Home » Destaque, Estudos por VC, Vida Cristã

Aprendendo com a corça

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

Aprendendo com a corça

Uma corça sedenta e exausta caminha pelo deserto. Logo, o animal avista a imagem de um lençol d’água sobre a areia. Começa a correr desesperada ao encontro da única substância que pode matar sua sede.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

A corça é um animal de pequena estatura, arisco e de costume migratório. E uma característica interessante: a corça não suporta o confinamento.

É um animal dotado de olfato privilegiado que lhe possibilita sentir cheiro de água a quilômetros de distância. É capaz ainda de perceber, metros abaixo da superfície, a existência de um lençol de água.

Em regiões desérticas da África e do Oriente Médio, empresas construíram quilômetros de aquedutos sob a superfície terrestre. E as corças sedentas, ao pressentirem a água jorrando pelo interior dos dutos, correm por cima das tubulações na tentativa de encontrarem a nascente, ou então um possível local por onde essas águas pudessem ser alcançadas.

Certo poeta descreveu essa cena da corça farejando água, sob a areia do deserto, do seguinte modo: “Como suspira a corça pelas correntes das águas, assim, por ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, … “ (Salmos 42:1-2).

Note que nesta passagem, Davi faz uma comparação. A sede dele pelo Senhor era comparada ao anseio de uma corça pelas águas. Em se tratando de um homem “segundo o coração o de Deus”, creio que esta comparação pode servir de parâmetro para nossa própria busca.

Mas enfim, como é que a corça suspira e anseia pelas águas?

É com desespero. Gritando, correndo, buscando, farejando. Com sede. Com olfato privilegiado para localizar a fonte certa. Continuamente, todos os dias. Não se permitindo acomodar e fugindo do confinamento.

E nós? Estamos desesperados por Deus? Temos sede de sua presença?
Temos corrido, buscado e nos desesperado por mais dEle em nossas vidas?
Temos buscado na fonte certa, diariamente? Ou temos nos contentado com a mediocridade do nosso “confinamento”?

Cada um de nós pode ter seu próprio “confinamento”. Coisas que nos prendem e nos impedem de sair em busca da água fresca que tanto precisamos. Podem ser pessoas, situações ou até mesmo “pequenos reinos” que construímos para nós mesmos (“meu emprego”, “meu ministério”, “meu evento”, etc).

Precisamos, como a corça, sair e correr. Precisamos de olfato aguçado para ir na fonte certa, que é Cristo. Afinal de contas, existem fontes sem água (II Pedro 2:17), e nuvens sem água (Judas 1:12).

E lembremos das palavras do Mestre: “quem tem sede, venha; e quem quiser, receba de graça a água da vida.” (Apocalipse 22:17)

Que o Senhor Deus tenha misericórdia de nós e nos guie.

Helder Assis
Integrante do Ministério Sacrifício Vivo ( www.sacrificiovivo.com ) e membro da Igreja Evangélica Capela do Calvário
e-mail: [email protected]

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."


PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

3 comentaram, comente você também!

  1. Muito bom esse texto! Temos que ter sede de Deus em nossas vidas.

    Abraço!

  2. verdadeiramente vivemos correndo de um lado para o outro a todo enstante pra qualquer necessidade human mas pra fonte onde tem e jorra a verdadeira FONTE de AGUAS VIVAS colocamos sempre falta de tempo. estou n precisando muito.
    abraços

  3. Alexandra Freitas disse:

    Quero parabenizar o Sr. Helder pela matéria. E também venho deixar uma pequena contribuição.
    Aprendi que a corça anseia desesperadamente por águas para sua sobrevivência. Não para sanar sua sede, mas para escapar dos seus predadores: as onças, jacaré e cobras.
    Ela exala um odor muito forte, facilmente detectável por esses predadores e a água é o que a pode salvar, a mantendo limpa e livre. Acredito que por tudo isso, que a corça possui tamanha agilidade de locomoção e olfato extremamente aguçado para localização de águas.
    O odor é próprio de sua natureza, porém, ela necessita de constantemente livrar-se dele para continuar viva.
    Sobre esses fatos, pode-se fazer uma analogia à vida cristã.
    O cristão precisa constantemente estar aos pés do SENHOR, numa busca constante de livrar-se de sua natureza pecaminosa e exalar o bom perfume de Cristo. Livrar-se do aroma do pecado e viver nova vida.

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 5,002 comentários no Estudos Bíblicos.