anos, os povos antigos da Europa já festejavam nesta época do ano o início das colheitas. Fogueiras, danças e muita comida sempre fizeram parte destes rituais pagãos.

    No Brasil, a data é celebrada desde 1583. O costume foi trazido para cá pelos portugueses e espanhóis, ainda como uma forma de agradecer pelas colheitas, mas também como uma maneira de homenagear os santos do mês de junho. O Dia de Santo Antônio, 13 de junho, costuma marcar o início dos festejos. Também são homenageados São João, no dia 24/6, e São Pedro, no dia 29/6.

    Aos poucos, outros elementos foram sendo introduzidos nas festas juninas. A quadrilha, por exemplo, chegou ao Brasil no século 19, trazida pela corte portuguesa. O costume de acender uma fogueira, por sua vez, vem de uma lenda: Santa Isabel, grávida de São João, era prima de Maria, mãe de Jesus. Ela estava morando nas montanhas e, para poder avisar Maria quando seu filho nascesse, combinou de acender uma fogueira. Desde então, a prática virou costume e é realizada no dia 23 de junho.

    Os fogos e as biribinhas também têm sua razão de ser: eles são utilizados para espantar o mau-olhado. Os balões -que são muito legais de fazer, mas que não se deve soltar, para evitar queimadas e acidentes- surgiram com o intuito de enviar mensagens a São João.

    Atualmente, cada região do país possui seus próprios costumes. No Nordeste, por exemplo, festa junina é sinônimo de forró. Já no Sul do país, no lugar de roupas caipiras as pessoas usam trajes típicos, com direito a bombacha e chimarrão”

  13. postor paz e graça.

    Gostei muito de suas informações, sou monitora de crianças em um projeto. E tenho muitas dificuldade de passar por esse periodo do ano onde na escola muitas professora mesmo sendo evagelica não discorda de ensinar as festas juninas como cultura. por favor me der uma palavra para que eu me sinta mas segura espiritualmente sem tirar os olhos do alvo que é Jesus.

  14. ola galera como esta vcs,nos cristao nao comemoramos estes tipos de feriado,so comemoramos o dia que jesus morreu,lucas 22;19,20 1corintios11;25,26 essa e a declaracao de jesus somente o dia que ele morreu.ate o nosso aniversario nao podemos comemorar,porq so teve dois aniversario que deus dexou claro,foi de pilatos quando ele ofereceu a cabeca joao batista,e do padeiro que foi morto.sao esse aniversario que a biblia mostrou..nao comemora esse tipos de coisa obrigado todos alguem estiver inter a saber mais coisa me procura estou pronto pra responder todos atraves da nossa maravilhosa e conselheira biblia..zielmartins@hotmail.com

  15. Prezados Irmaos,

    Gostei da mensagem e tenho dúvidas em relação ao Halloween, vivo nos EUA e aqui as pessoas comemoram esse feriado como um dos mais importantes do calendário deles. Eu gostaria de ler um estudo a respeito disso, com referencias biblicas nos mostrando que esse feriado não é para ser celebrado por cristãos.
    Seria uma excelente ideia de criar um estudo biblico nesse tema.
    Que Deus abençoe a voces.

  16. Bom dia Pastor!
    Estou com uma dúvida muito grande: sou professora de educação infantil, vou lecionar pela primeira vez e gostaria de saber como devo proceder diante do calendário escolar, já que prevê o ensino da festa junina e do Natal.
    Jamais quero me corromper e sei que posso além de tudo transmitir algo que venha a abrir os olhos das pessoas, mas como? Me ajude por favor.

  17. gente o mundo estar perdido eu moro aqui na grecia e hoje eles celebrao a libertacao gregas dos turcos .e falao tambem que hoje foi o dia que o anjo gabriel anuncio para maria que ela estava gravida do filho de deus . dai jesus nasce 25 de dezembro ve se pode uma coisas desas?

  18. Primeiro que druida não cultuava Baal, pois este é do oriente médio e não da europa. Segundo que não tinha fogos de artifício, porque estes são de origem chinesa, então, naquela época só tinha fogos na china. Terceiro que tem origem no ritual de Beltane de fertilidade da terra, onde se realizava o casamento sagrado do sol com a terra e se acendiam fogueiras, mas esse ritual era costume ser realizado em maio, mas foi sendo empurrado pra junho.

  19. A própria crença em Jesus como filho de Deus e tudo isso que vcs dizem é idolatria. No Judaísmo, primeira religião monoteísta, de onde vem o Cristianismo, adorar algo que não é Deus é idolatria. Como Jesus não é Deus, é configurada como tal. É por isso que nós judeus não adoramos a Jesus e ainda aguardamos o Messias. Vale lembrar que praticamente todas as comemorações tem origens pagãs, inclusive o Natal.

  20. a paz a todos,fico feliz em saber que o povo de Deus a cada dia busca conhecimento e esclarecimento para poder se defender de todo tipo de heresia que vem sendo propagada séculos passados para tirar os servos do Senhor do real objetivo que é adorar ao único e verdadeiro Deus.

  21. Você começou muito bem seu artigo mas depois entrou por uma vertente sem nexo. A igreja católica não cultua falsos deuses, e não há idolatria como você fez parecer. Se estudasse um pouco de história do Brasil saberia o porquê de alguns orixás serem confundidos com alguns dos santos da igreja católica.Infelizmente é mais um protestante proselitista e fundamentalista, sem se preocupar de fato com a salvaçao das almas.

    • Claro, a história do Brasil mostra o que os malditos jesuitas fizeram com os povos indígenas. E de como apoiaram a escravidão por acharem que negros não tinham alma. Nem um pouco proselitista ou fundamentalista, não é mesmo?

      • Pois é senhor Elder mas graças aos “malditos jesuitas” de quem o senhor fala milhares de indios foram poupados da morte e escravidão por parte dos portugueses.

        Se puder um dia veja o filme “A Missão ” é um pouco romanceado,contudo, não se afasta da verddade que os jesuitas tentaram impedir o exterminio e escravidão dos indios.Caso contrario, eles não teriam sido expulsos de SP pelos bandeirantes.

        O senhor com certeza é “evangelico” pra falar assim de um modo tão leviano e arrogante(embora eu saiba que muitos evangelicos são humildes e estudaram o suficiente pra não falar esta tolice que o senhor repete).
        Hoje no Brasil mais de 16 milhoes de pessoas são descendentes diretas de indios.Nos EUA colonizados por protestantes a grande maioria dos indiosa foi morta impiedosamente pelos mesmos puritanos que como vc se achavam tão melhores que os “malditos Jesuitas”. Aqui vc vê sobretudo no Norte o resultado da miscigenação entre brancos e indios.Vá lá nos EUA, raramente tivemos misturas,os protestantes consideravam os nativos sub-raça(isto é bem cristão não é…

        Pena que os indios de lá não tiveram padres catolicos que lutassem por seus direitos basicos.Já no ano de 1537 o papa Paulo III reconheceu publicamente que os indios eram seres humanos e pediu que os monarcas catolicos os tratassem como seus suditos com os mesmos direitos e deveres dos brancos.

        No meio evangelico bem poucas seitas como a quaker buscaram viver em paz com os indios.Na maioria das vezes eles simplesmente os matavam como feras selvagens.

  22. Acredito que as pessoas devem ter cuidado para não caírem num fanatismo. As festas juninas já se tornaram folclóricas sim e nem todas as pessoas que vão estão pesando em adorar santos. Se eu vou olhar uma quadrilha, por exemplo, estou idolatrando? O que importa não é o meu coração que é sondado por Deus e que sabe minhas intenções e sentimentos? E o Natal! Genteeee por favor! Que bobagem.
    Será que o Senhor fica feliz em ver o seu povo cheio de nóias na cabeça?

  23. Alexandre irmao protestante num tem nada haver vc dizer que o natal é uma festa pagã ,eu discordo totalmente de vc e também nao se sabe realmente o dia em que Jesus nasceu, a festa o que o torna ela pagã é o modo em que se comemora. Nós católicos sabemos que Jesus naceu por isso o comemoramos em uma data inspirada pela igreja e passamos a noite de natal em vigilia ao menino Jesus. Só p vcs protestante não esquecerem a igreja tem como fundador o proprio Jesus e tem mais de 2000 anos. paz de Jesus e anor de Maria

  24. olá queridos irmãos!… vocês já viram, um alcólatra dizer que é alcólatra? já viram,um drogado dizer que é viciado? já viram,um mentiroso dizer que é mentiroso? eu tambem não. haa!!!. tambem nunca vi um “IDOLATRA”dizer que é idolatra.

  25. Passei minha vida ouvindo varios tipos de igrejas ditas evangelicas propagando que a Igreja Catolica não é cristã e foi fundada pelo imperador Constantino I em 312 dC ano em que ele tornou o Catolicismo religião oficial do Imperio.
    A primeira mentira a destacar é que em 312 ele apenas concedeu tolerancia ao culto cristão.Somente depois de 380 dC é que o Cristianismo tornou-se a Fé Oficial com o Imperador Teodosio I e mesmo neste caso sabemos que os cultos pagãos sobreviveram em varias partes do Imperio até o sec VI.

    Bom vou lhes enviar trechos de documentos escritos por autores crstãos da epoca contemporrânea e anterior a vida de Constantino.Pode até ser que isto abra seus olhos ou,pelo menos, o senhor perceba que emite julgamentos equivocados a respeito da Igreja Catolica

    Alegam os nossos irmãos Protestantes: “Os Católicos praticam a idolatria, fazendo e adorando imagens, o que Deus proíbe na bíblia, dizendo:

    “Ex 20, 4: “Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra.”

    Comentário:

    Ora, nossos irmãos cometem um equívoco na interpretação da palavra de Deus, quando dizem que Deus teria proibido fazer imagens, pois como poderia Deus ter proibido fazer imagens em um capítulo de um livro da bíblia, e logo a frente no mesmo livro e em outros livros ter mandado fazer, várias vezes, o que teria proibido “terminantemente” fazer, isto é, imagens, vejamos:

    Ex 25, 18-20: “Farás dois querubins de ouro, de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório; faz-me um dos querubins numa extremidade e o outro na outra; farás os querubins formando um só corpo com o propiciatório, nas duas extremidades. os querubins terão as asas estendidas para cima e protegerão o propiciatório com suas asas, um voltado para o outro. as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório.”;

    Nm 21, 8-9: “E Iahweh respondeu-lhe: faz-me uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá. Moisés, portanto, fez uma serpente de bronze e a colocou em uma haste; se alguém era mordido por uma serpente, contemplava a serpente de bronze e vivia.”

    I Rs 6, 23-35: “No debir, ele fez dois querubins de oliveira selvagem…, mandou esculpir figuras de querubins, palmas e flores. Cobriu de ouro o pavimento do templo, no interior e no exterior…”;

    I Rs 7, 29: “Sobre as molduras que estavam entre as travessas havia leões, touros e querubins…”.

    Perguntamos:

    Seria Deus incoerente proibindo aos homens de fazer imagens e logo depois, por mais de uma vez, mandando fazer várias imagens? Teria Deus se esquecido de ter proibido o povo de fazer imagens?

    Respondemos:

    Não… O que ocorre é um erro de entendimento da palavra de Deus por parte dos nossos irmãos Protestantes, ocasionado pela leitura isolada do versículo 4 do capítulo 20, do livro do Êxodo, não levando em conta o restante da bíblia. Vejamos o verdadeiro sentido bíblico desta proibição, ou seja, qual a intenção de Deus:

    Ex 20, 1-6: “Deus pronunciou todas estas palavras dizendo: eu sou Iahweh teu Deus, que te fez sair da terra do Egito, da casa da escravidão. Não terás outros Deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra. Não te prostrarás diante desses Deuses e não os servirás, porque eu, Iahweh teu Deus, sou um Deus ciumento, que puno a iniqüidade dos pais sobre os filhos até a terceira e quarta geração dos que me odeiam, mas que também ajo com amor até a milésima geração para aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.”

    Comentário:

    O que Deus proibiu não foi simplesmente fazer ou construir imagens, mas sim fazer ou construir imagens e adorá-las como se fossem Deus!

    Ex 34, 14: “Não adorarás outro Deus…”

    Ex 34, 17: “Não farás para ti `Deuses` de metal fundido.”

    Cabe aqui um esclarecimento para melhor compreensão: No antigo testamento, cada povo tinha o seu `Deus` e o representava através de uma imagem que faziam, imaginando, isto é, inventando, criando a sua forma. por isso , naquele tempo, se tinha a crença de que o povo que tivesse o `Deus` mais poderoso, venceria a batalha. O povo de Israel , quando foi tirado do Egito por Deus, corria o risco de incorrer no mesmo erro, isto é, `criar` uma imagem de `Deus` e adorá-la (a imagem). porém o povo de Israel não precisava e não devia fazer isto, pois o Deus verdadeiro estava com eles e mais do que isso, combatia por eles e os guiava. mas mesmo assim, alertados e proibidos para não fazerem isto, incorreram nesta falta grave, vejamos:

    Ex 32, 1-5: “Quando o povo viu que Moisés tardava em descer da montanha, congregou-se em torno de Aarão e lhe disse: `Vamos, faz-nos um `Deus` que vá à nossa frente, porque a esse Moisés, a esse homem que nos fez subir da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.` Aarão respondeu-lhes: `Tirai os brincos de ouro das orelhas de vossas mulheres, de vossos filhos e filhas, e trazei-mos`. Então todo o povo tirou os brincos e os trouxeram a Aarão. este recebeu o ouro das suas mãos , o fez fundir em um molde e fabricou com ele uma estátua de bezerro. então exclamaram: `este é o teu `Deus`, ó Israel, o que te fez subir da terra do Egito.` quando Aarão viu isso, edificou um altar diante da estátua e fez esta proclamação: `Amanhã será festa para Iahweh”.

    Vejamos agora exemplos de “deuses” dos povos estrangeiros:

    I Sm 5, 1-4: “Assim que os filisteus se apossaram da arca de Deus, levaram-na de Ebenezer a Azoto. os filisteus pegaram a arca de Deus e a introduziram no templo de Dagon e a depositaram ao lado de Dagon. Quando os azotitas se levantaram na manhã do dia seguinte e vieram ao templo de Dagon, eis que Dagon estava caído, com o rosto em terra, diante da arca de Iahweh. tomaram Dagon e o puseram novamente em seu lugar. mas quando se levantaram muito cedo na manhã seguinte, eis que Dagon estava caído com o rosto no chão diante da arca de Iahweh, e a cabeça de Dagon e as duas mãos, cortadas jaziam à entrada. só o tronco de Dagon restava no seu lugar.”;

    At 17, 16.22-23: “Enquanto os esperava em Atenas, seu espírito, inflamava-se dentro dele, ao ver cheia de ídolos a cidade. De pé, então no meio do Areópago, Paulo falou: Cidadãos atenienses! vejo que, sob todos os aspectos, sois os mais religiosos dos homens. Pois, percorrendo a vossa cidade e observando os vossos monumentos sagrados, encontrei até um altar com a inscrição : `ao Deus desconhecido`, ora bem, o que adorais sem conhecer, isto venho eu anunciar-vos.”

    Comentário:

    Nos séculos VIII/IX desencadeou-se na igreja a disputa em torno do uso das imagens ou a luta Iconoclasta, como ficou conhecida. por influxo do Judaísmo, do Islamismo, de seitas e de antigas heresias cristológicas, muitos cristãos do oriente negaram a legitimidade do culto das imagens. Os imperadores bizantinos tomaram parte na controvérsia mais por motivos políticos do que por razões religiosas. Desencadeada sob o imperador leão isáurico (717-741), a disputa foi levada ao concílio de Nicéia II (787), que , na base das explanações de grandes teólogos como S. João Damasceno (+ 749) , reafirmou a validade do culto de veneração (não adoração) tributado às imagens. Com efeito, o Concílio distinguiu entre Latréia (adoração), devida somente à Deus, e Proskýnesis (veneração), tributável aos santos e também às imagens sagradas na medida em que estas representam os santos ou o próprio Senhor; o culto às imagens é portanto , relativo; só se explica na medida em que é oferecido indiretamente àqueles que as imagens representam. assim se pronunciaram os bispos no Concílio de Nicéia II: “…quanto mais os fiéis contemplarem essas representações, mais serão levados a recordar-se dos modelos originais, a se voltar para eles, a lhes testemunhar… Uma veneração respeitosa sem que isto seja adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé, a Deus”.

    Vejamos o que a bíblia nos fala a respeito destas decisões tomadas pela igreja de Deus (sempre iluminada e conduzida pelo Espírito Santo de Deus):

    At 16, 4-5: “Ao passarem pelas cidades, transmitiam-lhes, para que as observassem, as decisões sancionadas pelos apóstolos e anciãos de Jerusalém. assim as Igrejas eram confirmadas na fé e cresciam em número, de dia para dia.”

    Pergunta-se: Quem são os legítimos sucessores dos Apóstolos?

    Respondemos: Os Bispos consagrados na única Igreja fundada por Jesus Cristo, nosso Senhor e salvador, a Igreja Católica e Apostólica, confiada a Pedro que foi o primeiro Bispo de Roma!

    Para concluirmos esta palestra, gostaríamos de citar e lembrar aos católicos e, principalmente aos nossos irmãos separados, as seguintes citações bíblicas:

    1) Ef 4, 25-27: “Por isso abandonai a mentira e falai a verdade cada um ao seu próximo, porque somos membros uns dos outros. Irai-vos, mas não pequeis: não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo.”;

    2) I Pd 1, 15-16: “Antes, como é Santo aquele que vos chamou, tornai-vos também vós santos em todo o vosso comportamento, porque está escrito: sede santos, porque Eu sou Santo.”

    Alegam os nossos irmãos Protestantes: “Os Católicos praticam a idolatria, fazendo e adorando imagens, o que Deus proíbe na bíblia, dizendo:

    “Ex 20, 4: “Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra.”

    Comentário:

    Ora, nossos irmãos cometem um equívoco na interpretação da palavra de Deus, quando dizem que Deus teria proibido fazer imagens, pois como poderia Deus ter proibido fazer imagens em um capítulo de um livro da bíblia, e logo a frente no mesmo livro e em outros livros ter mandado fazer, várias vezes, o que teria proibido “terminantemente” fazer, isto é, imagens, vejamos:

    Ex 25, 18-20: “Farás dois querubins de ouro, de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório; faz-me um dos querubins numa extremidade e o outro na outra; farás os querubins formando um só corpo com o propiciatório, nas duas extremidades. os querubins terão as asas estendidas para cima e protegerão o propiciatório com suas asas, um voltado para o outro. as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório.”;

    Nm 21, 8-9: “E Iahweh respondeu-lhe: faz-me uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá. Moisés, portanto, fez uma serpente de bronze e a colocou em uma haste; se alguém era mordido por uma serpente, contemplava a serpente de bronze e vivia.”

    I Rs 6, 23-35: “No debir, ele fez dois querubins de oliveira selvagem…, mandou esculpir figuras de querubins, palmas e flores. Cobriu de ouro o pavimento do templo, no interior e no exterior…”;

    I Rs 7, 29: “Sobre as molduras que estavam entre as travessas havia leões, touros e querubins…”.

    Perguntamos:

    Seria Deus incoerente proibindo aos homens de fazer imagens e logo depois, por mais de uma vez, mandando fazer várias imagens? Teria Deus se esquecido de ter proibido o povo de fazer imagens?

    Respondemos:

    Não… O que ocorre é um erro de entendimento da palavra de Deus por parte dos nossos irmãos Protestantes, ocasionado pela leitura isolada do versículo 4 do capítulo 20, do livro do Êxodo, não levando em conta o restante da bíblia. Vejamos o verdadeiro sentido bíblico desta proibição, ou seja, qual a intenção de Deus:

    Ex 20, 1-6: “Deus pronunciou todas estas palavras dizendo: eu sou Iahweh teu Deus, que te fez sair da terra do Egito, da casa da escravidão. Não terás outros Deuses diante de mim. Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas que estão debaixo da terra. Não te prostrarás diante desses Deuses e não os servirás, porque eu, Iahweh teu Deus, sou um Deus ciumento, que puno a iniqüidade dos pais sobre os filhos até a terceira e quarta geração dos que me odeiam, mas que também ajo com amor até a milésima geração para aqueles que me amam e guardam os meus mandamentos.”

    Comentário:

    O que Deus proibiu não foi simplesmente fazer ou construir imagens, mas sim fazer ou construir imagens e adorá-las como se fossem Deus!

    Ex 34, 14: “Não adorarás outro Deus…”

    Ex 34, 17: “Não farás para ti `Deuses` de metal fundido.”

    Cabe aqui um esclarecimento para melhor compreensão: No antigo testamento, cada povo tinha o seu `Deus` e o representava através de uma imagem que faziam, imaginando, isto é, inventando, criando a sua forma. por isso , naquele tempo, se tinha a crença de que o povo que tivesse o `Deus` mais poderoso, venceria a batalha. O povo de Israel , quando foi tirado do Egito por Deus, corria o risco de incorrer no mesmo erro, isto é, `criar` uma imagem de `Deus` e adorá-la (a imagem). porém o povo de Israel não precisava e não devia fazer isto, pois o Deus verdadeiro estava com eles e mais do que isso, combatia por eles e os guiava. mas mesmo assim, alertados e proibidos para não fazerem isto, incorreram nesta falta grave, vejamos:

    Ex 32, 1-5: “Quando o povo viu que Moisés tardava em descer da montanha, congregou-se em torno de Aarão e lhe disse: `Vamos, faz-nos um `Deus` que vá à nossa frente, porque a esse Moisés, a esse homem que nos fez subir da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.` Aarão respondeu-lhes: `Tirai os brincos de ouro das orelhas de vossas mulheres, de vossos filhos e filhas, e trazei-mos`. Então todo o povo tirou os brincos e os trouxeram a Aarão. este recebeu o ouro das suas mãos , o fez fundir em um molde e fabricou com ele uma estátua de bezerro. então exclamaram: `este é o teu `Deus`, ó Israel, o que te fez subir da terra do Egito.` quando Aarão viu isso, edificou um altar diante da estátua e fez esta proclamação: `Amanhã será festa para Iahweh”.

    Vejamos agora exemplos de “deuses” dos povos estrangeiros:

    I Sm 5, 1-4: “Assim que os filisteus se apossaram da arca de Deus, levaram-na de Ebenezer a Azoto. os filisteus pegaram a arca de Deus e a introduziram no templo de Dagon e a depositaram ao lado de Dagon. Quando os azotitas se levantaram na manhã do dia seguinte e vieram ao templo de Dagon, eis que Dagon estava caído, com o rosto em terra, diante da arca de Iahweh. tomaram Dagon e o puseram novamente em seu lugar. mas quando se levantaram muito cedo na manhã seguinte, eis que Dagon estava caído com o rosto no chão diante da arca de Iahweh, e a cabeça de Dagon e as duas mãos, cortadas jaziam à entrada. só o tronco de Dagon restava no seu lugar.”;

    At 17, 16.22-23: “Enquanto os esperava em Atenas, seu espírito, inflamava-se dentro dele, ao ver cheia de ídolos a cidade. De pé, então no meio do Areópago, Paulo falou: Cidadãos atenienses! vejo que, sob todos os aspectos, sois os mais religiosos dos homens. Pois, percorrendo a vossa cidade e observando os vossos monumentos sagrados, encontrei até um altar com a inscrição : `ao Deus desconhecido`, ora bem, o que adorais sem conhecer, isto venho eu anunciar-vos.”

    Comentário:

    Nos séculos VIII/IX desencadeou-se na igreja a disputa em torno do uso das imagens ou a luta Iconoclasta, como ficou conhecida. por influxo do Judaísmo, do Islamismo, de seitas e de antigas heresias cristológicas, muitos cristãos do oriente negaram a legitimidade do culto das imagens. Os imperadores bizantinos tomaram parte na controvérsia mais por motivos políticos do que por razões religiosas. Desencadeada sob o imperador leão isáurico (717-741), a disputa foi levada ao concílio de Nicéia II (787), que , na base das explanações de grandes teólogos como S. João Damasceno (+ 749) , reafirmou a validade do culto de veneração (não adoração) tributado às imagens. Com efeito, o Concílio distinguiu entre Latréia (adoração), devida somente à Deus, e Proskýnesis (veneração), tributável aos santos e também às imagens sagradas na medida em que estas representam os santos ou o próprio Senhor; o culto às imagens é portanto , relativo; só se explica na medida em que é oferecido indiretamente àqueles que as imagens representam. assim se pronunciaram os bispos no Concílio de Nicéia II: “…quanto mais os fiéis contemplarem essas representações, mais serão levados a recordar-se dos modelos originais, a se voltar para eles, a lhes testemunhar… Uma veneração respeitosa sem que isto seja adoração, pois esta só convém, segundo a nossa fé, a Deus”.

    Vejamos o que a bíblia nos fala a respeito destas decisões tomadas pela igreja de Deus (sempre iluminada e conduzida pelo Espírito Santo de Deus):

    At 16, 4-5: “Ao passarem pelas cidades, transmitiam-lhes, para que as observassem, as decisões sancionadas pelos apóstolos e anciãos de Jerusalém. assim as Igrejas eram confirmadas na fé e cresciam em número, de dia para dia.”

    Pergunta-se: Quem são os legítimos sucessores dos Apóstolos?

    Respondemos: Os Bispos consagrados na única Igreja fundada por Jesus Cristo, nosso Senhor e salvador, a Igreja Católica e Apostólica, confiada a Pedro que foi o primeiro Bispo de Roma!

    Para concluirmos esta palestra, gostaríamos de citar e lembrar aos católicos e, principalmente aos nossos irmãos separados, as seguintes citações bíblicas:

    1) Ef 4, 25-27: “Por isso abandonai a mentira e falai a verdade cada um ao seu próximo, porque somos membros uns dos outros. Irai-vos, mas não pequeis: não se ponha o sol sobre a vossa ira, nem deis lugar ao diabo.”;

    2) I Pd 1, 15-16: “Antes, como é Santo aquele que vos chamou, tornai-vos também vós santos
    em todo o vosso comportamento, porque está escrito: sede santos, porque Eu sou Santo.”

    Ainda sobre a guarda de reliquias dos martires e servos de Cristo:

    “Vendo a rixa suscitada pelos judeus, o centurião colocou o corpo no meio e o fez queimar, como era costume. Desse modo, pudemos mais tarde recolher seus ossos [de Policarpo], mais preciosos do que pedras preciosas e mais valiosos do que o ouro, para colocá-lo em lugar conveniente. Quando possível, é aí que o Senhor nos permitirá reunir-nos, na alegria e contentamento, para celebrar o aniversário de seu martírio, em memória daqueles que combateram antes de nós, e para exercitar e preparar aqueles que deverão combater no futuro.” (Martírio de Policarpo 18, +- 160 D.C)

    Como pode ler o testo é de 160 D C,assim bem antes de Constantino e Policarpo era bispo de Esmirna e recebeu a fé cristã pela voz do apostolo Jõao.

    “Ignoravam eles que não poderíamos jamais abandonar Cristo, que sofreu pela salvação de todos aqueles que são salvos no mundo, como inocente em favor dos pecadores, nem prestamos culto a outro. Nós o adoramos porque é o Filho de Deus. Quanto aos mártires, nós os amamos justamente como discípulos e imitadores do Senhor, por causa da incomparável devoção que tinham para com seu rei e mestre. Pudéssemos nós também ser seus companheiros e condiscípulos!” (Martírio de Policarpo 17:2, +- 160 D.C).

  26. AMADOS IRMÃOS E AMIGOS , FUI ENSINADA DESTE DE PEQUENA A LUZ DA PALAVRA DE DEUS SOBRE O CERTO E ERRADO E UMA DELAS DE ERRADA FOI A FESTA JUNINA. NÃO DANÇAVA NO PERIODO ESCOLAR MAS QDO FUI TRABALHAR EM UMA ESCOLA TIVE QUE ENSINAR OS PEQUENINOS QUE DAVA AULA E ISTO CORTOU MEU CORAÇÃO . MAS A PALAVRA DIZ : QUE TEMOS QUE OBEDECER AOS NOSSOS LIDERES PATRÕES GOVERNANTES E OUTROS. ENTÃO ! HOJE NÃO DOU AULA MAIS E ESTOU LIVRE DESTA SITUAÇÃO CONSTRANGEDORA E CONTINUO COM O MESMO PENSAMENTO POIS MINHA FILHA TBEM NUNCA DANÇOU. JESUS ESTA VOLTANDO IMAGINA SE FOR BEM NESTE DIA O QTO DE CRISTÃOS NÃO IRIAM SE ENVERGONHAR ! PRA. ADRIANA – IGREJA EVANGELICA MINISTERIO DE ORAÇÃO PARA TODOS OS POVOS – APDA DE GOIANIA – GOIAS.

  27. Prezado Airton. Esta foi a melhor resposta e melhor colocação que li até agora. O que acontece no mundo atual de hoje é justamente o que você falou: faltam informação e pesquisa do povo de Deus. A Bíblia é sem dúvida, uma fonte de conhecimento, mas, basear-me unicamente na Bíblia Sagrada, sem conhecimento da história, geografia, geologia e muitas outras, é falar o que não se deve. Ora, quem aqui não tem algum irmão vizinho, amigo ou colega de trabalho que seja pagão, mas que, lhe conhece, é seu amigo, é prestativo, lhe ajuda em tudo e que, num certo dia de aniversário lhe convida para ir até sua casa comer um bolo, cachorro-quente, refrigerantes e doces?!… e aí!? você não irá comer na casa dele, ou no seu ambiente de trabalho, pois ele é pagão e tem “seus deuses”?!… Pois se não devemos nos compactuar com os pagãos e seus costumes, então também não podemos participar absolutamente de nenhum outro encontro (o que é impossível) onde estejam permanecidas nos ambientes, pessoas pagãs, como: festas de aniversário, casamento, confraternizações de trabalho, que sempre tem pagãos, enfim, uma infinidade de festas populares. Você citou muito bem sobre o Natal. O Natal era uma festa pagã, e muito pagã, celebrada para o deus-sol RÁ. Muita gente que leu a Bíblia do início ao fim não sabe disso. Por quê? Porque se baseia somente no que lê na Bíblia. Não conhece e não pesquisa a história como verdadeiramente ela o é fato. Ai está o maior pecado do crente: conhece muito bem a palavra mas não a história que gerou mudanças em muitas coisas e precisa estar alinhado ao conhecimento Bíblico. Podemos dizer que as festas juninas hoje são puramente a harmonia dos cristãos em celebrar o fim de um cultura pagã pelos cristãos, ou seja, é uma vitória da própria Igreja. Muita gente “conhecedora da palavra” e sem conhecimento histórico, vem deturpando, desviando a verdadeira história por pura falta de conhecimento. Ou seja, o crente acaba sendo ele mesmo o “pagão da história”.

  28. Coleguinha, sobre idolatria, O SENHOR, CRIADOR DOS CÉUS E DA TERRA mandou seus servos criarem essas imagens, + como vc disse, ñ baniu criar imagens, e sim adoralas, os querubins estavam sendo adorados? Busque novamente essa leitura e q Deus te dê o entendimento, pois não adoravam as imagens q estavam pregadas, e sim adorando Deus! talvez isso mude seu ponto de vista. 🙂

    • E quem te disse que eu (ou qualquer catolico que estuda) adoro alguma imagem?

      Senhor jonatas já desafiei muitos “evangelicos” a encontrarem alguma prova de que nos catolicos adoramos alguem que não seja a Santissima Trindade. Se o senhor encontrar alguma prova disto deixo de ser catolico.

      Mas so aceito se achar esta prova em/no :

      Catecismo da Igreja Catolica(visão catolica sobre a Biblia).
      Concilio Catolico Valido
      Enciclica de algum papa

      Estas são as fontes oficiais da doutrina da Igreja.Se vier com outras não aceito. O senhor é que devia mudar seu ponto de vista que creia-me é bem enviesado e preconceituoso sobre o que é ser catolico.Mas isto não pe culpa sua.A vida toda te ensinaram isto ai é dificil mudar depois de receber tanta informação negativa e manipulada.

        • E quem te disse que é a mesma coisa?

          Deixe-me adivinhar: O DICIONARIO

          Ah que pena Luiz saiba que um dicionario não é um tratado de etimologia que explica a origem e raiz das palavras.

          Ex No dicionario vai ver que a palavra senhor é um pronome de tratamento.Mas vc bem sabe que em sua origem so usavamos Senhor pra designar Deus.Vc ou eu somos idolatras por usar este pronome com alguem no dia a dia?

          Mordomo-na origem era maior senhor da corte dos reis francos>o mais importante abixo do rei.Hoje em dia significa apenas um empregado sofisticado.

          Em sua origem grega adorar era diferente de venerar.E ainda te digo mais mesmo que fossem idênticas o que importa é o significado.Já disse e repito ME PROVE NO CATECISMO CATOLICO QUE ALI ESTA ESCRITO QUE ALGUEM, ALEM DA SANTISSIMA TRINDADE, PODE ME SALVAR.

          Boa sorte ao procurar e tenha muita paciência,jás que, vc so vai achar isto no dia 31 de fevereiro.

          • Leandro,

            Responda para os leitores onde estar MAria aparecida a santa negra padoeira do brasil na biblia??

            e pq o papa beija essa santa e fica um bando de ignorante pagando promessas pra essa santa e o papa não fala nada acerca dessa iddolatria..

            responda isso…rs

  29. Baal era uma divindade adorada pelos babilônicos e outros povos da região do oriente médio e o artigo diz que ele era adorado pelos bretões isso não é veridico.

  30. Pelo que pude notar aqueles que escreveram este estudo leram Ralph Woodrow.Este autor posteriormente desculpou-se com a Igreja Catolica em seu livro: ” A Conexão Babilônia”.

    Ralph continuou evangelico,porem,reviu seus estudos e parou de associar a ICAR ao paganismo.

  31. Ah, se São Pedro soubesse que o dia 29 de junho é reservado a ele! Quando Cornélio o recebeu, prostrando-se aos seus pés e o adorando, ele teve o prazer de levantar Cornélio e dizer: “Eu também sou homem”!(Atos 10.25,26). Se a pessoa se diz apostólica, precisa seguir a doutrina dos apóstolos, e isso, nós, evangélicos, fazemos. Amamos Pedro, João, Maria, etc., enfim, a todos aqueles que aceitaram Jesus como nós e, certamente seus galardões estão reservados naquele grande dia.

  32. a minha opinião como cristão: Jesus disse, aonde estiver teu coração, ai estará seu tesouro, quero lembrar aos irmãos que o diabo,satanás,inimigo das nossas almas ele nunca criou nada, então se ele não criou não pode ser copiado, Deus fez todas as coisas, nos não estamos plageando e copiando nada de nimguem, alias enquanto as fogueiras e festas elas ja existiram em desde os primordios do mundo, sim la tras e so estudar a historia do povo de Deus. a fogueira sempre teve presente na vida daquele povo, dançanvam e comiam em volta dela louvando o senhor e comemorando as festa, que não são poucas, vou lembra-los aqui da festa do purim que estar no livro de Ester, que não fala de Deus em menhum momento e tinham comidas típicas etc…. fazendo alusão ao cotidiano, se for assim, seria ,muito dificil viver neste mundo, teria que tomar muito cuidado, para não idolatrar , esposa filhos filhas, carros, casas, emprego etc, idolatria e dar lugar as coisas abstratas ou não(pensamentos) e coloca-las no lugar de Deus, se eles dedicam festas a santos nos não, pois o nosso coração esta em Jesus.

  33. por favor estudem a vida de José e tirem suas conclusões…peça a Deus discernimento das coisas e ele alegremente te dará, lembre-se o diabo não criou nada, so copiou..

  34. Irmãos, penso que tudo podemos, porém nem tudo nos convém. Todo louvor tem que dado a Deus, o veradadeiro Deus, que criou os céus e a terra. Pergunto? Porque o povo de Deus, não poderia realizar estas festas dedica e adorando o unico e veradadeiro Deus? Toda adoração e louvor não deve ser dedicado a Ele, e porque não tirar a homenagem do deus falso e dar ao Deus verdadeiro, desde que não se utilize de idolatria e outras coisa que a biblia condena. Outra coisa, as musicas tocadas durante as festas, não poderiam ser modificadas as suas letras, e aí, onde estaria o erro???

  35. Até quando os católicos serão considerados “errados”? Até quando os evangélicos serão considerados alienados? Gente, o mundo do jeito que está, com a vida cada vez mais banalizada. E lideres religiosos guerreando entre si?
    Cada um deve sim mostrar o que há de bom em sua religião e não ficar falando sobre o que não conhece. Tem muitos “entendidos” em religião que estão falando demais…
    Alimentos vendidos em festas consagrados aos “santos”? Escola é ambiente de vivência e CONVIVÊNCIA. Aquele que segue os ensinamentos e preceitos de sua fé não vai ser amaldiçoado ou convertido por uma canjica, etc.
    O mal está na cabeça das pessoas e não no que elas comem ou pra quem elas “rezam ou oram”.

    Respeitar sua religião é respeitar a dos outros também. E não é só com católicos e evangélicos. Quer dizer que o povo da África, da Ásia, os hindus e os muçulmanos vivem há milênios acreditando em preceitos “falsos”?

    Para aqueles que são muito radicais cuidado! Seu filho acredita em você hoje. Mas e quando ele descobrir que o mundo é muito grande e que nem tudo aquilo funciona como você disse?

  36. Para os amigos da idolatras.

    PEDRO APÓSTOLO PRÍNCIPE DOS APÓSTOLOS?
    “O nome original de Pedro derivou do hebraico Simeão, resultando Simão, no grego (Atos. 15: 14; II Pedro 1: 1)… nasceu em Betsaida (João 1:44), situada às margens do lago da Galiléia. Durante o ministério de Jesus, Pedro morava em Cafarnaum (Mar. 1: 21, 29).” – Lição da Escola Sabatina, nº 10, ano 96, pág. 3.
    Pedro, em grego, quer dizer petros, isto é: pedacinho de pedra. Era o sobrenome de Simão, filho de Jonas, irmão de André. Pescador profissional da Galiléia (Mat. 4: 18). Obstinação e covardia se mesclavam momentaneamente em seu caráter. Era impulsivo e sempre a primeira pessoa a falar. Foi o único que pediu a Cristo para andar sobre as águas. (Mat. 14. 28). Foi uma das colunas basilares da Igreja Apostólica. Figurava em primeiro lugar na relação feita pelos evangelistas (Mat. 10: 2-4. Mar. 3: 16-19. Luc. 6: 13-16). O cantar do galo despertou sua fé.
    Os mais criteriosos teólogos negam que Pedro tenha vivido 25 anos em Roma e que tenha lá estabelecido qualquer episcopado. Todavia é provável, admitem, que ele tenha passado seus últimos dias lá sofrendo o martírio através de Nero, Imperador Romano.
    Quando Cristo estava formando Seu ministério, chamou também a Pedro:
    São João 1: 41-42
    “Este achou primeiro a seu irmão Simão, e disse- lhe: Achámos o Messias (que traduzido, é o Cristo). E levou-o a Jesus. E, olhando Jesus para ele, disse-lhe: Tu és Simão, filho de Jonas; tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro)”.
    Mais tarde ocorreu a célebre declaração de Pedro, arguído pelo Mestre:

    Mateus 16: 15-19
    “Disse-lhe Ele: E vós, quem dizeis que Eu sou: E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu És o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem aventurado és tu, Simão Barjonas (filho de Jonas), porque to não revelou a carne e o sangue, mas Meu Pai que está nos Céus. Pois também Eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a Minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E Eu te darei as chaves do Reino dos Céus; e tudo o que ligares na Terra será ligado nos Céus, e tudo o que for desligado na Terra será desligado nos Céus.”
    Seria Pedro “esta pedra”? A Pedra que os profetas exaltaram e sobre a qual Jesus estabeleceria Sua igreja? Ouça o que dizem os teólogos:
    “Talvez a melhor evidência de que Cristo não apontou a Pedro como a ‘pedra’ sobre a qual edificaria Sua igreja seja o fato de que nenhum dos que ouviram esta afirmação de Cristo, nem o próprio Pedro assim entendeu Suas palavras, nem durante o tempo em que Cristo esteve na Terra nem posteriormente. Houvesse Cristo feito a Pedro chefe entre os discípulos, depois disto eles não se veriam envolvidos em discussões sobre qual deles seria considerado o maior.” – The Seventh-Day Adventist Bible Commentary, vol. 1, pág. 431.
    Volvamo-nos ao Antigo Testamento:
    Salmo 118: 22
    “A Pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se cabeça de esquina.”
    A pedra angular determinava o esquema e o formato do edifício. Por ocasião da construção do Templo de Salomão, onde foram empregadas 183.300 pessoas durante 46 anos (João 2:20), trouxeram uma pedra enorme para ser empregada na fundação do prédio. Os construtores não acharam lugar para ela e não queriam usá-la. Exposta ao Sol, chuva, ar e tempestade, não apresentou sequer uma fenda. Os construtores submeteram-na à forte prova de pressão; como resistiu decidiram utili-za-la. Colocaram-na no lugar que lhe era designado e viram que se ajustava tão perfeitamente como uma luva. Posteriormente Deus revelou em visão a Isaías que esta Rocha era um símbolo de Cristo. A Escritura confirma:
    Isaías 28:16 – “…uma Pedra, uma Pedra provada, Pedra preciosa de esquina…”
    Isaías 8:14 – “Então Ele… Pedra de tropeço, e de Rocha de escândalo…”
    Mat. 21:42 – “…a Pedra… rejeitaram, essa foi posta por cabeça de ângulo…”
    Atos 4:11 – “Ele é a Pedra … rejeitada….. posta por cabeça de esquina…”
    Rom. 9:33 – “…Sião uma Pedra de tropeço, e uma Rocha de escândalo…”
    (Os judeus achavam um escândalo o Messias morrer na cruz, já que O esperavam para sentar-Se no trono de Davi e dominar o mundo).
    Efésios 2: 20; 11: 22; 5: 23
    “…Jesus Cristo é a principal Pedra de esquina… cabeça da igreja”.

    EM TODA A BÍBLIA JESUS CRISTO É A PEDRA, A ROCHA ETERNA.
    Números 20:11 –“…Moisés levantou a mão, e feriu a Rocha duas vezes…”
    I Coríntios 10:4 –“E beberam… da Pedra espiritual… e a Pedra era Cristo.”
    Deut. 32:4 –“Ele (Jesus) é a Rocha, cuja obra é perfeita…”
    Salmo 18:2 –“O Senhor é a minha Rocha…”
    Salmo 19:14 –“…Senhor, Rocha minha e libertador meu!”
    Salmo 28:1 –“A Ti clamarei, ó Senhor, Rocha minha…”
    Salmo 89:26 –“… a Rocha da minha salvação.”
    Salmo 95:1 –“…a Rocha da nossa salvação.”
    Salmo 144:1 –“Bendito seja o Senhor, minha Rocha…”

    A PEDRA É CRISTO, O PRÓPRIO PEDRO CONFIRMA:
    I Pedro 2: 4
    “…E chegando-vos para Ele (Jesus) – Pedra viva…”
    I Pedro 2: 7-8
    “Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a Pedra principal de esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido. E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, a Pedra que os edificadores reprovaram essa foi a principal da esquina. É uma Pedra de tropeço e Rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra…”

    PAULO, DEFINE A QUESTÃO COM ESTAS PALAVRAS INCISIVAS:
    I Coríntios 3: 11 – “Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.”

    JESUS CRISTO É A PEDRA, ELE AFIRMOU:
    Mateus 21: 43-44 – “ … E quem cair sobre esta Pedra, despedaçar-se-á; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó.”

    SE PEDRO FOSSE O PAPA…
    • Os discípulos não brigariam pela primeira posição entre si (Mat. 23: 8,10; Luc. 9: 46; 22: 24-30).
    • Não seria o apóstolo da Circuncisão (Gál. 2: 8).
    • Como ficaria seu casamento? (Mat. 8: 14. Mar. 1: 30. Luc. 4: 38).
    • Não levaria sua esposa em suas viagens missionárias (I Cor. 9: 5).
    • Não negaria a Jesus (Luc. 22: 57).
    • Não mentiria ao ser identificado como apóstolo (Luc. 22: 58).
    • Não disfarçaria diante da verdade (Luc. 22: 60).
    • Enviaria outros apóstolos para Samaria ao invés de ser enviado (Atos 8: 14).
    • Não se justificaria perante a igreja, por haver batizado Cornélio (Atos 11:1-11).
    • O primeiro Concílio Cristão, ocorrido no ano 52 d.C., seria presidido por ele e não por Tiago (Atos 15: 13,19).
    • A Carta Oficial deste Concílio seria assinada por ele e não foi (Atos 15: 22-23).
    • Paulo não o repreenderia publicamente, sendo “infalível” (Gál. 2:11-14).
    • Estaria na primeira posição e não na segunda, como coluna da igreja (Gál.2: 9).
    • Jesus não repreenderia os discípulos dizendo que quem “quiser ser o primeiro seja vosso servo” (Mat. 20: 20-28).
    • Jesus não diria que quem “quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos” (Mar. 9: 35).
    • Jesus não diria que entre eles quem “quiser ser grande, será vosso serviçal” (Mar. 10: 35-45).
    • Jesus não diria que “aquele que entre vós todos for o menor, esse mesmo é grande” (Luc. 9: 48).
    • Jesus não diria isso: “Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve” (Luc. 22: 26).

    ÚLTIMO DETALHE
    I Pedro 5: 13
    “A vossa coeleita em Babilônia vos saúda…”
    “Os comentaristas em geral, admitem que, com essa expressão, ele se refere a Roma, e não ao insignificante lugarejo que era tudo quanto restava de Babilônia literal…” – The Seventh-Day Adventist Bible Commentary, vol. 7, pág. 113.
    Pedro, sem dúvida, fez um paralelo entre o primeiro e o último Impérios Mundiais. A antiga Babilônia de Nabucodonosor, foi, nos dias de sua glória, um centro de crueldade organizada. Roma, por sua vez, nos dias de Pedro, era uma cópia daquela impiedade babilônica.
    Roma, nesta ocasião, “estava se tornando a opressora do novo Israel”. Nada mais lógico, então, a conotação de Pedro.

    E AS CHAVES? – QUE SERIAM?
    O consagrado pastor Pedro Apolinário, responde:
    “Se as chaves são usadas para abrir e fechar, a figura indica que as chaves do Reino dos Céus, servem para abrir e fechar o Reino dos Céus.
    “O abrir e fechar é expresso no texto por ligar e desligar ou desatar.
    “As chaves, que abrem e fecham a casa de Deus, ligam os homens à igreja, ou dela desligam, são os princípios do evangelho, as condições da salvação, aceitas ou rejeitadas pelos homens. Pedro abriu, com a chave da Palavra de Deus, as portas do Reino dos Céus a três mil pessoas que se converteram (Atos 2: 14-47). Este privilégio não foi apenas concedido a Pedro, mas a todos os discípulos. São Mateus 18: 18.” – Estudos de Passagens com Problemas de Interpretação, págs. 150-151, grifos meus.
    Se você faz parte da Comissão de sua igreja, então está inserido neste contexto. Também você, em assembléia, após a leitura da ATA, ao dar o seu voto para receber um batizando ou excluir um membro da igreja, está exercendo esta orientação de Jesus.
    OBSERVAÇÃO:
    Pedro (grego petros) significa pedra pequena. Grego (petra) significa rocha grande e imóvel. Você não acha que uma pedra pequena é imprópria para a construção da Igreja de Deus? Claro! Jesus fez um trocadilho, referindo-Se a Si mesmo como a Rocha (I. Cor. 3:11;10:4).

    PARA CONCLUIR, RESPONDA CONSIGO MESMO:
    • Se você ofende a Mário, e pede perdão a “Joaquim”; está correto?
    • Se você peca contra Deus, deve pedir perdão a “Antônio” ou a Deus?

    O BATISMO BÍBLICO
    Efésios 4: 5 – “Um só Senhor, uma só fé, um só batismo.”
    I Timóteo 2: 5 – “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os ho- mens, Jesus Cristo homem.”
    O batismo é algo solene, definitivo e marcante na experiência cristã. É emocionante este dia. O Céu fica em festa, e Jesus se alegra, pois o batizando está demonstrando publicamente que aceita o Sacrifício do Calvário para sua vida. Como o batismo é a porta de entrada para a Igreja de Deus, Ele então especificou como deve ser. Quer ver? – Jesus comissionou os discípulos:
    Mateus 28: 19-20
    “Ide, portanto, fazei discípulos… batizando-os em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo…”
    Percebeu? O Senhor Jesus foi quem estabeleceu esta norma para o cristianismo, o batismo bíblico. Depois de batizada a pessoa inicia uma vida nova em comunhão com Cristo, crescendo na Graça e na fé. Eis como surgiu este ritual bíblico:
    Mateus 3: 1-6
    “E naqueles dias apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia. E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos Céus… E eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.”
    Vamos ao Jordão. Águas cristalinas e volumosas. Jesus chegou! Não perguntou qual era a forma de batismo, não questionou porque João batizava as pessoas. Ele entrou nas águas, e foi até onde estava João e pediu que este O batizasse. João batizava com muitas águas. Se o batismo fosse gotinha d’agua na cabeça, Jesus precisaria ir a um rio? Entrar nele?
    É maravilhoso como Jesus viveu para ser nosso exemplo em tudo. Viveu uma vida correta, digna e possível de ser imitada por todos. Não esqueceu de nada. Confirmou que o batismo é bíblico e por imersão. Ouça:
    Marcos 1: 9-10
    “E aconteceu naqueles dias que Jesus tendo ido de Nazaré, da Galiléia, foi batizado por João, no Jordão. E, logo que saiu da água viu os Céus abertos, e o Espírito que como pomba descia sobre Ele.”
    Não há nenhuma dúvida que Cristo foi batizado por imersão, no rio, pois diz o texto que Ele saiu das águas, correto? Aliás, seria até incoerente entrar dentro da água, molhar-se todo e jogar gotas d’agua na cabeça, não acha? Se o batismo fosse por aspersão, Jesus poderia ter ficado tão somente às margens do rio e João Batista também, não é? Pedro também, ensinou:
    Atos 2: 38 –“E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em Nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.”
    A palavra grega usada neste texto é baptizo, que significa imergir, mergulhar, cobrir com água. Esta palavra é exatamente o oposto de aspergir ou derramar água sobre alguém. Portanto, quando Pedro disse ao povo: “Arrependei-vos e cada um de vós seja batizado”, eles entenderam que deviam “arrepender-se e ser submersos”, isto é: serem mergulhados na água. Observe que o batismo é para “lavar” pecados. Só pecadores precisam batizar-se, e por imersão, porque é preciso sepultar nas águas, simbolicamente, os pecados. Ouça aqui:
    Atos 8: 26-39 – “…E mandou parar o carro, e desceram ambos a água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou…”
    Novamente com clareza absoluta se percebe que o batismo na igreja primitiva era por imersão. Não há nenhuma dúvida, os pormenores indicam que o eunuco e Filipe entraram dentro do rio para um batismo por imersão.
    Romanos 6: 3-6
    “Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo, fomos batizados na Sua morte? De sorte que fomos sepultados com Ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós em novidade de vida. Porque, se fomos plantados juntamente com Ele na semelhança de Sua morte, também o seremos na da Sua ressurreição. Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com Ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado.”
    Isto é lindo demais. Altamente significativo. Nunca esqueci o meu batismo. Que experiência marcante na vida de um moço, moça, senhor ou senhora. Ouça :
    “O batismo é uma ordenança evangélica em comemoração da morte, sepultamento e ressurreição de Cristo. No batismo é dado um testemunho público de que o batizando foi crucificado com Cristo, com Ele sepultado e ressurgiu para andar em novidade de vida. Só um batismo pode representar devidamente esses fatos na vida, e esse é a imersão, o modo seguido por Cristo e a igreja primitiva.” – Estudos Bíblicos, pág. 79 – CPB, grifos meus.
    No batismo morre o pecador, e ressuscita uma nova criatura. Isto é: quando as águas cobrem o pecador, isto simboliza a sua morte para a velha vida. Ao levantar-se das águas é como nascer uma nova criatura. Por isso o batismo bíblico jamais pode ser com gotas de água na cabeça. Anote isto:
    “O Concílio de Ravena, em 1311, foi o primeiro concílio que legalizou o batismo por aspersão, deixando a critério do ministro oficiante.
    “Durante mil e trezentos anos o batismo foi geral e regularmente por imersão de uma pessoa na água e só em casos extraordinários por aspersão ou efusão, porém esta última prática era tida como proibida por aqueles que discutiam o assunto.” – Brenner, Demonstración Histórica de la Administración del Bautismo desde Cristo a Nuestros Dias, pág. 306.
    “Podemos demonstrar pelas atas dos Concílios e pelos rituais antigos, que durante mil e trezentos anos o batismo foi administrado por imersão em toda a igreja tanto quanto era possível.” – Bossuet, Bispo de Meaux, Idem, pág. 42. – Citado em Segue-Me

DEIXE UMA RESPOSTA