Home » , Finanças, Opinião, Teologia

A Oferta da Viúva Pobre

Avatar de Diogo Queiroz Fontes Por Diogo Queiroz Fontes em 11 de setembro de 2009

Estudos Bíblicos em seu email

Receba Estudos Bíblicos em seu email gratuitamente! Insira seu email:

Gospel+ no Twitter!

ou no facebook




Visite: Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel

A Oferta da Viúva Pobre
 

“41. Assentado diante do gazofilácio, observava Jesus como o povo lançava ali o dinheiro. Ora, muitos ricos depositavam grandes quantias. 42. Vindo, porém, uma viúva pobre, depositou duas pequenas moedas correspondentes a um quadrante. 43. E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta viúva pobre depositou no gazofilácio mais do que o fizeram todos os ofertantes. 44. Porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento.”  

Marcos 12: 41 a 44.

Ofertar é DAR. E a viúva deu 2 leptons (O Lepton era a menor moeda grega, era feita de cobre, moeda de pouquíssimo valor) , talvez na hora de se usar esta moeda pouca coisa se faria com ela. Mas diante de Deus foi uma grande oferta. “Se o dinheiro não for teu servidor, ele será o teu mestre” (Francis Bacon)

Jesus explica o porquê:

-         Todos deram do que sobrava.

-         Ela deu tudo o que tinha para seu sustento (100%)

Nosso dinheiro tem duas finalidades: Sustento e Semear.

Aqui nos aprendemos 3 princípios para ofertar:

 

1) Amor

-         Ninguém a mandou, dar tudo. Ela ofertou livremente.

-         Era algo espontâneo, honrando a Deus e sua obra

-         Deu por amor a Deus e seu reino
 

2) Fé

-         Ela deu tudo, não ficou com nada, nem para o seu sustento

-         Jesus não demonstra nenhuma pena dela. Ele sabia que a mulher estava acionando um princípio poderoso de Deus para o seu suprimento: a Fé.

-         Dar quando se tem muito é fácil. Dar do que sobra é mais fácil ainda.

-         Mas dar quando se tem necessidade exige fé.

 Este é o princípio de Deus que abre as janelas do céu Ml 3:10: “Trazei todos os dízimos a casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, seu eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós bênção sem medida.”

-         Isto significa confiar mais em Deus do que nas riquezas.

-         É ter fé que Deus proverá o meu sustento.
 

3) Sacrifício

Na bíblia o conceito de oferta está ligado à idéia de sacrifício. Não devemos ofertar a Deus o que não significa nada ou não vale nada para nós.

-         Se as nossas contribuições não nos expõem ao sacrifício, ainda não atingimos o padrão ensinado por Jesus.

-         A viúva estava disposta a passar privações para que outros não passassem.

 

Lembre-se: Você é o Alvo do Amor de Deus!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

"As opiniões ditas pelos colunistas são de inteira e única responsabilidade dos mesmos, as mesmas não representam a opinião do Gospel+ e demais colaboradores."


PS.: Comentários via Google+ estão logo abaixo desabilitados no momento.


Comentários via Facebook

11 comentaram, comente você também!

  1. O texto tá muito bom, parabéns.

  2. Uma mensagem magnífica, que ensinar quem dispoe de sua fé total em Deus através de seu filho Jesus, nunca será desapontado.

    Com certeza uma das coisas mais difícil no ser humano é tirar todo o seu sustento e deposita tudo num gesto de confiança em Deus.
    Pior é em certas situações, sabendo que tem dividas para pagar e filhos para sustentar. É um sacrifício que mexe totalmente com a razão humana.Começa uma batalha, uma gerra dentro de você que traz um sentimento que vc se sente indefeso, sem proteção mum mundo capitalista que mostra que só quem tem muito dinheiro passa tem tranquilidade e segurança.
    Entregar tudo é dizer que está disposto a aceitar o que Deus se propoe a oferecer e acreditar que o amanhã pertence somente a Ele.

    Quisera eu ter a visão que essa viúva tinha de Deus.Não se importava em passar fome e mesmo assim não se deixou abater pelas circunstâncias.

    Deus abençoe a todos em o nome do Senhor Jesus.

  3. Boa tarde queridos venho por meio desse pedir a vossa colaboraçao se possivel for,que Deus vos abençoe a todos e familiares tambem,eu sou trabalhador mais ganho pouco trabalho na area da costruçao civil.Por favor me ajude e que eu quero fazer uma reforma aqui em casa mais estou sem condiçoes, por isso peço a vossa ajuda estou comunicando com os santos,comunicai com os santos as vossas necessidades uns com os outros.Amados seguir a minha conta se vos for tocado pelo Espirito Santo assim faças,a conta e Banco itau agencia1510 conta corrente53093-2 salvador bahia brasil,desde ja muitissimo obrigado a todos que colaborarem de forma direta e indireta,isso e orando e divulgando para que outros orem e coperem tabem grato e que Deus abençoe infinitamente a todos com todas as sortes de bençaos e familiares

  4. Seus infelizes, estamos na falencia, pq minha mae deu tudo a essa maldita igreja e hoje ela ta internada no hospicio, acreditando que foi arrebatada, seus farçantes idiotas miseráveis!!!

  5. ô Marcos, é um apena você pensar assim. Tenha certeza que a falência de vocês (se é que é verdade), não foi por causa da fé de sua mãe e sim por causa da incredulidade e rebeldia de pessoas como você. Certamente o Senhor está cuidando dela e quer cuidar de você também. Não veja isso como um castigo, mas tenha certeza que através dessa situação você pode conhecer e reconhecer o amor de Deus por você. Imagine se você tivesse que entregar a sua mãe pela humanidade? Você entregaria a sua mãe pra me dar vida? Mas Deus entregou o seu filho por amar você. Quando você reconhcer esse amor e receber o perdão de Deus, tenha certeza que coisas novas acontecerão em sua vida. Creia ou não, a palavra de Deus se cumpre a qualquer pessoa. “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e sua justiça, e as demais coisas vos serão acrescentadas” Mt 6:33. Deus te abençoe!

  6. vocês são ratos de igrejas ,ficão tirando tudo das pessoas ,que conhesem pouco a biblia deixando muitos na miséria igual éssa senhora que está no hospicio..vocês ficão anulando a morte de JESUS taõ sofrida na cruz ,para nos libertar das leis levitas de dizimos que não éra dinheiro e sim cereais quero que vc me mostre aonde manda dar dizim em dinheiro vocês usão malaquias 3,10 para estorquir as pessoas ,vcs nem sabem onde é a casa do tesouro se soubessem não diriaõ que é dinheir ,,hipócritas..vocês se dizem cristãos mas naõ fazem igual os apóstolos que saião nas ruas pregando o evangelho anumciando as boas novas e erão presos chicoteados quando erão soltos saiaõ a pregar de novo iso é verdadeiramente cristão vocês ficão ai pedindo dizimos e ofertas ezorbitantes para comprar carros novos contruir igrejas enormes aonde DEUS nem abita ,JESUS disse ai daquele que mexer com meus pequeninos,,,,e vcs estão mexendo estorquindo eles tirando o dinheiro da agua da luze até dos remedios com falsas doutrinasnnJESUS disse no dia do julgamento muito vão dizer senhor,,senhor,,eu curei em teu nome eu expulsei demonios em teu nome,,,e vcs sabem o que ele vai dizer,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,afasta de mim que eu não te conheço,,pensem bem e pessão perdão e preguem o verdadeiro evangelho sem exploraçaõ sem enganação CRISTO morreu na cruz e nimguem tem que comprar a salvação ele já pagou o preço só precizamos ter fé e acreditar que só através dele somos sálvos,,,amém glorias a DEUS

  7. vejo esta passangen da oferta da viuva ela deu a unica oferta que tinha para o seu sustento. Mas ate hoje eu só vejo os lideres de igreja usando esta passagen na hora de pedir oferta ou dizimo. Mas nunca vi pregando dizendo que Deus quer de nós o mesmo esforço daquela viuva dando não só ofertas, mas nós ofertando a Deus 100% vida na obra de Deus na sinceridade, obediencia,e seguir a Deus dentro da doutrina biblica e não na doutrina de homens que só querem e só penção nos bens terrenos e não celestial.

  8. Gostei do estudo. Sou católico e o dízimo é bíblico, mas a questão do estudo não é o dízimo, não sei se eu entendi errado, mas eu entendi assim: é muito fácil você repartir algo com alguém pode ser dinheiro, pode ser uma palavra carinhosa quando você tem dinheiro sobrando ou quando você está num momento feliz. E quando te falta o dinheiro? Ou quando você tem pouca comida em casa e chegam parentes ou amigos para comer? Ou quando você está numa fase ruim da vida e chega alguém numa situação ruim também, você consegue dar uma palavra amiga?
    Acho que é isso que eu entendi.
    Deus abençoe a todos :)

  9. não pense assim não abençoado! busca a presença de Deus, de conhece-lo mais e não foque sua visão em homens pois somos falhos e só o senhor q nos santifica , não viva a religiosidade mais sim a vida de Deus. fica na paz benção Jesus Te ama

  10. Perfeito!!!!
    Não tém como ir contrário a palavra de Deus!!!!!

  11. Parem de explorar a viúva!!!
    Rodrigo Brandt

    Ofertar é uma atitude própria do cristão. Ofertar louvor a Deus, tempo, talentos, dons. E, é claro, ofertar recursos financeiros. Isso é bíblico. Por exemplo, quando Paulo estava preso os crentes de Filipos, sabendo da situação precária que o apóstolo estava vivendo, enviaram donativos por meio de um crente chamado Epafrodito (Fp 4:17-18).
    Muitos fazem menção da oferta da viúva pobre como comportamento a ser seguido pelos cristãos hoje ao ofertarem nas igrejas, conforme episódio narrado nos Evangelhos de Marcos e Lucas:

    “Assentado diante do gazofilácio, observava Jesus como o povo lançava ali o dinheiro. Ora, muitos ricos depositavam grandes quantias. Vindo, porém, uma viúva pobre, depositou duas pequenas moedas correspondentes a um quadrante. E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta viúva pobre depositou no gazofilácio mais do que o fizeram todos os ofertantes. Porque todos eles ofertaram do que lhes sobrava; ela, porém, da sua pobreza deu tudo quanto possuía, todo o seu sustento”. (Mc 12:41-44)

    “Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento”. (Lc 21:1-4)

    Faz-se então uma comparação entre o que os ricos ofertavam e o que a viúva pobre ofertou. Como Jesus comentou que a oferta da viúva foi maior que a de todos os demais, supõe-se que Ele a estava elogiando. E, como Jesus constatou que ela ofertou tudo o que ela possuía, “todo o seu sustento”, argumenta-se que esse é um comportamento ideal. Dessa forma, nós, cristãos, deveríamos ser como a viúva pobre, porque ela deu tudo, inclusive o necessário à própria sobrevivência.
    Apesar da popularidade dessa interpretação, nunca é tarde para nos perguntarmos se é realmente isso que o texto nos está ensinando. E a primeira constatação que fazemos ao olharmos novamente para o texto é que Jesus não elogia a atitude da viúva. Jesus simplesmente observa uma realidade, fazendo uma comparação. Ele sequer critica os ricos que ofertavam o que lhes sobrava. Jesus faz uma “fotografia da cena”, sem emitir qualquer juízo de valor.
    Ao olharmos para a história de Israel, percebemos que Deus sempre demonstrou seu cuidado para com os órfãos e viúvas. O templo, em Jerusalém, além de ser local de culto, tinha a função de canalizar a riqueza de Israel. Ou seja, os necessitados da nação deveriam ser socorridos com os recursos arrecadados no templo por meio das ofertas (veja o que já previa a lei em Dt 14:28-29).
    Infelizmente, ao longo dos séculos, muitos sacerdotes preocuparam-se mais com seu próprio conforto do que com o bem-estar do seu povo (o profeta Isaias denuncia isso em 1:17 e em diversos outros textos). Os sacerdotes, portanto, eram responsáveis para que houvesse justiça social, para que houvesse mantimento para aqueles que por alguma circunstância da vida estavam sem condições de garantir seu próprio sustento, o que incluía muitas vezes as viúvas.
    Séculos depois de Isaias, nos tempos de Cristo, a situação continuava pervertida. A cena narrada por Marcos e Lucas mostra Jesus vendo a repetição do que já ocorria desde os tempos de Isaias. Um templo que não está mais a serviço dos necessitados, mas sim a serviço dos próprios sacerdotes. E sacerdotes a serviço deles próprios e, agora, também dos dominadores romanos.
    A relação entre Jesus e o templo era tensa (ver, por exemplo, Jo 2:13-22; Mc 11:15-19; Lc 19:45-48 e Mt 21:12-17). Jesus, o Messias, o Deus encarnado, não era bem-vindo ao templo. Foi no templo, por exemplo, que os sacerdotes, escribas e anciãos contestaram a autoridade de Jesus (Mc 11:27-33). Foi em meio a esse clima tenso que ocorreu o episódio da viúva pobre. Jesus estava junto ao templo, mas denunciando a corrupção ali existente.
    É bom lembrar que o precursor de Jesus, João Batista, era de família sacerdotal: seu pai, Zacarias, era sacerdote, e sua mãe, Izabel, era descendente de Arão (Lc 1:5). Mas João não exerceu seu ministério junto ao templo com os demais sacerdotes! Exerceu-o no deserto. Ou seja, nos anos anteriores ao ministério de Cristo quem quisesse realmente ouvir a voz do Senhor deveria ir não ao templo, mas ao deserto.
    E Jesus, o que estava fazendo no templo? A poucos dias de sua crucificação Jesus estava ali para denunciar o que se passava no templo. E estava prestes a derramar seu sangue para que o ser humano não precisasse mais de um templo para adorar a Deus. Lembra-se do que Jesus disse à mulher samaritana? (leia em Jo 4:21).
    Tentemos agora rever a cena: Jesus está assentado e vendo diversas pessoas depositando suas ofertas no gazofilácio, incluindo muitos ricos que ali jogam grandes quantias, que é o que lhes sobra, e também uma viúva pobre, lançando ali aquilo que ela possuía para sobreviver. Quando Jesus olha para o gazofilácio, o que Ele vê? Ele vê Deus sendo adorado? Estaria o Deus do amor e da justiça pactuado com os sacerdotes corruptos? Ou será que Jesus estava olhando para uma grande máquina de arrecadação de dinheiro que estava a serviço do status quo? O Deus dos profetas, Pai do Senhor Jesus, aceitava para si aquele dinheiro todo em meio a tanta miséria e injustiça social?
    Além disso, devemos olhar mais atentamente para o que os Evangelhos de Marcos e Lucas registram pouco antes do referido episódio:

    “E, ensinando-os, dizia-lhes: Guardai-vos dos escribas, que gostam de andar com vestes compridas, e das saudações nas praças, E das primeiras cadeiras nas sinagogas, e dos primeiros assentos nas ceias; Que devoram as casas das viúvas, e isso com pretexto de largas orações. Estes receberão mais grave condenação”. (Mc 12:38-40).

    “E, ouvindo-o todo o povo, disse Jesus aos seus discípulos: Guardai-vos dos escribas, que querem andar com vestes compridas; e amam as saudações nas praças, e as principais cadeiras nas sinagogas, e os primeiros lugares nos banquetes; Que devoram as casas das viúvas, fazendo, por pretexto, longas orações. Estes receberão maior condenação”. (Lc 20:45-47).

    Vamos rever a cena. Jesus constata que a viúva deu tudo o que tinha. O que é que Jesus havia dito momentos antes? Que as viúvas eram exploradas, suas casas eram devoradas! Uma viúva, pobre, por não possuir recursos, e explorada, por ter sua casa “devorada” pelas autoridades — essa viúva agora está dando tudo o que tem para o gazofilácio do templo. É Deus quem está recebendo essa oferta? Ou são as elites religiosas e políticas?
    Jesus observa que ela dá tudo o que tem. Lembra-se de Deuteronõmio 14:28-29? Lá diz que a mecânica da oferta é diferente. Lá diz que a oferta de quem tem o que ofertar deve ser canalizada para socorrer aquele que não tem o suficiente para sobreviver, muito menos para ofertar! Ou seja, os Evangelhos estão denunciando uma dupla injustiça: primeiro, quem não tem (a viúva) não está recebendo ajuda do templo; segundo, além de não receber, ela dá aquilo que era para sua sobrevivência! A lei em Deuteronômio previa que as viúvas deveriam receber do templo não apenas o suficiente para sobreviver, mas deveriam, inclusive, se fartar. Será que o Autor da vida aceitaria que a pobre viúva deixasse de adquirir alimento para efetuar aquela oferta?
    Outro aspecto que não podemos negligenciar é a narrativa de Lucas logo após esse episódio:

    “E, dizendo alguns a respeito do templo, que estava ornado de formosas pedras e dádivas, disse: Quanto a estas coisas que vedes, dias virão em que não se deixará pedra sobre pedra, que não seja derrubada”. (Lc 21:5-6)

    Vamos rever a cena. Jesus acaba de ver uma viúva pobre negando seu direito à subsistência para dar seu dinheiro à manutenção do templo. E o que é que Jesus diz logo em seguida? Que o templo está com os dias contados! (o templo viria a ser destruído cerca de 40 anos depois pelos romanos). A instituição templo já não contava mais com a presença de Deus. O imóvel templo deixaria de existir em alguns anos. E nada no texto bíblico sugere que Deus tenha recompensado a viúva pela oferta. O Deus de Israel, que não habita em templos feitos por mãos humanas, desejaria que uma pobre viúva morresse de fome para manter o funcionamento de um templo que o próprio Deus já havia abandonado?
    No passado os sacerdotes exploraram a pobre viúva. E você, caro leitor, o que me diz? Devemos utilizar a narrativa bíblica sobre a viúva pobre “explorada” como paradigma de atitude de um ofertante? Ou a atitude de Jesus é um estímulo para denunciarmos as estruturas políticas e religiosas malignas que atuam em nossa sociedade?

    

Sua resposta

Adicione seu comentário abaixo, ou faça trackback de seu site ou blog. Você pode também assinar esses comentários via RSS.
Seja legal. Não escreva em CAIXA ALTA. Mantenha no tópico. Limite de 3000 caracteres no comentário.

Há 5,000 comentários no Estudos Bíblicos.