Home » Estudos por VC, , Teologia

A Prosperidade dos Bem-aventurados

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook

A Prosperidade dos Bem-aventurados

OBJETIVOS
Saber quais são os fundamentos das bem-aventuranças.
Explicar as bem-aventuranças da mansidão e da misericórdia.
Conscientizar-se de que a prosperidade dos bem aventurados firma-se nas coisas espirituais e não nas materiais.

Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

Ser bem-aventurado é…
1. Ter paz e comunhão com Deus (1 Co 1.9).
2. Ser regenerado (Tt 3.5).
3. Experimentar uma mudança interior (2 Co 5.17).
4. É ter a certeza de que Jesus supre todas as necessidades (Sl 23.1).
5. É ter alegria em toda e qualquer situação (1 Ts 1.6; Hc 3.17,18).
6. É cantar e adorar ao Senhor em todo o tempo (At 16.23-25).

INTRODUÇÃO
Palavra Chave – Bem-aventurança: Do gr. makarismós; felicidade perfeita.
Veremos:
- As bem-aventuranças de Jesus destacam os princípios que fundamentam a Lei e os Profetas.
- Em cada expressão de bem aventurança, enfatizam as riquezas espirituais em detrimento das materiais.
- As bem – aventuranças ensinadas por Jesus, rompe com os ensinamentos dos fariseus, estes eram muito ligados à Lei e tradições ();
- Após esta aula veremos a necessidade de observamos o Sermão do Monte, chamado por muitos de A CARTA MAGNA DO REINO DOS CÉUS.
- Se não recorrermos aos ensinamentos do Nosso Mestre diariamente, jamais seremos verdadeiros discípulos (Mt 10.25a).

I. O FUNDAMENTO DAS BEM-AVENTURANÇAS
1. O significado das bem-aventuranças.
- Nesse primeiro momento veremos o significados para expressão no latim, grego e hebraico, veremos também o seu significado cultural nos tempos da Grécia Clássica e bem-aventurado:
a) Bem aventurado, vem da palavra latina beatus que originou o termo beatitude.
b) No original grego, o vocábulo usado por Mateus é makarios, cujo significado lembra felicidade, alegria divina e perfeita;
c) No hebraico, por outro lado, o vocábulo esher é traduzido, no salmo primeiro, com o sentido de quão felizes são! O sentido, portanto, é o de alguém que é feliz aos olhos de Deus por amar intensamente ao Senhor;
d) Na literatura grega clássica, (entre os séculos VI e IV a.C), a palavra referia-se prosperidade material;
e) Na literatura sapiencial hebraica, ela se refere a uma condição de bem-estar espiritual com Deus (Sl 1.1; 32.1; 112.1). Jesus mantém esse último sentido.

2. Bem-aventurados os pobres (Mt 5.3).
- Na ótica do Sermão do Monte, a pobreza não é vista como escassez de bens materiais; mas como necessidade da alma.
- Pobre, é o que tem uma carência espiritual e reconhece suas necessidades espirituais e conseqüentemente almeja um relacionamento profundo com Deus;
- Temos o exemplo do salmista:
- Sl 42. 1-5.
Aplicação:
- Como servos de Deus, devemos entender que a nossa intimidade com Ele é inegociável e indispensável à nossa vida espiritual, devemos desejar ardentemente conhecer o Santíssimo lugar, pois o véu do templo foi rasgado (Mc 15.38), isso nos dar liberdade de chegarmos diante dEle com confiança e ousadia (Ef 3.12), se buscarmos esse lugar termos experiências marcante, e quem sabe falar sabe, semelhante a que Paulo teve (Ef 3.14-19).

3. Bem-aventurados os que choram (Mt 5.4).
- Por que um crente chora?
Motivos:
- Em decorrência de nossa própria situação espiritual, quando aprofundar nossa comunhão com o Senhor querendo estar mais próximos dEle e suspiramos por uma intimidade maior com o Pai celeste.
- Por causa da situação espiritual em que o mundo se encontra (Is 6.5);
- Quando reconhecem a miséria do “eu” corrompido pelo pecado. Sua tristeza é resultado daquele susto abissal diante da natureza pecadora cabalmente decaída e condenável do ser humano, diante do abismo cheio de veneno do pecado. Nessa situação totalmente desesperadora da pessoa, unicamente o Senhor pode proporcionar o consolo;

- Mas apesar de tanto sofrimento, o consolo certamente virá (Ap 7.17).

II. A BEM AVENTURANÇA DA MANSIDÃO E DA MISERICÓRDIA
1. Bem aventurados os mansos (Mt 5.5).
- Manso é aquele que demonstra total submissão à vontade de Deus, mesmo quando esta parece contrariar seus interesses pessoais;
- Manso também é aquele que, apesar de injustiçado, não procura a própria vingança, mas confia em Deus como seu legítimo defensor (Is 41.17; Lc 18.1-8);
- Manso nesse contexto é submissão consciente ao querer divino;
- Os mansos são bem-aventurados porque são capazes de suportar sem amargura e sempre de modo amigável as cargas pesadas que lhes são impostas.
Aplicação:
- Se agirmos com mansidão e submetermos à vontade divina; Seremos verdadeiramente prósperos, assim seremos ricos, diante de Deus, possuidores de bens que não se compram com dinheiro dessa terra – mas nos foi concedido pelo Sangue de Cristo.

2. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça (Mt 5.6).
- Os verdadeiramente prósperos são os que têm um forte desejo pela justiça divina e a buscam ansiosamente, sendo conscientes de que a verdadeira prosperidade só é alcançada com a instauração do Reino de Deus.
- Ter fome e sede é o mesmo que “perseguir a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14). Satisfação e refrigério por meio de Jesus há somente quando temos fome e sede, quando desejamos ardentemente agir em tudo como agrada ao Senhor, em pensamentos, palavras e ações. Por conseguinte, a justiça é dádiva, que não se conquista com esforço, e sim se recebe de presente. Justiça não é produzida, mas recebida.
- Contrasta com a “justiça dos fariseus” (Mt 5.20)

3. Bem-aventurados os misericordiosos (Mt 5.7).
- Misericordioso, grego, “boa vontade ao miserável e ao aflito associada ao desejo de ajudá-los”.
- Em o Novo Testamento, a expressão ocorre com freqüência no sentido de perdão;
- O bem-aventurado tem um coração perdoador e ao mesmo tempo disposto a socorrer os mais necessitados.
Aplicação
- É momento de nós olharmos para o principio da religião pura e sem mácula, que nos diz: “A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo” (Tg 1.27).

III. A BEM-AVENTURANÇA DA PUREZA E DA AFLIÇÃO
1. Bem-aventurados os limpos de coração (Mt 5.8).
- Nesse contexto, Jesus se refere ao homem que se acha limpo e isento de culpa. É uma pureza que vem de dentro, origina-se na alma.
- O termo “coração” refere-se ao pensar, sentir e querer. Assim como no próprio Deus tudo é verdade, sinceridade e pureza, também os de coração limpo têm a vida cheia de verdade, sinceridade e pureza! O exterior é revelação do interior. O ser é tudo! Aparência não é nada.
- Impureza é estar separado de Deus. Porém, aos que são verdadeiros e puros de coração, terão o privilégio inefável de ver a Deus. Em Jesus já se pode ver Deus agora. Como é maravilhoso contemplar o Senhor desde já través da sua palavra. Mas um dia o veremos como Ele é (1 Co 13.12; 1 Jo 3.2).

2. Bem-aventurados os pacificadores (Mt 5.9).
- A Peshita, tradução aramaica de Mateus feita em 150 d.C, traduz essa expressão como os que fazem a paz! O pacificador é alguém que não somente ama a paz, mas encontra-se comprometido com o processo que a ela conduz entre as pessoas.

Aplicação
- Temos que semear e seguir a paz (Hb 12.14), pois servimos a um Deus de Paz (1 Co 14.33).

3. Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça (Mt 5.10,11).
- O princípio que o Senhor Jesus expõe é frontalmente contrário à filosofia materialista deste século. Sofrer injustiça, ser perseguido e até mesmo martirizado por causa do Reino de Deus são evidências de uma bem-aventurança eterna.

- É o que ensina Jesus. Dificilmente os pregadores da prosperidade aceitarão tais coisas. No entanto, eles se esquecem da advertência do Senhor: “Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (Jo 16.33).

CONCLUSÃO
As bem-aventuranças de Jesus contrariam totalmente os conceitos da Teologia da Prosperidade. A grande lição que aprendemos com o Mestre é que o homem realmente próspero não é aquele que pode ser avaliado de forma superficial e materialista, mas aquele que encontrou a paz em Cristo (Rm 5.1). Isso não significa que Deus não queira que os seus filhos prosperem materialmente. Mas a prosperidade material nada representa sem a espiritual.

Leia mais. http://espadaflamejante.blogspot.com

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."


PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 4,982 comentários no Estudos Bíblicos.